USO E APROPRIAÇÃO DE TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (TICS) COMO ESTRATÉGIA PARA O DESENVOLVIMENTO DE EMPREENDIMENTOS FAMILIARES RURAIS NO OESTE DO PARANÁ

Thayse Ana Ferreira, Elenice da Silva Carvalho, Patrícia Maria Reckziegel da Rocha, Elza Hofer

Resumo


O presente estudo tem como objetivo analisar a percepção de produtores rurais em relação ao uso e a apropriação das tecnologias da informação e comunicação (TICs) como estratégia para o desenvolvimento de empreendimentos familiares no Oeste do Paraná. Tendo em vista este objetivo, foi realizado o levantamento das informações por meio de um questionário aplicado à agricultores familiares durante a 30ª edição do Show Rural Coopavel, que ocorre anualmente na cidade de Cascavel-PR. A pesquisa considerou informações sobre o uso e a apropriação de tecnologias como celulares e smartphones, aplicativos, internet e computadores para as atividades do empreendimento familiar. Os resultados da pesquisa apontaram que, embora haja a presença de dispositivos de TICs nas propriedades rurais, o uso ainda continua restrito para atividades de lazer e comunicação. Os agricultores não se apropriam dessas tecnologias para o desenvolvimento do empreendimento familiar, de momo que, ainda existem aspectos positivos a serem explorados, como a participação em grupos de discussão, treinamentos online, a utilização de dados para a tomada de decisão e o interesse pela apropriação de aplicativos de gestão.

Palavras-chave


Tecnologias da informação e comunicação; Desenvolvimento sustentável; Agricultura familiar

Texto completo:

PDF

Referências


Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial. (2012) Relatório de Acompanhamento Setorial TIC Agronegócio: Oportunidades de Desenvolvimento. Recuperado de: http://www.abdi.com.br/Estudo/000%20-%20neit_TIC_01.indd.pdf

Affonso, E. P., Hashimoto, C. T., & Sant’Ana, R.C.G. (2015). Uso de tecnologia da informação na agricultura familiar: Planilha para gestão de insumos. Biblios 60, 45-54. Recuperado de: https://dialnet.unirioja.es/descarga/articulo/5265903.pdf

Arend, S. C., Deponti, C. M., & Kist, R. B. B. (2016). O uso de Tic pela agricultura familiar no território do citrus: Vale do Caí-RS. Informe GEPEC, 20 (2), 71-84. Recuperado de: http://e-revista.unioeste.br/index.php/gepec/article/view/15638

Barcelos, L.,Ritt, D., & Deponti, C. M. (2015) A inclusão digital e os desafios do uso da tecnologia pela agricultura familiar no Vale do Caí-RS-brasil. Montenegro: Universidade de Santa Cruz do Sul. Recuperado de: http://www.pucrs.br/face/wp-content/uploads/sites/6/2016/03/72_LUANA-DE-SOUZA-BARCELOS.pdf

Bernardes, J. C., Vieira, S. C., Bonfim, E. B., & Sant’Ana, R. C. G. (2015). O uso das tecnologias de informação e comunicação na agricultura familiar: um caminho para a sustentabilidade. XI Fórum Ambiental da Alta Paulista, 11 (9), 113-127. Recuperado de:http://www.amigosdanatureza.org.br/publicacoes/index.php/forum_ambiental/article/view/1175

Borges, V. de O. (2015). A Tecnologia de Informação e Comunicação como ferramenta de apoio ao produtor rural no processo de gestão. (Dissertação de Mestrado). Mestrado Profissional em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente. Faculdades Integradas do Sudoeste Mineiro. UEMG. Minas Gerais, Brasil. Recuperado de:https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=3384754

Brum, T.M.M, Medeiros, L.M., Brum, O.B, & Moraes, J.A.R. (2013). Alternativas de inovação para o desenvolvimento da agricultura familiar. Anais do 51º Congresso da Sociedade de Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural. 51º SOBER. Belém, PA, Brasil.

Cabrera, L. C., & da Silveira, A. C. M. (2012). Uma alternativa de acesso às tecnologias de informação e comunicação para o meio rural: o caso do Consórcio Antiferrugem. Ciência da Informação, 41(2/3). Doi: https://doi.org/10.18225/ci.inf..v41i2/3

Campos, K. C., & Carvalho, F. M. A. D. (2011). Índice de inovação: hierarquização dos produtores do arranjo produtivo local de fruticultura irrigada, estado do Ceará. Revista de Economia e Sociologia Rural, 49(3), 741-770.Doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-20032011000300009

Caporal, F. R. (2003). Superando a revolução verde: a transição agroecológica no estado do Rio Grande do Sul, Brasil. EMATER/RS-Ascar. Rio Gande do Sul.

Comitê Gestor da Internet no Brasil (2012). CGI.br. Pesquisa sobre o uso das Tecnologias da Informação e Comunicação no Brasil: TIC domicílios e empresas. Disponível em: https://www.cgi.br/publicacao/pesquisa-sobre-o-uso-das-tecnologias-de-informacao-e-comunicacao-no-brasil-tic-domicilios-e-empresas-2012/

Comitê Gestor da Internet no Brasil (2016). CGI.br/NIC.br. Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br), Pesquisa sobre o Uso das Tecnologias de Informação e Comunicação nos domicílios brasileiros - TIC Domicílios 2016. Recuperado de: http://cetic.br/publicacao/pesquisa-sobre-o-uso-das-tecnologias-de-informacao-e-comunicacao-nos-domicilios-brasileiros-tic-domicilios-2016/

Conceição, A. F. D. (2012). Quem está online? Um estudo de caso sobre o uso e apropriação da internet por agricultores familiares de Estrela/RS. (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil. Recuperado de: http://repositorio.ufsm.br/handle/1/8869

Conceição, A. F. D (2017). Do consumo à alimentação: as estratégias de comunicação e criação de novos mercados para agricultura e consumidores na sociedade contemporânea. Anais do 55º Congresso da Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural. 55º SOBER. Santa Maria, RS, Brasil. Recuperado de: http://sober.org.br/congresso2017/

Cruz, Y. M. F. (2010). Tecnologías de información y comunicación para el desarrollo rural en Colombia. Economía Gestión y Desarrollo 10, 97-124. Recuperado de: http://revistas.javerianacali.edu.co/index.php/economia/article/view/387

Da Costa, S. I. R. B., & da Silva, M. M. (2012). A racionalidade ambiental na construção de tecnologias alternativas para a agricultura familiar: o caso do Serviço de Tecnologia Alternativa–SERTA. Desenvolvimento e Meio Ambiente, 25.

De Oliveira, N. D. A., & da Silva, T. N. (2012). Inovação social e tecnologias sociais sustentáveis em relacionamentos intercooperativos: um estudo exploratório no CREDITAG-RO. Revista de Administração da UFSM, 5(2), 277-295.

De Sales Farias, J. L., Fernandes, F. E. P., de Souza Fernandes, C., & Machado, A. B. N. (2017). Construcción social de los mercados: estrategia de fortalecimiento de la autonomía de los agricultores familiares en el semiárido brasileño. Agroalimentaria, 23(44), 153-168

Deponti, C. M., Felippi, A. C. T., & Dornelles, M. (2015). Os usos e as apropriações das Tics na agricultura familiar em regiões do sul do Brasil. Anais do VII Seminário Internacional sobre Desenvolvimento Regional. Globalização em Tempos de Regionalização– Repercussões no Território, Santa Cruz do Sul, RS, Brasil, 2015

Faria, S. S. (2012). Adoção de inovações pela agricultura familiar: o caso do cultivo de uvas no estado de Goiás. Dissertação (Mestrado em Ciências Agrárias). Universidade Federal de Goiás, Goiânia, Brasil. Recuperado de: https://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tde/420

Federação Brasileira de Bancos (2017). Pesquisa Febrabran de Tecnologia Bancária 2017. FEBRABAN. Deloitte Touche Tohmatsu. Recuperado de: https://www2.deloitte.com/content/dam/Deloitte/br/Documents/financial-services/Pesquisa_FEBRABAN_2017-3105%20.pdf

Felippi, A. C. T., Deponti, C. M., & Dornelles, M. (2017). TICs na Agricultura Familiar: os usos e as apropriações em regiões do Sul do Brasil. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional, 13(1), 3-31. Recuperado de: http://www.rbgdr.net/revista/index.php/rbgdr/article/view/2727/0

Franzoni, G. B., & da Silva, T. N. (2016). Inovação Social e Tecnologia Social: o caso da Cadeia Curta de Agricultores Familiares e a Alimentação Escolar em Porto Alegre/RS. Desenvolvimento em Questão, 14(37), 353-386.

Gazolla, M., & Schneider, S. (2017). Cadeias curtas e redes agroalimentares alternativas: negócios e mercados da agricultura familiar. Porto Alegre: Editora da UFRGS.

Grisa, C., & Schneider, S. (2015). Políticas públicas de desenvolvimento rural no Brasil. Porto Alegre: Editora da UFRGS.

Guimarães e Silva, M. (2014). A apropriação das TICs por extensionistas e agricultores familiares: possibilidades para o desenvolvimento rural. (Tese de Doutorado). Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Ciências Rurais, Programa de Pós-Graduação em Extensão Rural, Rio Grande do Sul, Santa Maria, Brasil.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2015). Pesquisa Nacional de por Amostra de Domicílios. PNAD/IBGE.

Kauark, F., Manhães, F. C., & Medeiros C. H. (2010). Metodologia da pesquisa: guia prático. Itabuna: Via Litterarum.

Lei 11.326, de 24 de julho de 2006. (2006). Estabelece as diretrizes para formulação da Política Nacional da Agricultura Familiar e Empreendimentos Familiares Rurais. Recuperado em: junho de 2017, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2006/lei/l11326.htm

Marion, J.C. (2012). Contabilidade rural: contabilidade agrícola, contabilidade da pecuária. 13ª.ed. São Paulo: Atlas.

Maroco, J. (2003). Análise estatística com utilização do SPSS. 2a edição. Edições Silabo, Lisboa.

Miranda, J. C., & de Assis, R.L. (2015). Tecnologias da informação e desenvolvimento rural sustentável. Ciência da Informação, 44(3), 381-395.Doi: https://doi.org/10.18225/ci.inf..v44i3.1792

Miranda, J.C. (2012). O processo de comunicação rural e sustentabilidade: uma caracterização em Palmas – TO (Brasil) e Rio Cuarto – COR (Argentina). Tese (Doutorado). Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil. Recuperado de: http://cursos.ufrrj.br/posgraduacao/ppgctia/wp-content/uploads/(DO-2012)%20Jos%C3%A9%20Carlos%20de%20Miranda.pdf

Mourão, N. M., & Engler, R.C. (2014). Economia solidária e design social: iniciativas sustentáveis com resíduos vegetais para produção artesanal. Interações (Campo Grande), 15(2), 329-339.

Nagel, J. (2012). Principales barreras para la adopción de las TIC en la agricultura y en las áreas rurales. Comisión Económica para América Latina y el Caribe. Recuperado de: http://repositorio.cepal.org/bitstream/handle/11362/4011/S2012079_es.pdf;jsessionid=310EC2228206A10F89EA3A527F53B8D9?sequence=1

Oliveira, D. P. R. (2011). Sistemas, organização e métodos: uma abordagem gerencial, 20ª ed. São Paulo: Atlas.

Oliveira, C.M. (2014). Análise do uso das tecnologias de informação e comunicação em uma cooperativa de produção de laticínios. (Dissertação de Mestrado). Faculdade Novos Horizontes, Minas Gerais, Belo Horizonte, Brasil.

Patel, S., & Sayyed, U. I. (2014). Impact of information technology in agriculture sector. International Journal of Food, Agriculture and Veterinary Sciences 4 (2),17-22. Recuperado de: https://www.researchgate.net/publication/275339675_IMPACT_OF_INFORMATION_TECHNOLOGY_IN_AGRICULTURE_SECTOR

Redin, E., da Silveira, P. R. C., Guimarães, G. M., & dos Santos, V. F. (2013). Juventude rural e novas formas de sociabilidade mediadas pelas tics. Revista de Desenvolvimento Econômico. 15(28). Recuperado de: http://revistas.unifacs.br/index.php/rde/article/view/2738/2136

Rigi, K., Farahmand, M., Sheikhpour, S., Moradi, H., & Keshtehgar, A. (2014). The role of information technology in agricultural development. Journal of Novel AppliedSciences 3 (2): 203-205. Recuperado de: http://jnasci.org/wp-content/uploads/2014/03/203-205.pdf

Show Rural Coopavel (2018). Notícias. Recuperado de: ttp://www.showrural.com.br/noticias

Silva, e. L., & Menezes, E. M. (2005). Metodologia da pesquisa e elaboração de dissertação. 4. ed. rev. atual. – Florianópolis: UFSC.

Soares, F.RG. (2013). Economia solidária e tecnologia social: uma investigação sobre a complementaridade dos dois conceitos a partir de sua reprodução no território brasileiro. (Dissertação de Mestrado). Escola Nacional de Ciências Estatísticas, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Steding, A. (2017). Agricultura familiar e as tecnologias para a produção no contexto do desenvolvimento rural sustentável. (Dissertação de Mestrado), Universidade Estadual do Oeste do Paraná.

Sartorelli, T. R., & Montanha, J. K. (2015). Tecnologias da informação aplicadas na agricultura. 4ª Jornada Científica e Tecnológica da FATEC de Botucatu. Recuperado de: http://www.fatecbt.edu.br/ocs/index.php/IVJTC/IVJTC/paper/viewFile/239/479

Viero, V. C., & Silveira, A. C. M. (2011). Apropriação de tecnologias de informação e comunicação no meio rural brasileiro. Cadernos de Ciência & Tecnologia, 28 (1), 257-277, jan./abr. Recuperado de: https://seer.sct.embrapa.br/index.php/cct/article/view/12042

Tierling, I.M. B. M. (2016). Ação coletiva no contexto da agricultura familiar: um estudo na Associação de Produtores de Corumbataí do Sul. (Dissertação de Mestrado). 155fls. (Metrado em Desenvolvimento Regional e Agronegócio) – Centro de Ciências Sociais Aplicadas, Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Toledo, Brasil.

União Nacional das Cooperativas de Agricultura Familiar e Economia Solidária (2018) – UNICAFES. Notícias. Recuperado de: http://unicafes.org.br/unicafes/unicafes-disponibilizara-software-especializado-para-gestao-das-cooperativas


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Orbis Latina

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Não Adaptada.

A Revista Orbis Latina, ISSN 2237-6976, usa o Open Journal Systems (OJS 2.4.6.0), sistema de código livre gratuito para a administração e a publicação de revistas, desenvolvido com suporte e distribuição pelo Public Knowledge Project sob a licença GNU General Public License.