https://revistas.unila.edu.br/eqpv/issue/feed Educação Química en Punto de Vista 2020-08-12T22:11:50-03:00 MARIA DAS GRAÇAS CLEOPHAS revista.eqpv@unila.edu.br Open Journal Systems educação química en punto de vista; revista relapeq; educação química relapeq https://revistas.unila.edu.br/eqpv/article/view/2186 “Diariamente”: (re)inventando memórias escolares a partir das diferentes abordagens do processo de ensino e aprendizagem 2020-08-12T22:11:48-03:00 Wallace Alves Cabral wallaceacabral@gmail.com <p>Este trabalho apresenta uma intervenção em sala de aula que tinha como objetivo, dentro de um planejamento maior, fomentar práticas de leitura e escrita no âmbito da formação de professores de Química. A atividade selecionada para análise foi construída a partir da discussão de um artigo e da leitura de uma produção audiovisual. Nesse processo, os licenciandos tiveram que produzir um poema no mesmo formato da música “Diariamente” da cantora Marisa Monte. Cada estrofe do poema deveria apresentar elementos das cinco abordagens (tradicional, comportamentalista, humanista, cognitivista e sociocultural) do processo de ensino e aprendizagem. Essas produções foram construídas a partir de vivências ou (re)criações sobre o ambiente escolar e analisadas à luz do conceito de intertextualidade da AD. As análises mostraram que essa atividade potencializou leituras e escritas sobre o ambiente escolar, provocando reflexões sobre esse espaço a partir de diferentes lentes do processo de ensino e aprendizagem. </p> 2020-08-12T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Educação Química en Punto de Vista https://revistas.unila.edu.br/eqpv/article/view/2383 Ensino híbrido aplicado na revisão de ácido-base de Arrhenius no ensino médio 2020-08-12T22:11:48-03:00 Claudinei Osorio De Oliveira claudiney@hotmail.com.br Alexandre Rossi alexandre.rossi@uftm.edu.br Evandro Roberto Alves evandro.alves@uftm.edu.br Este trabalho relata os resultados de uma revisão que contempla os conteúdos ácidos, bases de Arrhenius aplicada no início de um semestre letivo, utilizando-se a metodologia do ensino híbrido e um blog como recurso didático digital. Estudos de reações químicas de neutralização foram também considerados. Sala de aula invertida e laboratório rotacional foram aplicados a 28 estudantes do 2º ano do Ensino Médio de uma escola pública da cidade de Uberaba/MG. A maioria dos estudantes possuía computador ou aparelho celular com acesso à internet, facilitando o desenvolvimento do projeto. Inicialmente, os estudantes demonstraram uma aprendizagem insatisfatória relacionada aos conteúdos previamente estudados no ano letivo anterior. Com a aplicação da metodologia do ensino híbrido, foi relatado grande interesse em utilizar o blog para realização de atividades de estudos on-line antes das aulas presenciais, além de verificar melhoria na aprendizagem dos referidos conteúdos 2020-08-12T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Educação Química en Punto de Vista https://revistas.unila.edu.br/eqpv/article/view/2235 Experimentando e “Adoçando” o Ensino de Química: das dificuldades em estequiometria à confecção de alfajores. 2020-08-12T22:11:48-03:00 Gustavo Pricinotto gustavopricinotto@gmail.com Julia Oliveira Primo juliadeoliveira@unicentro.edu.br <p>Compreender as dificuldades apresentadas por estudantes e professores, no processo de ensino e aprendizagem de Química no conteúdo de Estequiometria é de extrema importância e de longa data, devido aos grande entraves matemáticos e de memorização que os estudantes tem de lidar, tornando o conteúdo maçante e desinteressado. Após inicialmente compreender quais as dificuldades dos sujeitos envolvidos, este trabalho propôs o planejamento e desenvolvimento de uma oficina temática e da experimentação baseada nos trabalhos de Delizoicov e Angotti (1990) e aplicada aos alunos do segundo ano do ensino médio. O desenvolvimento deu-se inicialmente por um questionário como avaliação diagnóstica, seguido de atividades práticas, incluindo a confecção de alfajores e o diálogo final, como processo de validação da aprendizagem. Verificou-se com as atividades em questão, que este tipo de organização contribuiu para o processo de ensino e aprendizagem de forma motivadora, articulando o conhecimento científico ao de senso comum e cotidiano.</p> 2020-08-12T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Educação Química en Punto de Vista https://revistas.unila.edu.br/eqpv/article/view/2268 Educação Ambiental no ensino de Química: o lixo eletrônico como abordagem temática 2020-08-12T22:11:49-03:00 Camila Pesenato Magrin camilamagrin@gmail.com Caroline Zanotto caroline.ztto@gmail.com Cláudia Almeida Fioresi claudiaafioresi@gmail.com <p>Trabalhar a temática “Lixo Eletrônico” no ensino de Química visa, a médio e longo prazo, formar cidadãos mais conscientes e, disseminadores dos conhecimentos aprendidos em sala de aula para a sociedade. Além disso, através da utilização de metodologias de ensino diversificadas, busca-se tornar a aula de Química mais interessante para os estudantes. Neste caso, escolhemos realizar uma abordagem temática, com base no “Educar pela Pesquisa”, por meio da realização de uma Sequência Didática composta por cinco etapas complementares. Diversos recursos didáticos foram utilizados, como audiovisuais, artísticos, textuais e laboratoriais, além de uma visita técnica. O feedback dos estudantes foi muito positivo, em virtude das atividades diferenciadas. Por outro lado, ao final da sequência, ainda foi possível presenciar atitudes inconscientes em relação a temática trabalhada, ou seja, o lixo que produzem e descartam. Isso ressalta que mais esforços podem ser dispendidos em prol da efetiva conscientização dos indivíduos.</p> 2020-08-12T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Educação Química en Punto de Vista https://revistas.unila.edu.br/eqpv/article/view/2282 A presença da Química Quântica em livros e recursos didáticos 2020-08-12T22:11:49-03:00 Guilherme Sales da Rocha guuih.rocha@gmail.com Denise Leal de Castro denisel67@gmail.com <p><strong>Resumo:</strong> Nas últimas décadas, os avanços científicos e tecnológicos têm despertado nos jovens mais olhares sobre temas relacionados às ciências de uma forma geral, sendo a Química contemporânea totalmente incluída nisso. A análise referente à Química Quântica nos livros didáticos, no livro paradidático e nos outros recursos didáticos serão baseados na análise de discurso de Laurence Bardin (1977). Analisaremos os outros recursos que são: <em>sites</em>, <em>software</em>, cursos de Química Quântica para atualização de professores e visitas técnicas. Com esta pesquisa, conseguimos verificar a presença da Química Quântica nos livros didáticos. Alguns casos são bem abordados, outros casos são bem sucintos. Já o livro paradidático é o que apresenta maior conteúdo como material físico do assunto da Química Quântica. É importante enfatizar também que o curso de formação de inicial do professor de Química também deve buscar e promover cursos da área de Química Quântica.</p> 2020-08-12T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Educação Química en Punto de Vista https://revistas.unila.edu.br/eqpv/article/view/2259 Processo de reflexão orientada e a perspectiva prática reflexiva: quais articulações? 2020-08-12T22:11:45-03:00 Juliana Marciotto Jacob julianajacobqui@hotmail.com Fabiele Cristiane Dias Broietti fabieledias@uel.br <p>O Processo de Reflexão Orientada (PRO) é uma proposta formativa, constituída por quatro contextos que podem ser aplicados na formação de professores permitindo que estes reflitam antes, durante e após a ação docente. Diante disso, o objetivo deste artigo é apresentar as contribuições do PRO na formação de professores, mediante análise em produções nacionais (teses e dissertações), evidenciando aspectos atrelados à perspectiva prática reflexiva. Os resultados mostram que sua aplicação, no Brasil, se deu na formação de professores (inicial e continuada), especialmente nas áreas de Ciências e da Química, e as suas contribuições estão relacionadas ao fato de se levar os estudantes a repensarem, de forma crítica, sobre sua própria prática, refletindo algumas de suas ideias sobre ensinar e aprender Ciências. Com relação aos contextos, estes se enquadram na perspectiva prática reflexiva que enfatiza que os professores vão construindo seus saberes como “praticum”, ou seja, aquele que constantemente reflete na e sobre a prática.</p> 2020-08-12T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Educação Química en Punto de Vista https://revistas.unila.edu.br/eqpv/article/view/2403 Alfabetização científica na Educação Superior: uma experiência didática em aulas de Química Analítica 2020-08-12T22:11:46-03:00 Valeska Soares Aguiar valeska.saguiar@gmail.com José de Alencar Simoni caja@iqm.unicamp.br <span>Nesse trabalho, foi desenvolvida uma atividade envolvendo leitura e interpretação de textos em aulas práticas de Química Analítica para alunos de um curso de Engenharia Química. Nessa atividade, as produções discentes foram analisadas de acordo com o referencial da Análise de Discurso de vertente francesa, em relação à autoria desenvolvida. A presença da repetição histórica em muitos textos analisados permitiu inferir que o aluno resgatou conhecimentos previamente adquiridos por meio de sua memória discursiva, fazendo surgir no processo interpretativo outras leituras que o auxiliaram a compreender o texto científico. Nesse processo de produção de sentidos foi possível identificar fragmentos textuais que puderam atuar como indicadores de alfabetização científica, a partir do momento que o aluno autor expressava-se com construções próprias e reconhecia a importância econômica, social e/ou ambiental do artigo lido. Tais indicadores mostraram a contribuição de textos científicos para com o processo de alfabetização científica na Educação Superior.</span> 2020-08-12T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Educação Química en Punto de Vista https://revistas.unila.edu.br/eqpv/article/view/2287 Concepções sobre Analogias no Discurso de Professores de Química 2020-08-12T22:11:46-03:00 Rosiane Alexandre Pena Guimarães rosianepena@hotmail.com Kalmon Kalmon da Silva Oliveira kalmonoliveira@gmail.com Marcel Thiago Damasceno Ribeiro marceldamascenoribeiro@gmail.com <p>As analogias se configuram como um importante instrumento para a compreensão dos conceitos complexos em sala de aula. Além disso, o uso de analogias pode facilitar o processo de apropriação de novos conceitos, uma vez que essa estratégia de ensino estabelece comparações entre dois domínios, um conhecido e outro desconhecido. Mediante o papel ocupado por este instrumento, é necessário conhecer as prévias concepções dos professores acerca do tema. Para isso, foi realizado um estudo de natureza qualitativa, por meio do Estudo de Caso, tendo como instrumento de coleta o questionário e entrevista semiestruturada, aplicado a seis professores egressos de Mestrado Profissional em Ensino de Ciências da área de Química. Como resultado foram percebidas algumas dificuldades, como: conceituar as analogias e diferenças entre as analogias e as metáforas. Desse modo, evidenciou-se a necessidade da inserção de discussões sobre o uso de analogias no ensino, ressaltando sua função, suas utilidades, suas vantagens e desvantagens. <strong></strong></p> 2020-08-12T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Educação Química en Punto de Vista https://revistas.unila.edu.br/eqpv/article/view/2230 Atividades em Grupos Comuns versus Aprendizagem Cooperativa: percepções de estudantes no ensino médio de Química 2020-08-12T22:11:47-03:00 Raimundo Kauê Monteiro Furtado kauemonteiro09@gmail.com Leonardo Baltazar Cantanhede leonardo.cantanhede@ifma.edu.br Severina Coelho da Silva Cantanhede severina.cantanhede@ufma.br <p>A aprendizagem cooperativa é uma metodologia construtivista que pode auxiliar no ensino de Química, tornando-o mais dinâmico, ajudando na aprendizagem dos conhecimentos químicos e o desenvolvimento de habilidades interpessoais. Neste trabalho, buscou-se verificar, a partir da aplicação do Método de Aprendizagem Cooperativa Co-op-Co-op para o estudo de Funções Orgânicas, as opiniões de alunos do Ensino Médio a respeito das Atividades em Grupos Comuns (AGC), rotineiramente empregadas durante a educação básica e o Método de Aprendizagem Cooperativa (MAC). Para tanto, foram aplicados questionários estruturados no formato da escala Likert a respeito das AGC e do MCA. Os resultados apontam que, cerca de 91% dos alunos responderam positivamente à implementação do MCA como ferramenta metodológica para o ensino de Química. Assim, o MCA trouxe benefícios no processo de ensino e aprendizagem de Química, como a melhora no aprendizado dos conteúdos, desenvolvimento nos relacionamentos aluno-aluno e professor-aluno, além da promoção de habilidades sociais.</p> 2020-08-12T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Educação Química en Punto de Vista