A CRISE ECONÔMICA BRASILEIRA E SEUS EFEITOS SOBRE O EMPREGO FORMAL: UMA DECOMPOSIÇÃO SHIFT-SHARE ESTOCÁSTICA

Taíse Fátima Mattei, Marina Silva da Cunha

Resumo


O Brasil vivenciou a mais recente crise econômica iniciada em 2014, cujos efeitos se espalharam para a economia e atingiram fortemente o mercado de trabalho. Diante disso, esse trabalho procurou preencher a lacuna na literatura e analisar a evolução do emprego formal antes e durante da crise e decompor as variações do fluxo de emprego das regiões brasileiras e setores econômicos usando o método Shift-Share estocástico. Para isso, foram utilizados os dados do emprego da RAIS, no período de 2010 a 2016, divididos em duas análises: 2010 a 2013 e 2013 a 2016. Os resultados da decomposição regional do emprego mostraram forte dependência das regiões brasileiras às políticas nacionais, sobretudo no período de 2010 a 2013, e problemas estruturais regionais. Por sua vez, os resultados da decomposição setorial revelaram que, de 2010 a 2013, os setores que apresentaram as maiores taxas de crescimento do emprego foram extrativismo mineral, serviços, e construção civil. O efeito regional foi positivo para esses setores sendo mais expressivo para o primeiro, mas o efeito setorial negativo para todos os setores indicou que estes possuíam uma estrutura desfavorável no período. De modo geral, o bom desempenho da economia nacional nesse período permitiu que alguns setores crescessem. De 2013 a 2016, por outro lado, os setores de extrativismo mineral e construção civil apresentaram as maiores perdas de emprego e o efeito setorial positivo impediu que os efeitos negativos da economia nacional afetassem de maneira mais intensa alguns segmentos da economia.


Palavras-chave


Crise econômica. Emprego. Regiões brasileiras. Setores econômicos. Shift-Share.

Texto completo:

PDF

Referências


BACHA, Edmar. Saída para a crise tem mão dupla. Estudos Avançados, São Paulo, v. 31, n. 89, p. 23-27, 2017. Disponível em: . Acesso em: 14 maio 2018.

BALTAR, Paulo Eduardo de Andrade. Política econômica, emprego e política de emprego no Brasil. Estudos avançados, São Paulo, v. 28, n. 81, p. 95-114, 2014. Disponível em: . Acesso em: 14 mai 2018.

______. ;KREIN, José Dari. A retomada do desenvolvimento e a regulação do mercado do trabalho no Brasil. Caderno CRH, Salvador, v. 26, n. 68, p. 273-292, maio/ago.,2013. Disponível em: . Acesso em: 16 jun. 2018.

BARBOSA FILHO, Fernando de Holanda. A crise econômica de 2014/2017. Estudos Avançados, São Paulo, v. 31, n. 89, p. 51-60, 2017. Disponível em: . Acesso em: 10 abril 2018.

DE PAULA, Luiz Fernando; PIRES, Manoel. Crise e perspectivas para a economia brasileira. Estudos Avançados, São Paulo, v. 31, n. 89, p. 125-144, 2017. Disponível em: . Acesso em: 16 jun. 2018.

DINC, Mustafa; HAYNES, Kingsley E. Sources of regional inefficiency An integrated shift-share, data envelopment analysis and input-output approach. The annals of regional science, Fairfax, v. 33, n. 4, p. 469-489, 1999. Disponível em: . Acesso em: 03 jul. 2018.

FERNANDES, Carlândia Brito Santos; CUNHA, Marina Silva. As transformações recentes no mercado de trabalho paranaense: uma aplicação do método shift-share. Revista de Economia, Curitiba, v. 37, n. 1,jan./abr., 2011. Disponível em: . Acesso em: 15 jun. 2018.

FERNÁNDEZ, Matías Mayor; MENÉNDEZ, Ana Jesús López. The evolution of the employment the European Union: a stochastic shift and share approach. Ersa. Ago. 2002. Disponível em: . Acesso em> 27 jun. 2018.

______. ; ______. La dinámica regional delempleo. Una aproximaciónbasadaenanálisis shift-share estocástico. In: Anales de economía aplicada 2003. AsociaciónEspañola de Economía Aplicada, ASEPELT, 2003. p. 83. Disponível em: . Acesso em> 25 jun. 2018.

GAIGNÉ, Carl; PIGUET, Virginie; SCHMITT, Bertrand. Évolutionrécente de l'emploiindustrieldanslesterritoiresruraux et urbains: une analysestructurelle-géographiquesurdonnéesfrançaises. Revue d’ÉconomieRégionale&Urbaine, n. 1, p. 3-30, fev., 2005. Disponível em: . Acesso em: 16 jun. 2018.

GONÇALVES JÚNIOR, Carlos Alberto; GALETE, Rinaldo Aparecido. O método estrutural-diferencial: aplicação da adaptação de Herzog e Olsen para a microrregião de Maringá frente à economia paranaense 1994/2008. Informe Gepec, Toledo, v. 14, n. 2, 2010. Disponível em: . Acesso em: 15 jun. 2018.

HADDAD, Paulo Roberto; ANDRADE, Thompson A. Método de análise diferencial-estrutural. Economia regional: teorias e métodos de análise. Fortaleza: BNB, p. 249-286, 1989.

IBGE- Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Indicadores IBGE: contas nacionais trimestrais. Disponível em: . Acesso em: 18 jun. 2018.

JONES, Paul S. Job creation and regional change under New Labour: a shift-share analysis. Environment and Planning A, South Yorkshire, v. 44, n. 6, p. 1348-1362, 2012. Disponível em: . Acesso em: 03 jul. 2018.

MACHADO DA SILVA, Luis A. A (des) organização do trabalho no Brasil urbano. São Paulo em Perspectiva, São Paulo, v. 4, n. 3/4, p. 2-5, 1990. Disponível em: . Acesso em: 14 maio 2018.

MONTE, Paulo Aguiar do; RAMOS FILHO, Hélio de Sousa.; SILVA, José Antonio Rodrigues da. A composição do emprego no Brasil: uma abordagem estocástica do método Shift-Share. Revista Econômica do Nordeste, Fortaleza, v. 48, n. 2, p. 111-126, abr./jun., 2017. Disponível em: . Acesso em: 15 jun. 2018.

MORRONE, Henrique. Analisando a performance setorial nos estados da Região Sul entre 2007 e 2012: uma análise Shift-Share. Perspectiva Econômica, São Leopoldo, v. 11, n. 1, p. 36-46,jan/jun., 2015. Disponível em: . Acesso em: 15 jun. 2018.

PEREIMA, João Basilio; NASCIMENTO, Ricardo. Crescimento, emprego e renda no Brasil: rumo ao pleno emprego produtivo. Revista Economia & Tecnologia, Curitiba, v. 8, n. 2, p-61-80, abr./jun., 2012. Disponível em: . Acesso em: 16 jun. 2018.

PIGNATA, Francine Aparecida; CARVALHO, Daltro Oliveira de. Efeitos Da Crise Econômica No Brasil Em 2015. Diálogos Acadêmicos, São Paulo, v.9, n. 2., jul./dez., 2015.Disponível em: . Acesso em: 16 jun. 2018.

PIRES, Manoel Carlos. Política econômica e estabilização: uma breve análise da recessão brasileira. Brazilian Keynesian Review, Pampulha, Minas Gerais, v. 2, n. 2, p. 247-251, 2016. Disponível em: . Acesso em: 16 jun. 2018.

RAIS- Relação Anual de Informações Sociais. Programa de Disseminação das Estatísticas do Trabalho. 2018. Disponível em: . Acesso em: 12 jun. 2018.

SILVA, José Antonio Rodrigues; MONTE, Paulo Aguiar. Dinâmica regional e setorial do emprego no Brasil: 1997 a 2007. Revista de Economia, Curitiba, v. 37, n. 2, p. 78-105, mai./ago., 2011. Disponível em: . Acesso em: 17 jun. 2018.

SOUZA, Nali de Jesus. Desenvolvimento Regional. São Paulo: Atlas, 2009.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Orbis Latina

Licença Creative Commons
Licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Não Adaptada.

A Revista Orbis Latina, ISSN 2237-6976, usa o Open Journal Systems (OJS 2.4.6.0), sistema de código livre gratuito para a administração e a publicação de revistas, desenvolvido com suporte e distribuição pelo Public Knowledge Project sob a licença GNU General Public License.

* Veja nosso perfil no Google Scholar.