https://revistas.unila.edu.br/litcomparada/issue/feed Frontería - Revista do Programa de Pós-Graduação em Literatura Comparada 2020-12-21T19:45:08-03:00 Débora Cota debora.cota@unila.edu.br Open Journal Systems <h2><em>Frontería</em> - Revista do Programa de Pós-Graduação em Literatura Comparada</h2> <div id="content"> <div id="journalDescription"> <p dir="ltr">A <em>Frontería - </em>Revista do Programa de Pós-Graduação em Literatura Comparada da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA) visa ser um espaço de debate e divulgação de pesquisas comparatistas e de teorias da literatura voltadas ao âmbito latino-americano e caribenho. A revista Frontería publica, semestralmente, artigos inéditos ou tradução de textos críticos e teóricos de real interesse para a área, resenhas bibliográficas e entrevistas. Os textos podem ou não ser agrupados em dossiê temático que concentre discussões contemporâneas de interesse na América Latina e Caribe. </p> <p><span id="docs-internal-guid-32f23eae-7fff-4a66-dd82-c9ea18d85eaa">A revista Frontería está aberta a contribuições de pesquisadores(as) oriundos(as) de instituições nacionais e internacionais, latino-americanos ou não. Seu conteúdo é de acesso livre e os textos submetidos passam por um processo de análise por pares, ou seja, serão lidos por pelo menos dois consultores ad hoc, escolhidos entre especialistas da área.</span></p> <p align="justify">O título <em>Frontería </em>está proposto desde um entendimento da fronteira como contato, expansão, movimento. Ou seja, se refere ao deslocamento de uma acepção que propõe delimitações prévias, fixações, lugares estanques, como prevê Abril Trigo ao sugerir o termo, em seu já conhecido artigo Fronteras de la epistemología: epistemologias de la frontera, (1997). Sendo assim, o título se ajusta ao lugar desde o qual é produzida esta publicação, a região da fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina, especialmente pela necessidade a ele inerente, de constantemente (re)elaborar, discutir, por em questão as fronteiras.</p> <p align="justify">*Gostaríamos de agradecer aos mestrandos do PPGLC pela contribuição à construção da identidade da revista: a Daniela Serna e Libia Castañeda pela criação da imagem do site e a Luciano Dutra Miguel pela proposta de título. </p> <div> </div> </div> </div> https://revistas.unila.edu.br/litcomparada/article/view/2665 Dossiê - Espaços da literatura na América Latina 2020-12-21T17:04:07-03:00 Mariana Cortez mariana.cortez@unila.edu.br Renata Junqueira de Souza recellij@gmail.com Natalia Duque Cardona natalia.duque@udea.edu.co <p>Apresentação do dossiê.</p> 2020-12-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Mariana Cortez, Renata Junqueira de Souza, Natalia Duque Cardona https://revistas.unila.edu.br/litcomparada/article/view/2409 El mundo de la vida y la biblioteca pública: una mirada desde la literatura y sus diversos modos de aparecer 2020-09-09T19:17:39-03:00 Paola Isabel Roa Urrego proa@bibliotecanacional.gov.co <p><span>En este artículo se aborda el problema de la <strong>biblioteca pública</strong> y su relación con la razón instrumental y las formas de conocimiento occidental frente a otros modos de relación y conocimiento de la realidad más propios del ámbito latinoamericano, a través del análisis de una cuestión concreta: la transformación de la noción de <strong>literatura </strong>en diferentes prácticas bibliotecarias de la Red Nacional de Bibliotecas Públicas de Colombia (RNBP), particularmente su emancipación del soporte escrito como única posibilidad. Desde la perspectiva epistemológica que nos brinda el concepto de <strong>Mundo de la vida</strong>, y en diálogo con las reflexiones y experiencias de bibliotecarios y promotores de lectura de la RNBP, se explora esta transformación en el reconocimiento de la literatura como campo simbólico para la construcción de mundo y en sus relaciones con la <strong>escritura</strong>, la <strong>oralidad</strong><em> </em>y las prácticas de <strong>mediación-transmisión </strong>cultural. A la vez, propone algunos campos de sentido para el estudio y la reflexión bibliotecaria desde los que se enriquezca este proceso iniciado en la práctica. </span></p> 2020-12-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Paola Isabel Roa Urrego https://revistas.unila.edu.br/litcomparada/article/view/2309 O Papel da Biblioteca Escolar na Sociedade da Informação: Proposituras Democráticas e Coletivas para as Bibliotecas Escolares de Rio Verde – GO 2020-09-30T14:25:58-03:00 Leonardo Montes Montes Lopes leonardomontes09@hotmail.com Renata Junqueira Souza recellij@gmail.com <p>Este artigo é parte do resultado de pesquisa de doutorado e apresenta o papel da biblioteca escolar e propostas para um funcionamento eficaz das bibliotecas da rede municipal de ensino de Rio Verde – GO. O mesmo tem como embasamento teórico, autores como: Abreu, Bakhtin, Campello, Silva, Zilberman, dentre outros. O texto aponta que as bibliotecas escolares de Rio Verde necessitam de investimentos na qualificação dos professores que atuam nesses espaços, e que é importante o envolvimento da comunidade e do poder público no sentido de ampliar e fortalecer esses ambientes por meio de projetos e políticas eficazes que objetivem o acesso à leitura e a informação, além de atividades voltadas para a formação de leitores por meio de mediadores qualificados, estratégias de mediação, e a importância da coletividade entre as bibliotecas em busca da consolidação da formação leitora. O texto também aponta para a necessidade de investimentos na infraestrutura das biblioteca escolares, além da aquisição de livros e equipamentos que viabilizem o funcionamentos desses espaços com mais qualidade, com vistas na formação leitora dos frequentadores das bibliotecas, tudo em prol da coletividade e da apropriação das práticas de leitura, o que consolida e fortalece o ambiente da biblioteca escolar, na formação de leitores críticos e reflexivos.</p><p><strong>Palavras-chave: </strong>Biblioteca escolar. Leitura. Proposituras.</p> 2020-12-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Leonardo Montes Montes Lopes, Renata Junqueira Souza https://revistas.unila.edu.br/litcomparada/article/view/2374 A leitura em/de uma biblioteca escolar em La Habana 2020-10-29T02:27:59-03:00 Naiane Carolina Menta Tres naianementa@gmail.com Elisa Maria Ficanha Furlan elisaf.letras@gmail.com <p>Resumo: O presente artigo consiste na análise de uma biblioteca escolar de La Habana, Cuba, por meio da entrevista com a bibliotecária responsável e do referencial teórico organizado. A proposta de pesquisa surgiu através de uma viagem para o país, incluindo uma visita ao espaço escolar, no primeiro semestre de 2018. A temática se justifica pelo interesse no divulgado bom desempenho educacional de Cuba e na oportunidade de aprofundar o conhecimento de mediação leitora em um país pictórico. Para a realização da análise, levou-se em conta o relato da visita e a entrevista realizada com a mediadora de leitura, bem como algumas considerações em torno do sistema educacional cubano e seu histórico, a fins complementares. Os resultados permitiram identificar que o acervo da biblioteca escolar localizada em La Habana é composto por número considerável de livros didáticos e literários, além de apresentar outros materiais como cartazes temáticos, revistas, mapas, entre outros. O empréstimo de acervos é aberto a comunidade, sem cobrança de multa por atrasos ou falta de devolução; há um incentivo institucional para que a família seja inserida no sistema educacional - sobretudo no caso dos alunos menores-, e a leitura assume o aspecto socializador e de comprometimento com a formação leitora, considerando as observações realizadas.</p><p> </p><p>Palavras-chave: Leitura, Biblioteca escolar, Mediação leitora.</p> 2020-12-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Naiane Carolina Menta Tres, Elisa Maria Ficanha Furlan https://revistas.unila.edu.br/litcomparada/article/view/2391 Experiências de leitura compartilhada como prática de liberdade cultural em territórios populares 2020-08-26T19:58:53-03:00 Renata Toigo renata.toigo@edu.pucrs.br <p class="normal">Entendendo leitura e a escrita como direitos humanos essenciais para a conscientização e o fortalecimento dos sujeitos, o presente texto pretende trazer experiências de leitura compartilhada dos Clubes de Leitura desenvolvidos em territórios populares, as bibliotecas comunitárias do Centro de Integração de Redes Sociais e Culturas Locais - Cirandar. Um projeto de leitura destinado a adolescentes empobrecidos de territórios populares em Porto Alegre. Estudiosos como Freire (1989), Petit (2009, 2013), Colomer (2005) nos ajudam a confirmar o papel preponderante da leitura e da escrita na formação social e política desse público. As iniciativas dos Clubes de Leitura, desenvolvidas nas bibliotecas comunitárias, espaços de educação popular, a partir dos princípios de Paulo Freire, contribuem para a emancipação dos sujeitos que atravessam suas portas, não somente porque concedem o acesso ao saber, mas porque permitem a apropriação de bens culturais que auxiliam na construção de si mesmos e na abertura para o outro. Dessa forma, a leitura da literatura considerada uma prática de liberdade cultural, promovida em espaços populares e atendendo os que são deixados às margens da sociedade, é compreendida não como forma de resolver todos os problemas, mas como forma de fortalecimento para enfrentar a luta pelos seus direitos.</p> 2020-12-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Renata Toigo https://revistas.unila.edu.br/litcomparada/article/view/2371 Espacios colaborativos en sectores populares de Bogotá 2020-11-09T13:07:22-03:00 Edwin Muñoz Guerra ikaro254@gmail.com Desde el surgimiento de la de cultura underground en los años 60, los espacios que se dedican al trabajo cultural han visto cómo sus dinámicas se vienen transformando para brindar una respuesta alternativa a los retos que plantea la globalización y las nuevas tecnologías, que han abierto posibilidades para que las comunidades asuman un rol mucho más activo en los procesos creativos y en sus propios desarrollos económicos. Los centros culturales han adoptado dinámicas orientadas a la promoción del sentido cooperativo y han encontrado en ello, elementos importantes de cohesión que fortalecen los procesos de reconstrucción de tejido social. 2020-12-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Edwin Muñoz Guerra https://revistas.unila.edu.br/litcomparada/article/view/2348 Uni, duni, tê, o escolhido foi você: seleção de obras literárias na educação infantil 2020-11-06T16:24:33-03:00 Zélia Inez Lazaro Rodrigues zeliailr@gmail.com Andreia dos Santos Oliveira andreia.oliveira@ifro.edu.br Cyntia Graziella Guizelim Simões Girotto cyntiaunespmarilia@gmail.com <p>Pretendemos neste artigo discutir critérios necessários para a escolha de livros de Literatura Infantil para as crianças, pois acreditamos que esta seleção não pode ser aleatória, mas firmada em conhecimentos que nos ajudem a escolher obras que possam contribuir tanto com a formação do leitor literário quanto na constituição humana. Para elaborar o texto aqui apresentado realizamos pesquisas bibliográficas em autores que discutem aspectos a serem considerados na escolha dessas obras a exemplo de Linden (2018), Coelho (2000), Faria (2016), Feba e Valente (2016) entre outros. Os estudos apontam que muitos são os critérios que devem ser analisados desde as características do texto literário até as suas dimensões material, verbal e não verbal.</p> 2020-12-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Zélia Inez Lazaro Rodrigues, Andreia dos Santos Oliveira, Cyntia Graziella Guizelim Simões Girotto https://revistas.unila.edu.br/litcomparada/article/view/2666 Frontería - Expediente 2020-12-21T18:57:26-03:00 Debora Cota debora.cota@unila.edu.br <p><strong>EXPEDIENTE</strong></p> <p><strong>Editora:</strong> Débora Cota</p> <p>Bolsista: Julia Pereira Matias</p> <p> </p> <p><strong>Editores de textos</strong>:</p> <p>Antonio Rediver Guizo</p> <p>Cledison Ignacio</p> <p>Cristina Tori</p> <p>Julia Pereira Matias</p> <p><strong> </strong></p> <p><strong>Colaboradores do primeiro número</strong></p> <p><em>Organizadoras do dossiê</em></p> <p>Mariana Cortez</p> <p>Renata Junqueira Souza</p> <p>Natalia Duque Cardona</p> <p> </p> <p><em>Colaboradores da organização da Seção Livre</em></p> <p>Leo Name</p> <p>Tereza Spyer</p> <p>Alfredo Nava Sanches</p> <p> </p> <p><em>Colaboradores da elaboração da revista no sistema</em></p> <p>Cristoffer Vizcarra Cortina</p> <p>Daniela Serna</p> <p>Julia Pereira Matias</p> <p>Libia Castañeda</p> <p>Luciano Dutra Miguel</p> <p> </p> <p> </p> <p> </p> 2020-12-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Debora Cota https://revistas.unila.edu.br/litcomparada/article/view/1967 O delírio de Descartes no Catatau de Paulo Leminski 2020-08-12T17:13:37-03:00 Danilo Bernardes Teixeira danislau@gmail.com <p>Este artigo busca investigar o aspecto decolonial de <em>Catatau</em>, romance de estreia do escritor paranaense Paulo Leminski, lançado em 1975. No romance, uma única situação cênica se apresenta: postado sob uma árvore do Jardim Botânico de Recife, René Descartes, funcionário do Príncipe Maurício de Nassau, incapaz de aplicar sua lógica cartesiana aos (para ele monstruosos) seres da natureza brasileira, produz um discurso delirante, claramente anticartesiano. De uma forma geral, este artigo volta-se para uma investigação a respeito dos desdobramentos e repercussões gerados pelo contraste entre tais lógicas: de um lado, o pensamento cartesiano do Descartes da história da filosofia; de outro, o pensamento anticartesiano do Descartes de Paulo Leminski. Na medida em que se admite a (ainda que fictícia) presença do filósofo no Brasil como índice de um projeto de colonização – no caso, imposto pela Holanda –, o artigo considera a hipótese de que a experiência de Descartes nos trópicos, bem como o discurso que produz em terras brasileiras, se apresente como uma alegórica representação de um processo de decolonização, através do qual a realidade brasileira não apenas se revela esquiva à imposição de uma quadratura europeia como também demonstra capacidade de perturbar os aspectos ontológicos e discursivos do colonizador que desejasse submetê-la.</p><p> </p><p>Palavras-chave: Leminski; Catatau; Descartes; decolonização; literatura brasileira</p> 2021-01-25T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Frontería - Revista do Programa de Pós-Graduação em Literatura Comparada https://revistas.unila.edu.br/litcomparada/article/view/1991 Os olhos d’água e as insubmissas lágrimas de Conceição Evaristo: marcas de violência em contos afro-brasileiros 2020-08-12T17:14:09-03:00 Rodrigo Nunes de Souza nunnes-rodrigo@hotmail.com Em textos de autoria feminina negra, vê-se que, por meio da escrita, consegue-se problematizar os espaços restritos que foram ‘’pré-concebidos’’ a essas mulheres que, dia após dia, lutam para adquirirem o devido reconhecimento. Esse artigo destaca como a escritora Conceição Evaristo utiliza-se da <em>escrevivência</em> para tratar temas relacionados à condição feminina e à violência às mulheres negras nos contos ‘’Ana Davenga’’, ‘’Duzu-Querença’’ e ‘’Natalina Soledad’’, narrativas presentes nos livros <em>Olhos d’Água</em> (2014) e <em>Insubmissas lágrimas de mulheres</em> (2016). Constata-se que o gênero conto age como uma forma de denúncia encontrada pela autora para tornar visíveis as questões acima mencionadas. 2020-12-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Frontería - Revista do Programa de Pós-Graduação em Literatura Comparada https://revistas.unila.edu.br/litcomparada/article/view/1961 A sobrevivência de uma raça: os mestiços no projeto estético de José Vasconcelos 2020-08-12T17:14:46-03:00 Leonardo Bento de Andrade andradelb@hotmail.com O presente artigo tem como objetivo traçar paralelos entre o ensaio “La Raza Cósmica (1925)”, do escritor e educador José Vasconcelos, e seis obras relacionadas ao movimento muralista mexicano. Vasconcelos foi Ministro de Educação Pública entre 1921 e 1924 e foi o principal responsável pela criação do Muralismo. Como ministro, comissionou pintores como Diego Rivera, José Orozco e Roberto Montenegro a cobrir as paredes das instituições públicas mexicanas com temas nacionalistas ligados ao passado, presente e futuro do México pós-revolucionário. “La Raza Cósmica” foi escrito durante a fase em que Vasconcelos estava à frente do Muralismo e, nesse período, tomou a figura do mestiço como central em sua narrativa, atribuindo a ele e à mistura das raças presentes na América Ibérica um caráter messiânico-redentor. Pelo mestiço não só o México, mas toda a humanidade prosperaria. Assim, a mestiçagem surge em murais como em <em>La Creación </em>(1922), <em>La unión de la América Latina</em> (1924), <em>Cortés y la Malinche</em> (1926), <em>La Unión</em> (1928), <em>Encuentro de dos culturas o El mestizaje</em> (1993) e na série de quatro painéis de Manuel Centurión (1922), permanecendo por vários anos, mesmo após a saída de Vasconcelos do cargo. Por fim, essa análise será guiada pelas discussões acerca de raça e mestiçagem presentes nos trabalhos de Glória Anzaldúa, Franz Fanon e Achille Mbembe. 2020-12-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Frontería - Revista do Programa de Pós-Graduação em Literatura Comparada https://revistas.unila.edu.br/litcomparada/article/view/2367 Historias verdaderas- o no- sobre la experiencia emocional y corporal de la otredad: los contactos entre indios y españoles, previos a la gran guerra en México Tenochtitlan 2020-08-12T17:11:06-03:00 Estela Roselló estela.rosello@gmail.com <p style="margin-bottom: 0cm; line-height: 100%;" align="justify"><span style="font-family: Times New Roman, serif;"><span lang="es-ES">Este artículo tiene el propósito de reflexionar en torno a la historia de las emociones y del cuerpo de los primeros contactos entre indios y españoles antes de la guerra de México Tenochtitlan en 1519. Su objetivo es enfatizar en la importancia que tuvieron los instantes de encuentro con la otredad, entre pueblos cuyos universos emotivos y corporales obedecieron a sistemas culturales distintos.</span></span></p> 2020-12-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Estela Roselló https://revistas.unila.edu.br/litcomparada/article/view/1959 José María Vergara y Vergara y las vindicaciones literarias del Salto de Tequendama en la prensa periódica del siglo XIX 2020-08-12T17:15:01-03:00 Diego Chozas Ruiz-Belloso diego.belloso@unila.edu.br César Augusto Espitia Pedreros cae.pedreros.2019@aluno.unila.edu.br <p>En la segunda mitad del siglo XIX, José María Vergara y Vergara y otros escritores afines a él estética e idelógicamente, preocupados con la imagen exterior de Colombia, escogieron el Salto de Tequendama como objeto de sus obras con la intención de transformarlo en símbolo nacional, retratándolo desde el prisma del Romanticismo en diversas publicaciones periódicas de la época.</p> 2020-12-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Frontería - Revista do Programa de Pós-Graduação em Literatura Comparada