FEMINICÍDIO, HOMICÍDIO E AS RELAÇÕES INTERNACIONAIS: UMA COMPARAÇÃO SOBRE A COBERTURA JORNALÍSTICA DAS MORTES DE MARTINA PIAZZA E MATÍAS GALÍNDEZ

Thainá da Rosa Kedzierski

Resumo


RESUMO

O artigo compara a cobertura de portais jornalísticos dada ao feminicídio de Martina Piazza, estudante da Universidade Federal da Integração Latino-Americana, em 2014 e ao homicídio do artista Matías Galíndez, em 2017. O objetivo é, a partir das constatações da análise dos casos, realizar uma discussão sobre as questões de gênero. Parte-se de duas premissas para analisar os casos: a primeira é que por serem estudante e artista, respectivamente, a mídia e o governo não os enxergam como relevantes socialmente; a outra é que, no caso Martina, o fato da vítima ser mulher colabora para que este caso seja ainda mais invisível ao governo e mídia. A partir da metodologia quantitativa foi realizado um levantamento sobre as notícias que tiveram o tema como pauta, as fontes entrevistadas e o número de fontes privilegiadas nas coberturas, enquanto que a partir da metodologia qualitativa foram analisadas a origem das fontes entrevistadas e as ações das organizações internacionais a partir da morte de dois uruguaios em território brasileiro. Os dados que subsidiam a análise realizada ao longo do texto apontam que houve maior mobilização internacional relacionada ao caso Matías, enquanto o caso Martina permaneceu invisível no debate internacional.


Palavras-chave


Feminicídio; Homicídio; Martina Piazza; Matías Galindez; Cobertura Jornalística.

Texto completo:

PDF

Referências


BRAGA, A; AGUIAR, L; BERGAMASCHI, M. O chão de fábrica da notícia: contribuições para uma economia política da práxis jornalística In: Intercom – RBCC, São Paulo, v.37, n.1, p. 111-132, jan-jun. 2014. Disponível em Acesso em: 14 set. 2018

BRASIL. Lei no 2.848, de 7 de dezembro de 1940. Código Penal. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 8 dez. 1940. Disponível em: . Acesso em: 14 set. 2018.

CARNEIRO, A. S. C. A Desigualdade e a Invisibilidade Social na Formação Da Sociedade Brasileira In: V ENECULT - Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura, 2009, Salvador. Salvador: UFBA, 2009. Disponível em < http://www.cult.ufba.br/enecult2009/19360.pdf >. Acesso em 14 set. 2018.

CARNEIRO, Sueli. Enegrecer o Feminismo: A Situação da Mulher Negra na América Latina a partir de uma perspectiva de gênero. Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros e Indígenas, Universidade Católica de Pernambuco. Recife, 2017. Disponível em: . Acesso em: 16 set. 2018.

CASTRO, T. Teoria das relações internacionais. Brasília: FUNAG, 2012. Disponível em Acesso em: 14 set. 2018

Dossiê Feminicídio. Agência Patrícia Galvão, São Paulo, 2016. O que é feminicídio? Disponível em Acesso em: 14 set. 2018.

GUNTHER, H. Pesquisa Qualitativa Versus Pesquisa Quantitativa: Esta É a Questão? Brasília, Vol. 22, n. 2, Mai-Ago 2006, p. 201-210. Psicologia: Teoria e Pesquisa. Disponível em . Acesso em 14 set. 2018.

JÚNIOR, E. M; ANTONIOLI, M. E. Jornalismo e newsmakingno século XXI: novas formas de produção jornalística no cenário online. Revista Alter Jor. São Paulo, ano 07, v 02, edição 14, julho-dezembro de 2016. Disponível em: . Acesso em: 14 set. 2018.

MOREIRA, L. C. As mulheres nos espaços de decisão política: há mulheres nos espaços de decisão política?. Niteroi, 2017. Disponível em Acesso em: 14 set. 2018

COSTA, Ana Alice A.; SARDENBERG, Cecília Maria B. O Feminismo do Brasil: reflexões teóricas e perspectivas /, organizadoras. – Salvador: UFBA / Núcleo de Estudos Interdisciplinares sobre a Mulher, 2008. 411p. Disponível em http://www.neim.ufba.br/site/arquivos/file/feminismovinteanos.pdf Acesso em 16 set. 2018.

Lei Maria da Penha. Observatório Lei Maria da Penha, Salvador. Disponível em . Acesso em: 14 set. 2018.

RESENDE, S. Uma questão de gênero: Mulheres, Forças Armadas e Operações de Paz. Rio de Janeiro, v.11, n.2, 2017. Cadernos de Relações Internacionais,. Disponível em Acesso em: 14 set. 2018

SCHMITZ, A. A. Fontes de notícias. Florianópolis: Combook, 2011. 85 p. Disponível em Acesso em: 14 set. 2018.

SOARES, MC. Representações, jornalismo e a esfera pública democrática [online]. São Paulo: Editora UNESP; São Paulo: Cultura Acadêmica, 2009. 272 p. Disponível em Acesso em: 14 set. 2018.

TOLEDO, L. G. Jornalismo e invisibilidade social: Uma crítica à cobertura do diário catarinense sobre a ocupação Amarildo. 52 f. Trabalho de Conclusão e Curso (Graduação) - Centro de Comunicação e Expressão - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2016. Disponível em: . Acesso em: 14 set. 2018

WORLD ECONOMIC FORUM. Global Gender Gap Report 2017. 2017. Disponível em . Acesso em: 14 set. 2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Orbis Latina

A Revista Orbis Latina, ISSN 2237-6976, é publicada originalmente na plataforma digital ISSUU, cujo acesso, leitura e downloads são gratuitos. Mais detalhes ver  https://sites.google.com/site/orbislatina/