https://revistas.unila.edu.br/tekoa/issue/feed TEKOA 2022-09-28T20:50:45-03:00 Conselho Editorial tekoa.unila@gmail.com Open Journal Systems <p align="justify"><span style="font-size: large;">A <strong>TEKOA</strong></span><span style="font-size: large;"> (ISSN: 2764-8893) </span><span style="font-size: large;">é uma iniciativa discente vinculada ao Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal da Integração Latino-americana (PPGHIS/UNILA). A palavra </span><em><span style="font-size: large;">Tekoa </span></em><span style="font-size: large;">é de origem Guarani (mbyá e ñandeva), língua que pertence à família linguística Tupi-Guarani (tronco macro-Tupi) e significa o lugar onde se vive conforme o sistema social dos povos Guarani. Os modos de ser, saber e poder Guarani, além da elaboração de seus territórios, fazem parte de uma cosmologia marcada em diversas regiões da Argentina, Bolívia, Brasil, Paraguai e Uruguai.</span></p> <p align="justify"><span style="font-size: large;">Explorando as interações e conexões com outros contextos do Sul global, a revista propõe a construção de um espaço de difusão cultural e acadêmica sem fronteiras para a circulação dos olhares, saberes, domínios, práticas e sociabilidades presentes na América Latina e Caribe. Sua perspectiva é, portanto, transdisciplinar, transnacional, conectada com outros mundos e realidades Sul-Sul, através do tempo e do espaço.</span></p> <p align="justify"><span style="font-size: large;">Assim como a História, a <strong>TEKOA</strong></span><span style="font-size: large;"> estabelece diálogos com diferentes campos disciplinares, aberta às contribuições de todas as áreas das humanidades e ciências sociais. Orientada para publicações semestrais, recebemos artigos, ensaios, entrevistas, resenhas, produções artísticas e fontes primárias circunstanciadas em fluxo contínuo, sempre em caráter inédito, inaudito e original, capaz de relacionar questões referentes a espaços e temporalidades diversas.</span></p> https://revistas.unila.edu.br/tekoa/article/view/3730 VINCK, D. Humanidades Digitales. La Cultura frente a las nuevas tecnologías. Barcelona: Gedisa, 2018, 157 p. 2022-09-21T15:32:56-03:00 Leticia Tobalina-Pulido leticia.tobalina@casadevelazquez.org 2022-09-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Leticia Tobalina-Pulido https://revistas.unila.edu.br/tekoa/article/view/3732 HOFMAN, C.; ANTCZAK, A. T. Early Settlers of the Insular Caribbean: Dearchaizing the Archaic. Leiden: Sidestone Press, 2019, 320 p. 2022-09-21T15:37:25-03:00 Diego Vargas Peláez diegovargas1995@gmail.com 2022-09-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Diego Vargas Peláez https://revistas.unila.edu.br/tekoa/article/view/3714 Presentación 2022-09-21T11:23:41-03:00 Consejo Editorial Consejo@gmail.com 2022-09-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Julimar del Carmen Mora Silva https://revistas.unila.edu.br/tekoa/article/view/2982 Planejando a nova sociedade 2021-11-12T18:48:27-03:00 Agustin Casanova uruagustin@gmail.com <p>Este artigo aborda a noção de saúde pública no pensamento de Fidel Castro Ruz no período 1963-1969, anos em que se discutiu profundamente o papel que deveria ser atribuído à lei do valor e ao mercado nas condições do socialismo. O objetivo principal é analisar a noção de saúde pública do líder cubano, a fim de contribuir para um aprofundamento de sua teoria da superação do socialismo no comunismo que permita compreender seu lugar no debate dos anos sessenta. Para lho conseguir, é realizada uma análise crítica do discurso, tomando como fonte primária os discursos proferidos em eventos públicos entre 1963 e 1969. Como resultado, observa-se uma conceição de saúde pública que, fortemente influenciada por uma visão humanista do marxismo, abrange quase todas as dimensões da vida social, servindo como um modelo de transição não mercantil para o comunismo. Pode-se concluir que, em primeiro lugar, sua noção de saúde pública é vigente, embora esteja sujeita à questão do socialismo por ser indissociável de sua ideologia, e que, em segundo lugar, a síntese realizada em torno à saúde serve para colocar Fidel Castro no debate dos anos 60 - especificamente contra o libermanismo pró-mercantil que dominou o socialismo europeu após a desestalinização -.</p> 2022-09-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Agustin Casanova https://revistas.unila.edu.br/tekoa/article/view/3137 Vulnerabilidade socioeconômica de migrantes e refugiados no Brasil em meio a pandemia do Covid-19 2021-12-20T15:48:17-03:00 Eduarda Maize Weber webereduardam@hotmail.com <p><span style="font-weight: 400;">Em momentos de crise, se torna ainda mais necessária a presença de mecanismos de inclusão e solidariedade para que os direitos humanos sejam garantidos. Deste modo, o presente artigo tem o objetivo de relatar, de forma exploratória, os impactos da pandemia de COVID-19 nos fluxos de migração e refúgio no Brasil. Pretende-se com essa análise, contribuir para o entendimento de como a população migrante foi afetada, desde os projetos migratórios para o país, até sua capacidade de integração, buscando contribuir para o urgente debate acerca da proteção de imigrantes e refugiados diante da pandemia. Para construção deste trabalho foram realizadas revisões bibliográficas de livros, artigos científicos, jornais de ampla circulação, Leis e Diretrizes, bem como dados disponíveis pelos órgãos da Polícia Federal, Sistema de Tráfego Internacional - Medidas de Alertas e Restrições Ativas (STI-MAR), Observatório das Migrações Internacionais (OBMigra), e a Coordenação-Geral do Comitê Nacional para os Refugiados (CG-Conare).&nbsp; Os resultados mostram que a economia solidária é um fator importante para o enfrentamento dessa realidade, pois com a violação e falta de leis de inclusão e&nbsp; garantia dos direitos do migrante e refugiado, somada com a falta de renda, emprego, saúde e moradia, essas pessoas que já se encontravam em situação&nbsp; de vulnerabilidade antes da pandemia,&nbsp; tem a situação agravada,&nbsp; dependendo de doações para obter o mínimo necessário para sobrevivência.</span></p> 2022-09-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 EDUARDA MAIZE WEBER https://revistas.unila.edu.br/tekoa/article/view/3719 Resistências indígenas durante a pandemia 2022-09-21T11:33:54-03:00 Clovis Brighenti clovis.brighenti@unila.edu.br 2022-09-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Clovis Brighenti https://revistas.unila.edu.br/tekoa/article/view/3724 Movimientos sociales y resistencias durante la pandemia: el caso andino 2022-09-21T11:46:54-03:00 Tereza Spyer terezaspyer@gmail.com 2022-09-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Tereza Spyer https://revistas.unila.edu.br/tekoa/article/view/3726 A tomada da Palestina: um projeto colonial contemporâneo 2022-09-21T11:57:50-03:00 Ualid Rabah UalidRabah@gmail.com 2022-09-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Ualid Rabah https://revistas.unila.edu.br/tekoa/article/view/3721 O que está acontecendo em Cuba? 2022-09-21T11:39:33-03:00 Valter Pomar pomar.valter@gmail.com 2022-09-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Valter Pomar