https://revistas.unila.edu.br/litcomparada/issue/feed Frontería - Revista do Programa de Pós-Graduação em Literatura Comparada 2021-07-28T19:49:04-03:00 Débora Cota debora.cota@unila.edu.br Open Journal Systems <h2><em>Frontería</em> - Revista do Programa de Pós-Graduação em Literatura Comparada</h2> <div id="content"> <div id="journalDescription"> <p dir="ltr">A <em>Frontería - </em>Revista do Programa de Pós-Graduação em Literatura Comparada da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA) visa ser um espaço de debate e divulgação de pesquisas comparatistas e de teorias da literatura voltadas ao âmbito latino-americano e caribenho. A revista Frontería publica, semestralmente, artigos inéditos ou tradução de textos críticos e teóricos de real interesse para a área, resenhas bibliográficas e entrevistas. Os textos podem ou não ser agrupados em dossiê temático que concentre discussões contemporâneas de interesse na América Latina e Caribe. </p> <p><span id="docs-internal-guid-32f23eae-7fff-4a66-dd82-c9ea18d85eaa">A revista Frontería está aberta a contribuições de pesquisadores(as) oriundos(as) de instituições nacionais e internacionais, latino-americanos ou não. Seu conteúdo é de acesso livre e os textos submetidos passam por um processo de análise por pares, ou seja, serão lidos por pelo menos dois consultores ad hoc, escolhidos entre especialistas da área.</span></p> <p align="justify">O título <em>Frontería </em>está proposto desde um entendimento da fronteira como contato, expansão, movimento. Ou seja, se refere ao deslocamento de uma acepção que propõe delimitações prévias, fixações, lugares estanques, como prevê Abril Trigo ao sugerir o termo, em seu já conhecido artigo Fronteras de la epistemología: epistemologias de la frontera, (1997). Sendo assim, o título se ajusta ao lugar desde o qual é produzida esta publicação, a região da fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina, especialmente pela necessidade a ele inerente, de constantemente (re)elaborar, discutir, por em questão as fronteiras.</p> <p align="justify">*Gostaríamos de agradecer aos mestrandos do PPGLC pela contribuição à construção da identidade da revista: a Daniela Serna e Libia Castañeda pela criação da imagem do site e a Luciano Dutra Miguel pela proposta de título. </p> <div>ISSN: 2675-9470</div> </div> </div> https://revistas.unila.edu.br/litcomparada/article/view/2941 Expediente 2021-07-28T16:39:16-03:00 Julia Matias julia_pmatias13@live.com Débora Cota Cota debora.cota@unila.edu.br <p>Editora: Débora Cota</p> <p>Bolsista: Julia Pereira Matias</p> <p> </p> <p> </p> <p>Editores e revisores de textos: Antonio Rediver Guizo</p> <p>Cledison Ignacio</p> <p>Cristina Tori</p> <p>Julia Pereira Matias</p> <p>Débora Cota</p> <p> </p> <p>Organizadoras do dossiê:</p> <p>Leila Vieira, Ohio State University</p> <p>Lívia Santos de Souza, Universidade Federal da Integração Latino Americana</p> <p><em>A Frontería, revista do Programa de Pós-Graduação em Literatura Comparada</em> da Universidade Federal da Integração Latino-americana é um projeto de extensão e conta com o apoio da Pró-reitoria de Extensão da UNILA.</p> 2021-07-28T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Julia Matias https://revistas.unila.edu.br/litcomparada/article/view/2928 Apresentação do Dossiê 2021-07-25T13:25:39-03:00 Lívia Santos de Souza 42liviadesouza@gmail.com Leila Vieira vieira.31@buckeyemail.osu.edu 2021-07-28T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Lívia Santos de Souza; Leila Vieira https://revistas.unila.edu.br/litcomparada/article/view/2619 A hifenização pode ser sufocante para as mulheres: a diáspora caribenha gendrada em How the García girls lost their accents, de Julia Alvarez 2021-02-19T18:54:02-03:00 Tito Matias-Ferreira Júnior tito.matias@ifrn.edu.br <p>O romance <em>How the García girls lost their accents</em>, de Julia Alvarez, descreve a vida de quatro meninas: Carla, Sandra, Yolanda e Sofía García, que foram forçadas a migrar para os EUA por causa do exílio de seu pai, Carlos García. Devido ao exílio, as irmãs García parecem adquirir uma nova percepção sobre sua condição diaspórica, pois as personagens de <em>How the García girls lost their accents</em> experimentam jornadas múltiplas, uma vez que começam a vivenciar uma nova existência nos EUA, algumas na infância e outras na adolescência. Com isso, elas passam a negociar entre sua porção caribenha e sua porção estadunidense. Ademais, com o passar do tempo, Carla, Sandra, Yolanda e Sofia passam a adquirir alguns costumes, comportamentos e o modo de pensar da sociedade estadunidense. Assim, a identificação das irmãs García com a forma de pensar estadunidense faz com que elas comecem a vivenciar embate entre gêneros, uma vez que elas têm que lidar com a dominação masculina e com atitudes sexistas em relação às mulheres tanto na República Dominicana quanto nos EUA. O objetivo deste estudo é problematizar a relação de convivência entre gêneros na ficção alvareziana, sob o prisma da diáspora, uma vez que deixar a sua terra natal e se instalar em terras forasteiras como consequência do movimento de imigração pode provocar transformações na vida de um indivíduo, neste caso, das mulheres da obra, pois tal sujeito pode começar a enxergar o mundo com outros olhos, e, principalmente, na situação das irmãs García, percebê-lo sob um viés machista, misógino e excludente.</p> <p><strong>PALAVRAS-CHAVE</strong>: Hifenização. Diáspora. Gênero. Ficção. Julia Alvarez.</p> 2021-07-28T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Tito Matias-Ferreira Júnior https://revistas.unila.edu.br/litcomparada/article/view/2874 Entrevista: Dançando entre fronteiras: arte, identidade e tensões raciais na trajetória de uma antropóloga afro-latina nos Estados Unidos 2021-07-19T20:28:03-03:00 Erika Rowinski kikarow@gmail.com <p>Camila Daniel é professora da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Atua no campo interdisciplinar entre a Sociologia e a Antropologia, desenvolvendo pesquisa e extensão em temas relacionados a fluxos migratórios e relações étnico-raciais nas Américas. Na sua tese de doutorado, desenvolveu um estudo sobre a mobilidade estudantil de peruanos no Rio de Janeiro. Atualmente, tem analisado a construção de identidades raciais em contextos migratórios, a construção de redes de solidariedade inter-racial e interétnica em contextos de arte-ativismo e a produção cultural de imigrantes latino-americanos como ação política no Brasil e no Estados Unidos. É também pesquisadora-ativista de danças populares afro-latinas e fala, nessa entrevista, sobre o papel da dança em sua trajetória como pesquisadora, trazendo ainda sua perspectiva em relação às tensões raciais pelas quais passou em seu trabalho de campo com os peruanos nos Estados Unidos e no Rio de Janeiro.</p> 2021-07-28T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Erika Rowinski https://revistas.unila.edu.br/litcomparada/article/view/2850 Resenha: ANZALDÚA, Gloria. Borderlands/La Frontera: La nueva mestiza. Trad. de Carmen Valle Simón, Madrid: Capitán Swing, 2016. 2021-05-05T21:34:30-03:00 Ana Carolina Martins dos Santos anacms.96@gmail.com <p>Trata-se de uma resenha do livro <em>Borderlands/La Frontera: La nueva mestiza</em>, de Gloria Anzaldúa, traduzido por Carmen Valle Simón, em 2016.</p> 2021-07-28T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Ana Carolina Martins dos Santos https://revistas.unila.edu.br/litcomparada/article/view/2670 O mundo da imagem: transformação de ideias icônicas e construção de uma poética 2021-02-06T16:43:37-03:00 Gisele Reinaldo da Silva giselere@gmail.com <p>Este artigo aborda a imagem como faculdade icônica do homem e elemento estético de fundamental relevância para a construção de uma poética, a partir do entendimento de que tudo que o homem testemunha o faz enquanto imagem, para, em seguida, aprofundar-se no papel da imagem em sua representatividades do ser americano moderno, através da linguagem literária inaugural da América do século XX. Pautar-nos-emos, em nossa análise qualitativa e crítica, em um levantamento bibliográfico baseado, principalmente, nas concepções teórico-críticas dos seguintes autores: Cortázar (1999), Lezama Lima (1968), Pereira (2006), Rincón (2002), Souza e Campos (2016) e Villafañe (2002). Justifica-se este estudo porque a modernidade atribui nova visão concernente ao papel da imagem, a qual passa a ser fato temático e realização estilística. O imaginário visual e coletivo são compostos por metáforas, logo, é papel destes tensionar as metáforas que conduzem o pensamento comum, criadas a partir da insistência em uma determinada imagem simbólica repetitiva, fruto da rigidez das máscaras sociais hierarquizadas e engendradas pelo senso comum. O imaginário tanto estabiliza quanto desestabiliza as forças sociais, de acordo com as imagens que logrem constituí-lo. Este estudo entende, portanto, a imagem como construção discursiva e é nesta proposta de levantamento imagético que se enquadram os poetas latino-americanos do século XX, os quais relativizam as verdades tomadas como “oficiais”, solidificadoras das raízes histórico-sociais da Conquista da América, porém, ressignificadas pelo indivíduo latino-americano contemporâneo.</p> <p>&nbsp;</p> 2021-07-28T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Gisele Reinaldo da Silva https://revistas.unila.edu.br/litcomparada/article/view/2650 Entrevista: Que história estamos escrevendo hoje como geração? Entrevista à Claudia Tangoa - diretora, dramaturga, atriz e professora peruana 2021-04-28T13:54:55-03:00 Rafa Falcão rafadasilveirafalcao@gmail.com <p><strong>Resumo: </strong>Através da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-graduação (PRPPG-UNILA) em seu programa de mobilidade acadêmica internacional (2018/2019) entre as instituições de ensino superior Universidade Federal da Integração Latino-americana (UNILA) e a Pontificia Universidad Católica del Perú (PUCP), conheci e entrevistei a jovem diretora, dramaturga, atriz e professora Claudia Tangoa. A entrevista fez parte das atividades previstas e realizadas durante o período de pesquisa de campo, compreendido de março a agosto de 2019 em Lima/Peru e integrou a dissertação de mestrado defendida no dia 31 de agosto de 2020 no Programa de Pós-graduação Interdisciplinar em Estudos Latino-americanos (PPG-IELA), sob orientação da professora doutora Débora Cota. A pesquisa intitulada <em>As disputas do enunciado testemunhal na obra de teatro documental peruana Proyecto 1980-2000, el tiempo que heredé</em> buscou compreender como o testemunho articula uma perspectiva histórica e literária sobre os processos de rememoração. Os sujeitos partícipes da peça de teatro são familiares de agentes políticos diretamente envolvidos num dos piores momentos da história recente do país, o conflito armado interno (1980/2000). Segundo Seligmann-Silva (2003), o testemunho até 1980 restringia-se aos gêneros clássicos da representação: biografia, jornalismo, etc. Consequentemente, não faz parte da sua tradição questionar os limites e possibilidades da representação, por outro lado, e, principalmente nas últimas décadas, o testemunho tem sido peça-chave em diferentes jogos e experimentações artístico-literárias e elemento fundamental na reconstrução identidária de sujeitos vítimas de violência, no caso da peça peruana, vítimas do terrorismo de Estado. Portanto, quais seriam os aportes&nbsp; que a análise do testemunho na dramaturgia latino-americana traria para ajudar a compreender este fenômeno enunciativo? Que alcances a zona cinza entre a ficção e a realidade possui no estudo do teor testemunhal, da memória, da comunidade, e da identidade? Tais indagações nortearam a pesquisa e, consequentemente, estiveram presentes na entrevista com Claudia Tangoa.</p> 2021-07-28T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 RAFAEL FALCÃO https://revistas.unila.edu.br/litcomparada/article/view/2633 Resenha: Nelson Rodrigues: Selected Plays. Tradutores: Daniel Hahn, Susannah Finzi e Almiro Andrade. Oberon Books, 2019. 2021-03-16T02:23:21-03:00 Fernanda Hamann de Oliveira fehamann@hotmail.com <p>Frequentemente apontado como o Shakespeare brasileiro, Nelson Rodrigues (1912-1980) é o nome mais importante do teatro moderno no país. Além de dramaturgo, atuou como jornalista, cronista, contista e romancista, deixando uma marca indelével na cultura e na literatura brasileiras. Seu legado, porém, se manteve encerrado às fronteiras nacionais. Mas este cenário promete mudar com a publicação de <em>Nelson Rodrigues: Selected Plays</em> (2019), uma compilação de traduções para o inglês de sete peças representativas das três vertentes da dramaturgia rodriguiana: <em>Peças Psicológicas</em>, <em>Peças Míticas</em> e <em>Tragédias Cariocas. </em>A primeira peça traduzida, <em>Vestido de noiva</em> (1943), é apontada pelos mais renomados críticos como aquela que modernizou o teatro no Brasil, ao revolucionar as concepções de tempo e espaço cênicos até então praticadas. Trata-se de uma das <em>Peças Psicológicas</em>, ao lado de <em>Valsa No. 6</em> (1951), o único monólogo escrito por Nelson. Suas <em>Peças Míticas</em>, assim chamadas por fazerem referência à mitologia grega, também contam com dois exemplares na compilação: <em>Álbum de família</em> (1945), que tece uma teia de relações familiares incestuosas à semelhança dos mitos de Édipo e de Electra, e <em>Anjo negro</em> (1946), em que uma mãe assassina seus filhos à semelhança de Medeia. Entre as chamadas <em>Tragédias Cariocas</em>, consideradas o ápice da dramaturgia rodriguiana, são três as disponíveis na seleção: <em>Perdoa-me por me traíres</em> (1957), <em>Os sete gatinhos</em> (1958) e <em>Toda nudez será castigada </em>(1965) – três tramas passionais e de forte impacto dramático, fontes de inspiração para adaptações cinematográficas muito populares entre os espectadores brasileiros. Com <em>Nelson Rodrigues: Selected Plays</em>, leitores de todo o mundo ganharam a chance de conhecer uma amostra significativa da obra deste grande dramaturgo, pela primeira vez traduzida com qualidade técnica suficiente para verter para o inglês a coloquialidade regional com que o autor trabalha temas morais e psicológicos de alcance universal.</p> <p> </p> <p> </p> <p> </p> 2021-07-28T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Fernanda Hamann de Oliveira