As condições políticas do pensamento crítico: diálogo entre Adelia Miglievich-Ribeiro e o Grupo de Estudos em Antropologia Crítica

Grupo de Estudos em Antropologia Crítica GEAC

Resumo


Adelia Miglievich-Ribeiro conversa com Juliana Mesomo, Alex Moraes e Tomás Guzmán, integrantes do Grupo de Estudos em Antropologia Crítica (GEAC). No decorrer do bate-papo, os quatro interlocutores colocam em movimento seus respectivos instrumentais teóricos engendrando, assim, um espaço comum de pensamento do qual emergem intuições e conceitos potencialmente relevantes para imaginar articulações entre prática intelectual, pesquisa social e política emancipatória. O diálogo inclui análises sobre as dinâmicas que regem a produção do conhecimento nas “antropologias institucionais disciplinares” e incursiona pelos Estudos Culturais em busca de conceitos para pensar e enunciar “fissuras” nos regimes hegemônicos de poder e representação. Por último, mas não menos importante, Adelia e o GEAC abordam as potencialidades e limites dos enfoques decoloniais e recuperam a Teoria Marxista da Dependência em meio a uma reflexão sobre as condições políticas de possibilidade do pensamento crítico nos dias de hoje.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Grupo de Estudos em Antropologia Crítica GEAC