Revista SURES


A revista SURES, de periodicidade semestral e em formato digital,  surge com a proposta de apoiar a pesquisa interdisciplinar e de contribuir para o desafio de pensar de modo plural as epistemologias do hemisfério sul. Por isso se define como veículo de desafios, difusão e debate de ideias, estudos e relatos de experiências, além de se constituir em espaço aberto à comunidade acadêmica, não apenas latino-americana mas internacional, que traduzam reflexões de caráter transnacional sobre temas dos mais variados enfoques e que iluminem as relações interculturais no século XXI.

O veículo se constituirá em um espaço aberto à comunidade acadêmica, com foco na atividade crítica, tanto no que diz respeito às categorias conceituais como em seus desdobramentos estéticos, éticos e políticos.

A revista SURES tem ainda o propósito de divulgar conhecimentos, saberes, línguas originárias e propostas teóricas e práticas inéditas sobre a atuação na pesquisa do Instituto de Arte, Cultura e História da Universidade Federal da Integração Latino-americana e contribuir para a formação de recursos humanos na pós-graduação.

 

Conselho Editorial

 

Notícias

 

Dossiê Nº 12

 

Em tempos de polarização política e da intensificação do controle dos corpos e das expressões artísticas, convidamos pesquisadores, escritores, artistas a compartilhar seus processos de reflexão, resistência e potência poética.

A liberdade de expressão artística, política e individual nunca esteve tão em voga. Impulsionadas pelo avanço das novas ferramentas tecnológicas e pelo amplo alcance das redes sociais, as subjetivações possíveis se difundem pelo mundo, conectando indivíduos e construindo novos/as sujeitos/as políticos. Esta livre expressão abre espaço para os corpos até então silenciados: corpos latino-americanos/as, corpos negros, corpos gordos, corpos queer, corpos marginalizados, corpos que questionam, corpos subversivos.  Em paralelo, assiste-se a uma reação conservadora, a qual retoma valores morais ancorados na intolerância à diversidade sexual, étnica, racial e na misoginia.

No Brasil, o fazer artístico e acadêmico tem sido palco para a perseguição política. O uso de imagens e de debates sobre o corpo, a arte e a política no âmbito artístico e intelectual tornam-se passíveis de condenação. Crescem os grupos que buscam silenciar sujeitas/os políticas/os emergentes, através de discursos de ódio e incitação à violência.

Tais episódios não são isolados, tem sido recorrentes e devem ser problematizados em um contexto  maior. Estas censuras e cerceamentos atendem aos interesses de quem? O medo sentido por pesquisadoras/es e artistas que trabalham com os conceitos de corpo, identidades, alteridades, gênero e sexualidade de forma crítica indicam uma permissividade social aos discursos e práticas associadas ao fascismo, ao racismo, à misoginia e à violência. Como podemos enfrentar tal panorama político? Quais são as formas de resistência possíveis?

O Dossiê Corpo, Arte e Política, organizado pelas professoras da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA), Dra. Gabriela Canale Miola e Professora Dra. Elena de Oliveira Schuck, surge neste contexto: lançamos uma proposta de diálogo, convidando as/os interessadas/os ao envio de trabalhos que contribuam para o debate sobre as relações entre Arte e Política. O corpo constitui o eixo central das discussões, podendo ser associado às diversas possibilidades do fazer artístico e da resistência política. Serão bem-vindas propostas que abordem os horizontes epistemológicos do sul global; as teorias políticas críticas e abordagens decoloniais; os recortes interseccionais de gênero, raça, classe e sexualidade; a arte, imagem e representação como instrumentos políticos; as novas estéticas; e  a miscigenação entre linguagens, poéticas e campos de atuação. Serão igualmente bem-vindos artigos, relatos, entrevistas que abordem as possibilidades subversivas da arte, seja através do cinema, do teatro, da dança, da performance, da fotografia, dentre outras expressões artísticas. Buscamos, com este dossiê, construir/ampliar um espaço de interlocução crítica e de resistência política e poética entre pesquisadoras/es, artistas e o público na América Latina.

 

 

 

 

 
Publicado: 2018-03-13
 
Outras notícias...

n. 11 (2018)


Capa da revista
Créditos: Ivan Freire.