A DEMOCRACIA EXCLUDENTE E O SOFRIMENTO DOS SUJEITOS FRENTE À MARGINALIZAÇÃO NEOLIBERAL

Larissa Schelbauer

Resumo


A partir da década de 70, mudanças na esfera produtiva, tecnológica e econômica, impulsionam uma nova compreensão sobre as políticas sociais. O novo modelo retoma algumas premissas liberais. Com o retorno à supremacia do mercado são negadas as conquistas mínimas da democracia, como por exemplo, a capacidade de “reconhecer que pessoas improdutivas também possuem o mesmo direito à vida e ao bem-estar, independentemente de sua relação com o mercado” (DEMO, 2002, p. 11).  Os direitos sociais perdem o apoio na opinião pública, principalmente por um discurso que leva em consideração o peso dos impostos no financiamento do gasto social (SINGER, 2003). Como outras consequências, existe a prevalência de políticas sociais focalizadas na pobreza, que não liberam da privação os que não estão inseridos no mercado de trabalho (SILVA, 2011). Pelo contrário, os enclausuram no que ficou conhecido como armadilha da pobreza (SILVA, 2011).  Essa é mais uma das perversões do novo modelo econômico “internalizar individualmente o fracasso da pobreza como responsabilidade pessoal, o que também tange a mão-de-obra no sentido de aceitar cabisbaixa o emprego precário e sem direitos” (WACQUANT, 2003, p. 9). Discute-se então as consequências subjetivas dos processos de exclusão social e sua relação com a ideal de cidadania. Percebe-se que os processos de exclusão impactam na possibilidade de manutenção da democracia e, com o modelo neoliberal, banalizam a injustiça social.


Palavras-chave


Exclusão; Neoliberalismo; Cidadania

Texto completo:

PDF

Referências


ANTUNES, R.; POCHMANN, M. A Desconstrução do trabalho e a explosão do desemprego estrutural e da pobreza no Brasil. In: CIMADAMORE, A.;

CATTANI, A. D. Produção de Pobreza e Deisgualdade na América Latina. Porto Alegre: Clacso, 2007. p. 195-210.

BATISTA, N. Prefácio. In: LOPES, L. E.; BATISTA, V. M. Atendendo na Guerra: dilemas médicos e jurídicos sobre o crack. Rio de Janeiro: Revan, 2014. p. 200.

BAUMAN, Z. Democracia em duas frentes de batalhas. In: BAUMAN, Z. A Sociedade Individualizada: vidas contadas e histórias vividas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2008. Cap. 15, p. 251-257.

CATTANI, A. D. Riqueza substantiva e relacional: um enfoque diferenciado para análise da desigualdades na América Latina. In: CIMADAMORE, A. D., et al. Produção de Pobreza e Desigualdade na América Latina. 1ª. ed. Porto Alegre: Tomo Editoria/ Clacso, v. 1, 2007. Cap. 8, p. 240.

COUTINHO, C. N. Cidadania e Modernidade. Perspectivas, São Paulo, 1999. 41-59.

COUTINHO, C. N. A Hegemonia da Pequena Política. In: OLIVEIRA, F.; BRAGA, R.; RIZEK, C. Hegemonia às avessas: economia, política e cultura na era da servidão financeira. São Paulo: Boitempo, 2010. p. 29-43.

DEJOURS, C. A Banalização da injustiça Social. Tradução de Luiz Alberto MONJARDIM. 7ª. ed. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2007. 160 p.

DEMO, P. Política Social: educação e cidadania. 3°. ed. São Paulo: Papirus, 1994. 125 p.

DEMO, P. Charme da Exclusão Social. 2ª. ed. Campinas: Autores Associados, 2002. 126 p. Coleção polêmicas do nosso tempo.

DEMO, P. Santo estado, Maldito mercado: de certas esquerdas que são direitas. Sociedade e Estado, Brasília, v. 20, n. 2, p. 451-476, maio/ago 2005.

ESCOREL, S. Exclusão Social- Fenômeno Totalitário na Democracia Brasileira. Saúde soc, São Paulo, p. 41-57, 1993. ISSN 1984-0470. Disponivel em: . Acesso em: 23 setembro 2019.

ESPING-ANDERSEN, G. As Três Economias Políticas do Welfare State. Lua Nova, São Paulo, v. nº24, p. 85-116, setembro 1991. Disponivel em: . Acesso em: 01 junho 2019.

FLEURY, S. Estado sem Cidadãos- Seguridade Social na América Latina. Rio de Janeiro: Fiocruz, 1994. 252 p.

GIORGI, A. D. A Miséria Governada através do Sistema Penal. 3ª. ed. Rio de Janeiro: Revan, 2006. 128 p.

GONÇALVES, M. D. G. M. Psicologia, subjetividade e políticas públicas. 1º. ed. São Paulo: Cortez, 2010. 134 p. Coleção Construindo o Compromisso Social da Psicologia.

GUARESCHI, P. Pressupostos Psicossociais da Exclusão: Competitividade e Culpabilização. In: SAWAIA, B. As Artimanhas da Exclusão. Petrópolis: Vozes, 2014. Cap. 9, p. 143-157.

HÖFLING, E. D. M. Estado e Polítcas (Públicas) Sociais. Cadernos Cedes, novembro 2001. 30-40. Disponivel em: . Acesso em: 12 junho 2019.

JODELET, D. Os Procesos Psicossociasi da Exclusão. In: SAWAIA, B. As Artimanhas da Exclusão. 14º. ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2014. Cap. 03, p. 55-67.

LAFER, C. A reconstrução dos direitos humanos: a contribuição de Hannah Arendt. Estudos Avançados, São Paulo, v. 11, n. 30, Maio- Agosto 1997.

LAVINAS, L. et al. Combinando o Compensatório e o Redistribuitivo: O desafio das políticas sociais no Brasil. IPEA. Brasília, p. 30. 2000. (1415-4765).

MATOS, A. G. D. Democracia e a Organização Social de Base. In: JACÓ-VILELA, A. M.; SATO, L. Diálogos em Psicologia Social. Rio de Janeiro: Centro Edelstein de Pesquisas Sociais, 2012. Cap. 20. ISBN 978-85-7982-060-1. Disponivel em: .

MIGUEL, L. F. Democracia e Representação: teritórios em disputa. 1ª. ed. São Paulo: Unesp, 2014.

PAUGAM, S. O enfraquecimento e a ruptura dos vínculos sociais: uma dimensão essenscial do processo de desqualificação social. In: SAWAIA, B. As Artimanhas da Exclusão: Análise psicossocial e ética da desigualdade social. 14ª. ed. Petrópolis: Vozes, 2014. Cap. 4, p. 69-87.

POCHMANN, M. Proteção Social na Periferia do Capitalismo- Considerações sobre o Brasil. São Paulo em Perspectiva, São Paulo, 2004. 3-16.

QUEIROZ, M. Sociologia da Sociologia da Exclusão Social. Sociedade e Cultura, v. 5, n. 2, p. 193-198, jul-dez 2002. Disponivel em: . Acesso em: 31 outubro 2019.

SANTOS, M. O Espaço do Cidadão. 7º. ed. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2007. 176 p.

SAWAIA, B. Introdução: Exclusão ou Inclusão Perversa? In: SAWAIA, B. As artimanhas da exclusão: análise psicossocial e ética da desigualdade social. Petropolis: Vozes, 2014. p. 7-13.

SEN, A. Qual o propósito da democracia? In: SEN, A.; KLIKSBERG, B. As pessoas em primeiro lugar: a ètica do desenvolvimento e os problemas do mundo globalizado. São paulo: Companhia das letras, 2010. p. 52-63.

SILVA, R. G. D. Do Welfare ao Workfare ou Da política Social Keynesiana/Fordista à Política Social Schumpeteriana/Pós-Fordista. Universidade de Brasília (tese de doutorado). Brasília, p. 222. 2011.

SINGER, P. A Cidadania para Todos. In: PINSKY, J.; PINSKY, C. B. Historia da Cidadania. [S.l.]: [s.n.], 2003. p. 191-263.

TRASSI, M. D. L.; MALVASI, P. A. Violentamente Pacíficos: desconstruindo a associação juventude e violência. São Paulo: Cortez, 2010. 123 p. Coleção Construindo o Compromisso Social da Psicologia.

VÉRAS, M. P. B. Exclusão Social- um problema brasileiro de 500 anos. In: SAWAIA, B. As artimanhas da exclusão. 14. ed. Petropolis: Vozes, 2014. Cap. 2, p. 29-51.

WACQUANT, L. Punir os Pobres: A nova gestão da miséria nos Estados Unidos. Rio de Janeiro: Revan, 2003. 168 p.

WACQUANT, L. Forjando el Estado Neoliberal: Workfare, Prisionfare e Inseguridade Social. Red de Revistas Científicas de América latina, el Caribe, Espana e Portugal, Rosario, p. 19, julho-dezembro 2011. ISSN 1851-8504. Disponivel em: . Acesso em: 10 maio 2019.

WANDERLEY, M. B. Refletindo sobre a noção de exclusão. In: SAWAIA, B. As artimanhas da exclusão. 14.ed. ed. Petrópolis: Vozes, 2014. Cap. 1, p. 17-28.

WEFFORT, F. Formação do pensamento político Brasileiro: ideias e personagens. São Paulo: Ática, 2011.

YAZBEK, M. C. Classes sublaternas e assistência social. 5°. ed. São Paulo: Cortez, 2006.

ZACCONE, O. Indgnos de Vida: A forma jurídica da política de extermínioo de inimigos na idade do Rio de Janeiro. 1 ª. ed. Rio de Janeiro: Revan, 2015.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Orbis Latina

URL da licença: https://www.gnu.org/licenses/gpl-3.0.pt-br.html

Licença Creative Commons
Licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Não Adaptada.

A Revista Orbis Latina, ISSN 2237-6976, usa o Open Journal Systems (OJS 2.4.6.0), sistema de código livre gratuito para a administração e a publicação de revistas, desenvolvido com suporte e distribuição pelo Public Knowledge Project sob a licença GNU General Public License.

* Veja nosso perfil no Google Scholar.