A IMPRENSA NACIONAL (BRASIL, ARGENTINA E PARAGUAI) E O NEXO TERRORISMO-TRÍPLICE FRONTEIRA EM 2018

Micael Alvino Silva, Stela Guimarães de Moraes, Nadia Paez Duarte, Maria Mercadante

Resumo


Em 2018, a imprensa nacional e internacional noticiou uma série de fatos e eventos que associaram o terrorismo à área da Tríplice Fronteira (Brasil, Argentina e Paraguai). O objetivo deste artigo é analisar como alguns dos principais veículos da imprensa do Brasil, da Argentina e do Paraguai noticiaram o nexo terrorismo-Tríplice Fronteira. Realizamos uma pesquisa nos portais eletrônicos dos seguintes veículos da imprensa nacional: no Brasil – Folha de S. Paulo, O Globo, O Estado de S. Paulo e Veja; na Argentina – El Clarín, La Nacion e Infobae; e no Paraguai – ABC Color, Última Hora e La Nación. Além dos jornais que compõem os veículos tradicionais de imprensa, tanto no Brasil quanto na Argentina optamos por incluir portais eletrônicos de grande relevância (Veja e Infobae, respectivamente). Identificamos 96 reportagens publicadas em 2018 (51 na Argentina; 30 no Paraguai; e 15 no Brasil) que repercutiam o nexo entre o terrorismo e a área da Tríplice Fronteira e após a leitura, foram destacados os fatos, os argumentos e a as tendências analíticas. O resultado será apresentado em duas partes. A primeira (Dados, fatos e argumentos) é dedicada a uma visão geral sobre como a mídia de cada país reportou os fatos de 2018, e a segunda (Especialistas e estimativas), é dedicada à análise dos argumentos dos principais especialistas internacionais citados tanto no Brasil, quanto na Argentina e no Paraguai. Por fim, analisar-se-á uma novidade analítica própria de 2018: a tentativa de estimar o volume financeiro movimentado na Tríplice Fronteira.


Palavras-chave


Terrorismo, Tríplice Fronteira, Imprensa Nacional, nexo terrorismo-Tríplice Fronteira

Texto completo:

PDF

Referências


AMARAL, A. B. D. A Tríplice Fronteira e a Guerra ao Terror. Rio de Janeiro: Apicuri, 2010.

BÉLIVEAU, V. G.; MONTENEGRO, S. La Triple Frontera: Globalización y construcción del espacio. Buenos Aires: Miño y Davila, 2006.

BARBOSA, R. Triborder Dispute. Foreign Affairs, New York, January/February 2004.

BRASIL. Extradição 853. Supremo Tribunal Federal. Brasília, p. 85. 2003. (2122-1).

ETCO. Relatório de Atividades - 2018. Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial. São Paulo. 2019.

GREENBERG, N. War in Pieces: AMIA and The Triple Frontier in Argentine and American Discourse on Terrorism. A Contra Corriente, North Carolina, 8, n. 1, 2010. 61-93.

HUDSON, R. Terrorist and Organized Crime Groups in the Tri-Border Area (TBA) of South America. Federal Research Division, The Library of Congress. Washington. 2003.

LEE, R. The Triborder–terrorism nexus. Global Crime, London, 9, n. 4, 2008. 332-347.

NEUMANN, V. Lucros de Sangue: como o consumidor financia o terrorismo. São Paulo: Matrix, 2018.

NEUMANN, V.; PAGE, S. The many criminal heads of the Golden Hydra. Counter Extremism Project, maio 2018. Disponivel em: . Acesso em: 5 jul. 2018.

OBEI. Informe Especial de Comercio Exterior 2017. Observatorio de Economía Internacional. Centro de Análisis y Difusión para la Economía Paraguaya. Assunción. 2018.

SILVA, M. A. The Triple Frontier Again: The terrorism nexus and what has changed in the Argentina, Brazil, and Paraguay borderland since 2001. Mural Internacional, Rio de Janeiro, 9, n. 2, dez. 2018. 175-181.

SILVA, M. A.; COSTA, A. B. A Tríplice Fronteira e a aprendizagem do contrabando: da “era dos comboios” à “era do crime organizado”. In: BARROS, L.; LUDWIG, F. (Re)Definições de fronteiras: velhos e novos paradigmas. Foz do Iguaçu: IDESF, 2018.

SILVA, M. A.; DOLZAN, R. R.; COSTA, A. B. O custo triangular: reexportação e descaminho nas relações Brasil-Paraguai. In: BARROS, L.; LUDWIG, F. (Re)Definições das Fronteiras: os desafios para o Século XXI. Foz do Iguaçu: IDESF, 2019. p. 49-64.

SINDIRECEITA. A facilitação do comércio e o controle aduaneiro: os desafios da Aduana brasileira no século XXI. Sindicato dos Analistas-Tributários da Receita Federal do Brasil. Brasília. 2018.

VILLA, R. D. O Paradoxo da Macrossecuritização: Quando a Guerra ao Terror não Securitiza Outras "Guerras" na América do Sul. Contexto Internacional, Rio de Janeiro, 36, n. 2, jul./dez. 2014. 349-383.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Orbis Latina

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Não Adaptada.

A Revista Orbis Latina, ISSN 2237-6976, usa o Open Journal Systems (OJS 2.4.6.0), sistema de código livre gratuito para a administração e a publicação de revistas, desenvolvido com suporte e distribuição pelo Public Knowledge Project sob a licença GNU General Public License.