Lutas ambientais e ecologias afrodiaspóricas: saberes e alianças mais que humanas nos territórios de matriz africana

2021-09-02

Proposta 

Nas comunidades negras, quilombos, roças e terreiros de matriz africana, alianças entre plantas, animais, gentes, encantados, orixás, nkises e vodus produzem ecologias que se expandem para além das aparentes fronteiras destes espaços. Em um contexto de crise civilizatória e extinção generalizada resultantes do projeto colonial atualizado pelo capital globalizado, estas ecologias afrodiaspóricas nos convidam a produzir novos engajamentos junto aos demais viventes com quem coabitamos o mundo. Uma longa tradição de pesquisas tem se dedicado a descrever as relações mais que humanas nas religiões de matriz africana. Todavia, cremos ainda ser necessário narrar as diversas formas como os povos tradicionais de matriz africana têm se engajado nas lutas ambientais. Nesse sentido, este dossiê pretende reunir textos que abordem as diversas ecologias produzidas pelos coletivos mais que humanos que constituem as tradições de matriz africana como forma de enfrentamento cosmopolítico das catástrofes do Capitaloceno. Esperamos acolher estudos com abordagens diversas, desde a antropologia, a ecologia política, etnoecologia, pedagogias decoloniais e outros campos que permitam lançar novas luzes sobre o tema.

 

Organizadores/as 

Ashogun Aderbal Moreira Costa (Rede Afroambiental) 

Maria Dolores de Lima e Silva | Oyayielé (Universidade Federal de Fluminense) 

Flávio Henrique de Oliveira Santos (Universidade do Estado de Minas Gerais) 

Mauricio dos Santos (Universidade Federal da Integração Latino-Americana) 

Emmanuel Duarte Almada (Universidade do Estado de Minas Gerais)

 

As Normas para elaboração de artigos para os Dossiês, e para as demais seções da revistas podem ser encontradas em https://revistas.unila.edu.br/index.php/epistemologiasdosul