Invadindo Territórios e Explorando Corpos: Hernán Cortés e La Malinche

Olegario da Costa Maya Neto

Resumo


Assim como as terras invadidas do "novo" continente, o corpo feminino nativo é caçado e invadido como se fosse uma terra virgem para explorar e dominar. Em outras palavras, a violência contra o corpo feminino nativo se torna uma metáfora para o colonialismo e a imposição do patriarcado. Após uma discussão de como Hernán Cortés e Malinche são retratados na literatura espanhola da Idade de Ouro, e com base em uma discussão de arquétipos, malinchismo, dualidade e binarismo, tendo como base também a definição de Octavio Paz de chingar o ser chingado e a definição de Roland Barthes de ravishment, este artigo analisa como Malinche é representada em dois poemas, "La Malinche" por Claribel Alegría (1993) e "La Malinche" por Carmen Tafolla (1993), e na série da TVE Carlos, Rey Emperador (Dir. Oriol Ferrer 2015).


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Olegario da Costa Maya Neto