O IMPACTO DA ABERTURA COMERCIAL DA CHINA SOBRE OS PREÇOS DAS COMMODITIES DE ALUMÍNIO, PETRÓLEO E SOJA

Amarildo de Paula Junior, Rodrigo Monteiro da Silva

Resumo


A inserção comercial a nível internacional tornou-se um poderoso meio de expansão de barreiras e limitações geográficas dos países, tanto em termos de produção como de consumo. Diversas nações se utilizam de suas vantagens, sejam elas econômicas, industriais, demográficas, e mesmo geológicas, para com isso obter melhores resultados comerciais. Uma vez entendendo a dinâmica das relações entre países, é possível se compreender melhor quais consequências ocorrerão a partir das ações tomadas. Nesse cenário de concorrência e disputas internacionais, a China, nas últimas décadas, tem ganhado grande destaque, seja em termos de potência importadora e exportadora, e suas ações referentes a sua inserção comercial é de grande relevância para o Brasil, uma vez que a China tem sido uma grande parceira comercial do país. A China, possui grande engajamento produtivo e industrial, tendo grande poder de influenciar, direta e indiretamente, o cenário na comercialização de produtos, especialmente as commodities. Tendo em vista essa realidade, a presente pesquisa objetiva analisar como a inserção chinesa no mercado mundial das commodities afeta seus preços. Tal objetivo foi alcançado mediante utilização do modelo de Vetores Autoregressivos, e uma análise bibliográfica, sendo que os resultados apontam, preliminarmente, o crescimento do nível de preços desses produtos.

 


Palavras-chave


Comercio Internacional; Mercado Chinês; Preços de Commodities; Modelo de Vetores Autoregressivos.

Texto completo:

PDF

Referências


ARDENI, P.G. Does the Law of One Price Really Hold for Commodity Prices. American Journal of Agricultural Economics. Vol. 71, Nº 3, pp. 661-669, 1989.

BANCO MUNDIAL. Disponível em: https://www.worldbank.org/. Acessado em: 25/06/2018.

BUENO, R.L.S. Econometria de series temporais. Cencage Learning. 2011.

BUENO, R.L.S. Soluções para o manual de econometria. São Paulo: Atlas, 2011.

DEATON, A.; LAROQUE, G. On the Behaviour of Commodity Prices. The Review of Economic Studies, Vol. 59, nº 1, pp. 1-23, 1992.

DICKEY A.D; FULLER A.W. Distribution of the Estimators for Autoregressive Time Series with a Unit Root. Journal of the American Statistical Association. Volume 74, 1979.

DICKEY, A.D.; FULLER A.W. Likelihood ratio statistics for autoregressive time series with a unit root. Econometrica, v.49,n.4,1981.

ENDERS, W. Applied Econometric Time Series 3rd Edition, 2009.

FARIAS, H.P. Função de resposta ao impulso e decomposição da variância do erro de previsão aplicados às principais bolsas de valores. Lavras, UFLA, 2008.

FUNDO MONETÁRIO INTERNACIONAL. Disponível em: http://www.imf.org/external/index.html. Acessado em: 25/06/2018.

GREENE, W.H. Econometric Analysis 5th Edition. Prentice Hall. Upper Saddle River, New Jersey, 2002.

GUJARATI, D.N.; PORTER, D.C. Essentials of Econometrics 4th Edition. McGraw-Hill, 2010.

HOFFMANN, Rodolfo. Análise de Regressão: Uma introdução à econometria. 4a. ed. São Paulo: HUCITEC, 2006.

HOFFMANN, R. Estatística para economistas. 4a ed. rev. e ampl.. São Paulo, Pioneira Thomson Learning, 2006.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. Disponível em: http://www.ipeadata.gov.br. Acesso em: 29/04/2018.

LANCHOVICHINA, E.; MARTIN, W. Trade Liberalization in China’s Accession to WTO. World Bank, 2001.

PASIN, J.A. Impactos da abertura chinesa sobre o comércio internacional (1998-2006). Revista do BNDES, Vol. 14, nº. 29, pp. 309-326, 2008.

PINDYCK, R.S.; ROTEMBERG, J.J. The Excess Co-Movement of Commodity Prices. National Bureau of Economic Research. 1988.

PRATES, D.M. A alta recente dos preços das commodities. Revista de Economia Política, vol. 27, nº 3 (107), pp. 323-344, 2007.

SERRANO, F. A mudança na tendência dos preços das commodities nos anos 2000: aspectos estruturais. OIKOS, vol. 12, nº 2, pp. 168-198. Rio de Janeiro, 2013.

THORSTENSEN, V. A. OMC – Organização Mundial do Comércio e as negociações sobre investimentos e concorrência. Revista Brasileira de Política Internacional,1998.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Orbis Latina

Licença Creative Commons
Licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Não Adaptada.

A Revista Orbis Latina, ISSN 2237-6976, usa o Open Journal Systems (OJS 2.4.6.0), sistema de código livre gratuito para a administração e a publicação de revistas, desenvolvido com suporte e distribuição pelo Public Knowledge Project sob a licença GNU General Public License.

* Veja nosso perfil no Google Scholar.