A universidade como espaço central na formação de professores de Química

Autores

  • Edson Frozza Universidade Federal de Pelotas
  • Bruno dos Santos Pastoriza

DOI:

https://doi.org/10.30705/eqpv.v2i2.1413

Resumo

Uma vez que o processo de formação de professores tem sido muito discutido no campo da Educação, e considerando a importância do processo de formação no modo como o professor atua, buscamos neste trabalho evidenciar o discurso sobre a formação de professores de Química presente no Ensino Superior. Para esse estudo, percorremos as falas de professores de disciplinas experimentais de um curso de licenciatura em Química de uma universidade pública federal e o PPC desse curso, utilizando como espaço de diferenciação publicações no campo da Educação Química. Como aporte teórico-metodológico, utilizamos a Análise de Discurso a partir das compreensões de Michel Foucault. Os resultados do estudo evidenciaram, no espaço universitário, um discurso que coloca a universidade como o local por excelência de formação de professores, produzindo efeitos no modo de pensar os cursos de formação. Nesse sentido, as conclusões encaminham a pensar e repensar as práticas desenvolvidas nos cursos de formação docente.

Biografia do Autor

Edson Frozza, Universidade Federal de Pelotas

Licenciado em Química pela Universidade Federal da Fronteira Sul. Mestre em Química pela UNiversidade Federal de Pelotas.

Referências

ALMEIDA, M. I. D.; PIMENTA, S. G. Docência universitária: passos de um percurso formativo. In: PIMENTA, S. G.; ALMEIDA, M. I. D. Pedagogia Universitária: caminhos para a formação de professores. São Paulo: Cortez, p. 7-16, 2011.

ATKINS, P.; JONES, L. Princípios de Química: questionando a vida moderna e o meio ambiente. 5ª ed. Porto Alegre: Bookman, p. 922, 2012.

BERTANHA, P. Formação Pedagógica do Professor de Ensino Superior: os programas de Pós-Graduação nota 7.0. 2015, 199 f. Tese (Doutorado em Educação Escolar), Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquista Filho, Faculdade de Ciências e Letras, Araraquara, 2016.

BRASIL. Ministério da Educação, secretaria de educação básica. Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação de professores, Brasília, 2015.

______. Ministério da Educação. Lei nº. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br. Acesso em: 26 de jul. de 2018.

FOUCAULT, M. As palavras e as coisas: uma arqueologia das ciências humanas. 8. ed. São Paulo: Martins Fontes, p. 541, 1999.

¬______. A Arqueologia do Saber. Rio de Janeiro: 8ª ed. Forence Uiversitária, p. 254, 2016.

______. A Ordem do Discurso. 24ª ed. São Paulo: Edições Loyola, p. 74, 2014.

GAUCHE, R. et al. Formação de professores de química: concepções e proposições. Química Nova na Escola, n. 27, p. 26-29, 2008.

GONÇALVES, F. P. A problematização das atividades experimentais no desenvolvimento profissional e na docência dos formadores de professores de Química. 2009. 234 f. (Doutorado em Educação científica e tecnológica). Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Tecnológica, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2009.

IZA, D. F. V. et al. Identidade docente: as várias faces da constituição do ser professor. Revista Eletrônica de Educação, v. 8, n. 2, p. 273-292, 2014.

LARROSA, J. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Revista Brasileira de Educação, n. 19, p. 20-28, 2002.

LISBÔA, J. C. F. QNEsc e a Seção Experimentação no Ensino de Química. Química Nova na Escola, v. 37, n. 2, p. 198-202, 2015.

LOPES, A. C. Por um currículo sem fundamentos. Linhas Críticas, v. 21, n. 45, p. 445-466, 2015.

MACEDO, E. As demandas conservadoras do movimento escola sem partido e a Base Nacional Curricular Comum. Educação e Sociedade, v. 38, n. 139, p. 507-524, 2017.

MARÍN-DÍAZ, Dora. Infância: discussões contemporâneas, saber pedagógico e governamentalidade. 2009. 199f. Dissertação (Mestrado em Educação). Programa de Pós Graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009.

MARQUES, D. M. Formação de professores de ciências no contexto da História da Ciência. História da Ciência e Ensino: construindo interfaces, v. 11, p. 1-17, 2015.

PASTORIZA, B. D. S. Educação Química em discurso, ou sobre um modo de olhar para a prática da Educação Química. 2015, 374 f. Tese (Doutorado em Educação). Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde, Universidade Federal do Rio Grande, Porto Alegre, 2015.

QUADROS, A. L. D. et al. A formação do professor universitário no percurso de pós-graduação em Química. Ciência e Educação, v. 18, n. 2, p. 309-321, 2012.

RIBEIRO, M. E. M.; RAMOS, M. G. Propostas de formação de professores de Química em trabalhos apresentados em edições do ENEQ. Educação Química en Punto de Vista, v. 1, n. 2, p. 1-12, 2017.

SANTOS, M. R. D.; CAVALCANTI, E. L. D. A Formação Inicial e Continuada dos Professores de Química: Uma Análise do Quadro Docente de Barreiras – Bahia. Orbital: The Electronic Journal of Chemistry, v. 8, n. 1, p. 1-9, 2016.

SAVIANI, D. Formação de professores: aspectos históricos e teóricos do problema no contexto brasileiro. Revista Brasileira de Educação, v. 14, n. 40, p. 143-155, 2009.

SILVA, C. S. D.; OLIVEIRA, L. A. A. D. Formação inicial de professores de química: formação específica e pedagógica. In: NARDI, R. Ensino de ciências e matemática, I: temas sobre a formação de professores. São Paulo: UNESP, p. 43-57, 2009.

SILVA, J. O. D. Desafio pré-vestibular UFPel: a extensão universitária na formação de professores de ciências da natureza. 2017, 163 f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências). Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências: Química da Vida e Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2017.

SOARES, M. H. F. B. et al. A formação de professores de química pela pesquisa: algumas ações da área de ensino de química do Instituto de Química da Universidade Federal de Goiás. Espaço Plural, n. 26, p. 70-87, 2012.

SOARES, S. R.; CUNHA, M. I. D. Programas de pós-graduação em Educação: lugar de formação da docência universitária? RBPG, v. 7, n. 14, p. 577-604, 2010.

TARDIF, M. Saberes profissionais dos professores e conhecimentos universitários: elementos para uma epistemologia da prática profissional dos professores e suas consequências em relação à formação para o magistério. Revista Brasileira de Educação, n. 13, p. 5-24, 2000.

UFPEL. Projeto pedagógico do curso de Licenciatura em Química. Pelotas, 2009, p.38. Disponível em:<https://wp.ufpel.edu.br/licenciaturaquimica/projeto-pedagogico/>. Acesso em: 18 de jul. de 2018.

______. Projeto pedagógico do curso de Licenciatura em Química. Pelotas, 2016, p.160. Disponível em:<https://wp.ufpel.edu.br/licenciaturaquimica/projeto-pedagogico/>. Acesso em: 18 de jul. de 2018.

VEIGA-NETO, A.; NOGUEIRA, C. E. Conhecimento e Saber apontamentos para os estudos de currículo. In: SANTOS, L.; AL., E. Convergências e tensões no campo da formação e trabalho docente. Belo Horizonte: Autêntica, 2010. p. 67-87.

Downloads

Publicado

2019-01-31

Edição

Seção

Pesquisa en Punto de Vista