Edições anteriores

  • Pedagogias Decoloniais
    v. 1 n. 14 (2020)

  • Ditaduras, Resistências e Memórias: ditaduras iberoamericanas em perspectiva comparada.
    n. 12 (2019)

    Governos autoritários e ditatoriais marcaram a história ibérica e latino-americana no decorrer do século XX. A despeito das variações temporais e particularidades político-culturais, esses governos foram marcados por diversas violações aos direitos humanos, as quais interferiram – e interferem – nos processos de (re)construção da democracia devido ao legado autoritário que deixaram, o qual se manifesta de modo diferenciado em virtude das especificidades políticas, econômicas, sociais e culturais de cada país.

    O dossiê visa a reunir pesquisas sobre as ditaduras iberoamericanas que enfatizem o aparato repressivo, normativo e de propaganda, as diversas formas de resistência e as memórias sobre estes períodos autoritários. Serão priorizadas as pesquisas que analisem as ditaduras iberoamericanas em perspectiva comparada, transnacional ou conectada. No entanto, também serão aceitos trabalhos sobre casos particulares e análises teórico-metodológicas e historiográficas. O dossiê pretende ser um panomara inter e multidisciplinar sobre o tema, que envolva áreas como História, Relações Internacionais, Ciência Política, Sociologia, Antropologia, Literatura, Artes e outras.

     

    Organizadores:

     

    Paulo Renato da Silva – Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA)

    Fernando Martins – Universidade de Évora (UÉ)

  • n. 10 (2017)

    Descolonizar os saberes, o pensamento, a estética, a subjetividade. Desaprender para volver a aprender. O próximo dossiê da Revista SURES abre a chamada para artigos que procurem dar visibilidade a uma variada imaginação sociocultural que perpassa nossas sociedades, mas que sempre foi considerada inferior, inculta ou bárbara. É hora de explorar esses universos que contemplam racionalidades outras, vinculados a corporalidades e territórios específicos, enraizados em experiências poético-políticas que esgarçam o sentido tradicional da estética e a circulação hegemônica dos discursos. Este novo número da Revista SURES quer trazer à baila reflexões que incorporem a diversidade das práticas e saberes, e os trânsitos culturais da contemporaneidade latino-americana.
  • n. 7 (2016)

    A complexidade da região do globo denominada América Latina impõe desafios para aqueles que se propõem a pensá-la. Enquanto região plural, apresenta inúmeras particularidades e, portanto, grande diversidade de manifestações culturais. Buscar e reconhecer singularidades também não seria uma forma de se aproximar da América Latina? Percorramos caminhos que dialoguem com as diversas manifestações das artes. Artes pensadas e vividas no plural, onde esteja presente a criação, a experimentação e/ou proposições críticas e olhares inquietos. Deixemo-nos seduzir pelo particular e nos desafiemos a aprender pelo olhar, pelo ouvir, pelo falar e pelo fazer. Em sua trajetória aberta ao diálogo com diversas áreas do conhecimento, Sures nos convida neste número a construir reflexões que partam de formas e práticas de criar, simbolizar e significar a América Latina ao longo de sua história. Por isso convida pesquisadores, artistas, artesãos, mestres populares e quem mais puder contribuir na elaboração de reflexões críticas que nos conduzam a um amplo e pertinente panorama latinoamericanista. 

  • Mapa Torres García

    n. 6 (2015)

    A América Latina vive, hoje, um novo cenário geopolítico sobre o qual se estruturam direções alternativas – em grande medida contra hegemônicas – para as práticas sociais e políticas que marcam as primeiras décadas do século XXI. Neste contexto a cultura, aliada às novas técnicas (sobre tudo da informação), atua como uma base fundamental sobre a qual se rearticulam e reelaboram as idiossincrasias históricas do continente, rearmando o quebra-cabeça territorial através de trânsitos e hibridações que alcançam níveis cada vez mais intensos e profundos. Imagens e discursos de variados âmbitos e ascendências se intercomunicam e transvasam limites vários: dos Estados Nacionais, das identidades, das práticas tradicionais de produção do conhecimento e de sociabilidade.

    É a partir deste contexto que a sexta edição da Revista SURES propõe como tema para o seu dossiê a mediação cultural, pensada a partir de políticas públicas ou de práticas interculturais, mas também como ações e processos que colocam em diálogo as diversas linguagens da arte. Mediação cultural como tradução e intermidialidade e, por outro lado, como agente de fundamental importância que possibilita pensar de forma mais ampla a integração da América Latina e Caribe em pleno século XXI.

  • Jornadas Internacionais de Problemas Latino-Americanos

    n. 5 (2015)

    Jornadas Internacionais de Problemas Latino-Americanos
  • Paraguai, novos temas, novas abordagens: arte, cultura e história.
    v. 1 n. 4 (2014)

    Nesta oportunidade a SURES dedica o dossiê ao tema: Paraguai, novos temas, novas abordagens: arte, cultura e história.

    Há um interesse renovado e crescente pelo Paraguai. A eleição de Fernando Lugo em 2008, o Bicentenário em 2011 e o golpe parlamentar de 2012 estimularam diversas pesquisas e debates. Mas, como aponta Gerardo Caetano, ainda cabe superar a “coisificação” do Paraguai, frequentemente visto como uma “folclórica excepcionalidade regional de país impossível e inviável”, fruto de uma visão determinista e fatalista que ainda pesa sobre os paraguaios. Ou, como destaca José Carlos Rodríguez, cabe superar a visão de um país “sem sociedade, com gente inocente”. O ano de 2014 será particularmente convidativo para analisarmos processos e manifestações importantes da arte, cultura e história do Paraguai: 150 anos do começo da Guerra da Tríplice Aliança, 60 anos do golpe de Estado de 1954, 50 anos da Revista Paraguaya de Sociología, 40 anos de Eu, o Supremo e 25 anos da queda da ditadura Stroessner, dentre outros exemplos. Nesta Edição número 4 da SURES convidamos a submeter os seus trabalhos os pesquisadores interessados em aprofundar o apontado acima por Gerardo Caetano e José Carlos Rodríguez. Convidamos pesquisadores interessados em pensar o Paraguai em suas particularidades, multiculturalidade e como um espaço de (re)criações, e não simplesmente de reprodução tardia e distorcida do que se passa em outros países. Aceitamos trabalhos sobre o país ou que analisam o Paraguai comparativamente com outros países.

    Paulo Renato da Silva: Editor da Edição número 4

    E-mail: paulo.silva@unila.edu.br

    Jorgelina Ivana Tallei: Editora Adjunta

    e-mail: jorgelina.tallei@unila.edu.br

  • Interculturalidade, diversidade, plurilinguismo

    Diversidade, plurilinguismo e interculturalidade
    n. 3 (2014)

    Para pensar a América Latina como uma sociedade multicultural e plurilíngue, são necessários alguns conceitos chaves para entender as suas identidades plurais. Historicamente, as políticas do Estado-nação procuraram excluir ou silenciar a diversidade linguístico-cultural de grupos e etnias. Considerando este cenário, partir dos processos de construção de sentidos e representações de imaginários supõe a combinação de dispositivos que se articulem entre os âmbitos da cultura, das línguas e da sociedade no tempo e no espaço. Como proposta interdisciplinar para o século XXI, a SURES aposta em reflexões sobre a interculturalidade, e certos mecanismos monoculturais em contextos híbridos, para entender diferentes assimetrias ainda vigentes nesta parte do mundo.

    Jorgelina Ivana Tallei

    Editora da Edição Número 3

    E-mail: Jorgelina.tallei@unila.edu.br

  • SURES
    n. 1 (2013)