O METILFENIDATO EM ESTUDOS PUBLICADOS NO BRASIL

Maycon Hoffmann Cheffer, Rosa Maria Rodrigues, Solange de Fátima Reis Conterno

Resumo


Nos últimos anos tem-se evidenciado o aumento da comercialização e uso de medicamentos das mais variadas formulações para tratar todo e qualquer distúrbio, seja ele biológico ou social. O uso excessivo de medicamentos tem gerado um fenômeno crescente caracterizando como medicalização da vida, movimento que afeta diretamente o modo de ser a agir dos indivíduos. Método: Trata-se de uma revisão integrativa de literatura cujo objetivo foi investigar a abordagem dos estudos científicos brasileiros sobre o metilfenidato, medicamento utilizado em larga escala para tratar o Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH). Os critérios de inclusão foram artigos completos disponíveis na íntegra com acesso livre em meio eletrônico para download, nos idiomas espanhol, inglês e português, no período de janeiro de 2005 a abril de 2016 no sistema de seleção e busca de artigos da Biblioteca Virtual em Saúde (BVS). Resultados: Foram 50 artigos analisados, 20 (40%) eram pesquisas que tratavam do metilfenidato relacionado ao uso com seres humanos, 23 (46%) eram revisões de literatura e 7 (14%) pesquisas experimentais com animais. Conclusão: A produção científica no Brasil acerca do metilfenidato tem divulgado mais resultados de pesquisas de revisões, em seguida o uso com seres humanos e por fim, pesquisas experimentais com animais. Tanto estudos com humanos, as revisões de literatura e os estudos com animais são inconclusivos ou deixam margens para questionar suas conclusões. Este achado deve alertar para a definição ou utilização de critérios diagnósticos e políticas públicas bem criteriosas para uso e dispensação do metilfenidato porque senão a área da saúde e educação podem, por meio dessas políticas acabarem contribuído cada vez mais com a medicalização, uma vez que os resultados alertam para o abuso da utilização do metilfenidato o qual está abrangendo outras patologias e outros interesses que não estão restritos apenas ao tratamento do TDAH.

Palavras-chave


Medicalização, Metilfenidato, Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade

Texto completo:

PDF

Referências


BARROS, D.; ORTEGA, F. Metilfenidato e aprimoramento cognitivo farmacológico: representações sociais de universitários. Saude soc, São Paulo, v. 20, n. 2, p. 350-362, jun. 2011. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

BATISTELA, S. et al. Methylphenidate as a cognitive enhancer in healthy young people. Dement. neuropsychol, São Paulo, v.10, n. 2, p.134-142, jun. 2016. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

BIANCHI, E. et al. Medicalización más allá de los médicos: marketing farmacéutico en torno al trastorno por déficit de atención e hiperactividad en Argentina y Brasil (1998-2014). Saude soc., São Paulo, v. 25, n. 2, p. 452-462, jun. 2016. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

BLASCO, P. G.; LEVITES, M. R.; MÔNACO, C. Metilfenidato e agentes hematopoiéticos são úteis na fadiga relacionada ao câncer. Sociedade Brasileira de Medicina de Família (Sobramfa). São Paulo, v.14, n. 2, p. 78-79, 2009. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

BOECK, C. R. et al. Early long-term exposure with caffeine induces cross-sensitization to methylphenidate with involvement of DARPP-32 in adulthood of rats. Neurochemistry International, v. 55, n. 5, p. 318-322, set. 2009. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

BRANT, L. C.; CARVALHO, T. R. F. Metilfenidato: medicamento gadget da contemporaneidade. Interface (Botucatu), Botucatu, v.16, n. 42, p. 623-636, set. 2012. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

BRITO, M. A. Medicalização da vida: ética, saúde pública e indústria farmacêutica. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 17, n. 9, p. 2554-2556, set. 2012. Disponível em: . Aceso em: 12 abr. 2017.

BRUXEL, E. M. et al. Association of a carboxylesterase 1 polymorphism with appetite reduction in children and adolescents with attention-deficit/hyperactivity disorder treated with methylphenidate. The Pharmacogenomics Journal, v. 13, n. 5, p. 476-480, oct. 2013. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

BRZOZOWSKI, F. S.; DIEHL, E. E. Transtorno de déficit de atenção/hiperatividade: o diagnóstico pode ser terapêutico? Psicol. estud, Maringá, v. 18, n. 4, p. 657-665, dez. 2013. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

BVS. Portal Regional da BVS. 2018. Disponível em: . Acesso em: 13 abr. 2017.

CALIMAN, L. V.; DOMITROVIC, N. Uma análise da dispensa pública do metilfenidato no Brasil: o caso do Espírito Santo. Physis, Rio de Janeiro, v. 23, n. 3, p. 879-902, set. 2013. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

CALIMAN, L. V; RODRIGUES, P. H. P. A experiência do uso de metilfenidato em adultos diagnosticados com TDAH. Psicol. Estud, Maringá, v.19, n. 1, p. 125-134, mar. 2014. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

CALIMAN, L.V.; RODRIGUES, P.H.P. A experiência do uso de metilfenidato em adultos diagnosticados com TDAH. Psicol. Estu, Maringá, v. 19, n. 1, p. 125-134, 2014. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

CAMARGOS JR. W.; NICOLATO, R. Características das prescrições no transtorno de déficit de atenção/hiperatividade. J. bras. psiquiatr, Rio de Janeiro, v. 58, n. 3, p. 195-199, 2009. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

CAMPOS, M. P. O. et al. Fadiga relacionada ao câncer: uma revisão. Rev. Assoc. Med. Bras, São Paulo, v. 57, n. 2, p. 211-219, abr. 2011. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

CARVALHO, N. G.; NOVELLI, C. V. L.; COLELLA-SANTOS, M. F. Fatores na infância e adolescência que podem influenciar o processamento auditivo: revisão sistemática. Rev. CEFAC, São Paulo, v. 17, n. 5, p. 1590-1603, out. 2015. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

CAVADAS, M.; PEREIRA, L. D.; MATTOS, P. Efeito do metilfenidato no processamento auditivo em crianças e adolescentes com transtorno do déficit de atenção/hiperatividade. Arq. Neuro-Psiquiatr, São Paulo, v. 65, n. 1, p. 138-143, mar. 2007. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

CFP. Conselho Federal de Psicologia. Subsídios para a campanha a não à medicalização da vida medicalização de educação. Buenos Aires, 2011. Disponível em: . Aceso em: 12 abr. 2017.

DAMIANI, D.; DAMIANI, D.; CASELLA, E. Hiperatividade e déficit de atenção: o tratamento prejudica o crescimento estatural? Arq Bras Endocrinol Metab, São Paulo, v. 54, n. 3, p. 262-268, mar. 2010. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

FINGER, G.; SILVA, E. R.; FALAVIGNA, A. Use of methylphenidate among medical students: a systematic review. Rev. Assoc. Med. Bras, São Paulo, v. 59, n. 3, p. 285-289, jun. 2013. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

FONSECA, M. F. B. C.; MUSZKAT. M.; RIZUTTI. S. Transtorno do déficit de atenção e hiperatividade na escola: mediação psicopedagógica. Rev. Psicopedagogia, São Paulo, v. 29, n. 90, p. 330-339, 2012. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

FRANCA, M. T. B. Transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH): ampliando o entendimento. J. psicanal, São Paulo, v. 45, n. 82, p.191-207, jun. 2012. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

FREESE, L. et al. Non-medical use of methylphenidate: a review. Trends Psychiatry Psychother, Porto Alegre, v. 34, n. 2, p.110-115, 2012. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

GOMES, K. M. et al. Evaluation of light/dark cycle in anxiety- and depressive-like behaviors after regular treatment with methylphenidate hydrochloride in rats of different ages. Rev. Bras. Psiquiatr, São Paulo, v. 33, n. 1, p. 55-58, mar. 2011. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

GUIMARÃES, A.P. et al. MAOA is associated with methylphenidate improvement of oppositional symptoms in boys with attention deficit hyperactivity disorder. Int J Neuropsychopharmacol, v.12, n. 5, p.709-14, jun. 2009. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

HARAYAMA, R. et al. Nota técnica o consumo de psicofármacos no Brasil dados do sistema nacional de gerenciamento de produtos controlados Anvisa (2007-2014). jun. 2015. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

ILLICH, I. (1975). A expropriação da saúde: Nêmesis da medicina. (3º ed.). Rio de Janeiro: Nova Fronteira.

ITABORAHY, C.; ORTEGA, F. O metifenidato no Brasil: uma década de publicações. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v.18, n. 3, p. 803-816, mar. 2013. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

JABOINSKI, J. et al. Exposure to methylphenidate during infancy and adolescence in non-human animals and sensitization to abuse of psychostimulants later in life: a systematic review. Trends Psychiatry Psychother, Porto Alegre, v. 37, n. 3, p. 107-117, sept. 2015. Disponível em: . Acesso em:12 abr. 2017.

JUSTO, C.C. et al. Repeated exposure of adolescent rats to oral methylphenidate does not induce behavioral sensitization or cross-sensitization to nicotine. Braz J Med Biol Res, Ribeirão Preto, v. 43, n. 7, p. 651-656, jul. 2010. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

JUSTO, L. P. et al. Kleine-Levin syndrome: interface between neurology and psychiatry. Arq. Neuro-Psiquiatr, São Paulo, v. 65, n. 1, p. 150-152, mar. 2007. Available from: . Acesso em: 12 abr. 2017.

KONESKI, J. A. S.; CASELLA, E. B. Attention deficit and hyperactivity disorder in people with epilepsy: diagnosis and implications to the treatment. Arq. Neuro-Psiquiatr, São Paulo, v. 68, n. 1, p. 107-114, fev. 2010. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

LIMA, K. S. et al. Efeitos do metilfenidato sobre as glândulas salivares maternas de camundongos. Rev. odontol. UNESP, Araraquara, v. 45, n. 6, p. 316-321, dez. 2016. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

LOUTFI, K. S.; CARVALHO, A. M. Possíveis interfaces entre TDAH e epilepsia. J. bras. psiquiatr, Rio de Janeiro, v. 59, n. 2, p. 146-155, 2010. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

LOUZA, M. R.; MATTOS, P. Questões atuais no tratamento farmacológico do TDAH em adultos com metilfenidato. J. bras. psiquiatr, Rio de Janeiro, v. 56, supl. 1, p. 53-56, 2007. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

MAIA, C. R. et al. The Brazilian policy of withholding treatment for ADHD is probably increasing health and social costs. Rev. Bras. Psiquiatr, São Paulo, v. 37, n. 1, p. 67-70, mar. 2015. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

MATTOS, P.; ROHDE, L. A.; POLANCZYK, G. V. O TDAH é subtratado no Brasil. Rev. Bras. Psiquiatr. São Paulo, v. 34, n. 4, p. 513-514, dez. 2012. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

MELNYK, B. M, FINEOUTOVERHOLT E. Evidence-based practice in nursing & healthcare: a guide to best practice. Philadelphia: Lippincot Williams & Wilkins; 2005 [Internet]. 2006; p. 3-24. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2018.

MENDES, K. D. S.; SILVEIRA, R. C. C. P.; GALVAO, C. M. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto contexto - enferm, Florianópolis, v. 17, n. 4, p. 758-764, dez. 2008. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

MENEGASSI, M. et al. Food intake and serum levels of iron in children and adolescents with attention-deficit/hyperactivity disorder.Rev. Bras. Psiquiatr, São Paulo, v. 32, n. 2, p. 132-138, jun. 2010. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

NETO, F. K.; SANTOS, R. A. N. TDA/H e o neurocentrismo: reflexões acerca dos sintomas de desatenção e hiperatividade e seu lugar no registro das bioidentidades. Revista do NESME, v.10, n. 1, p. 1-44. 2013. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

OLIVEIRA, J. M. et al. Lithium and methylphenidate: opposite effects on perirenal brown fat. Rev. psiquiatr. Rio Gd. Sul, Porto Alegre, v. 32, n. 2, p. 35-37, 2010. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

ORTEGA, F. et al. A ritalina no Brasil: produções, discursos e práticas. Interface (Botucatu), Botucatu, v. 14, n. 34, p. 499-512, set. 2010. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

PALÁCIO, S. G.; OCHI, N. O.; VIEIRA, G. L. Efeitos do metilfenidato no desempenho motor de crianças com TDAH. Revista Saúde e Pesquisa, Maringá, v. 9, n. 1, p. 93-99, jan./abr. 2016. Disponível em:. Acesso em: 12 abr. 2017.

PASSOS, R. B. F.; LOPEZ, J. R. R. A. Síndrome de Gilles de la Tourette associada ao transtorno de déficit de atenção com hiperatividade: resposta clínica satisfatória a inibidor seletivo da recaptura de serotonina e metilfenidato.J. bras. psiquiatr, Rio de Janeiro, v. 59, n. 2, p. 160-162, 2010. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

PEREIRA, M. S. et al. Long Withdrawal of Methylphenidate Induces a Differential Response of the Dopaminergic System and Increases Sensitivity to Cocaine in the Prefrontal Cortex of Spontaneously Hypertensive Rats. journal.pone, v. 28, n. 10, p. 2-18, oct. 2015. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

PEREZ, E. B. et al. Comorbilidad trastorno por déficit de atención con hiperactividad (tdah) y epilepsia. REV MED HONDUR, México, v. 78, n. 2, p. 83-90, 2010. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

PERINI, E. et al. Prescription, dispensation and marketing patterns of methylphenidate. Rev. Saúde Pública, São Paulo, v. 48, n. 6, p. 873-880. dez. 2014. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

persistence is enhanced by delayed posttraining methylphenidate administration. PNAS Neuroscience, v. 105, n. 49, p. 19504–19507, dec. 2008. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

POLANCZYK, G. et al. The impact of individual and methodological factors in the variability of response to methylphenidate in ADHD pharmacogenetic studies from four different continents. Am J Med Genet B Neuropsychiatr Genet, v. 5, n. 8, p. 1419-1424, dez. 2008. Disponível em: . Acesso em:12 abr. 2017.

RAPELLO, G. V. G. et al. Pulmonary emphysema induced by methylphenidate: experimental study.Sao Paulo Med. J, São Paulo, v. 133, n. 2, p. 131-134, abr. 2015. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

ROCHA, F. L.; MALLOY-DINIZ, L. F.; HARA, C. Emprego de metilfenidato para o tratamento de déficit cognitivo em paciente com sequela de traumatismo cranioencefálico. J. bras. Psiquiatr, Rio de Janeiro, v. 55, n. 1, p. 78-81, 2006. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

SAKAI, J. T. et al. Estudo da comercialização de medicamentos entorpecentes e psicotrópicos. Rev. para. med. v. 26, n. 3 jul./set. 2012. Disponível em: . 2012. Acesso em: 12 abr. 2017.

SILVEIRA, R. R. et al. Patterns of non-medical use of methylphenidate among 5th and 6th year students in a medical school in southern Brazil. Trends Psychiatry Psychother, v. 36, n. 2, p. 101-106, 2014. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

SINGER, P. Prevenir e curar: o controle social através dos serviços de saúde. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1978.

SOUZA, M. T.; SILVA, M. D.; CARVALHO, R. Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein (São Paulo), São Paulo, v. 8, n. 1, p. 102-106, mar. 2010. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

SZOBOT, C. M. et al. A randomized crossover clinical study showing that methylphenidate-SODAS improves attention-deficit/hyperactivity disorder symptoms in adolescents with substance use disorder. Braz J Med Biol Res, Ribeirão Preto, v. 41, n. 3, p. 250-257, mar. 2008. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

SZOBOT, C. M.; ROMANO, M. Co-ocorrência entre transtorno de déficit de atenção/hiperatividade e uso de substâncias psicoativas. J. bras. psiquiatr, Rio de Janeiro, v. 56, supl. 1, p. 39-44, 2007. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

VENDRUSCOLO, L. F.; TAKAHASHI, R. N. Comorbidade entre o transtorno de déficit de atenção/hiperatividade e o abuso e dependência de álcool e outras drogas: evidências por meio de modelos animais. Rev. Bras. Psiquiatr, São Paulo, v. 33, n. 2, p. 203-208, jun. 2011. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

VICTOR, M. Cognitive enhancers and cosmetic psychiatry: are we ready? A case-report. Rev. Bras. Psiquiatr, São Paulo, v. 31, n. 4, p. 593-594, dec. 2009.disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2017.

VIEGAS, L. S.; GOMES, J.; OLIVEIRA, A. R. F. Os Equívocos do Artigo "Os Equívocos e Acertos da Campanha 'Não À Medicalização da Vida'". Psicol. pesq, Juiz de Fora, v. 7, n. 2, p. 266-276, dez. 2013. Disponível em: . Aceso em: 12 abr. 2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Orbis Latina

A Revista Orbis Latina, ISSN 2237-6976, é publicada originalmente na plataforma digital ISSUU, cujo acesso, leitura e downloads são gratuitos. Mais detalhes ver  https://sites.google.com/site/orbislatina/