Analogia e mediação docente no processo de ensino e aprendizagem de equilíbrio químico

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30705/eqpv.v2i2.1419

Resumo

Este artigo é uma análise feita por um professor de ensino médio sobre a sua prática com analogias em aulas de Química sob a ótica da abordagem histórico cultural. Para este estudo foi escolhida uma analogia referente ao equilíbrio químico, onde professor e aluno trocam canetas a fim de demonstrar a definição de Equilíbrio Químico mostrando suas propriedades e suas deficiências e as suas eventuais possibilidades de colaboração que ela pode contribuir para a construção do pensamento químico do aluno. Para uma melhor compreensão as aulas foram gravadas e transcritas e logo após o uso da analogia, foi aplicado um teste aos alunos de ensino médio para que se apresentassem as possibilidades de análise dos resultados. Os conceitos da abordagem histórico-cultural desenvolvidos inicialmente por Vygotsky, principalmente: interação verbal, formação de conceitos, e significação e ressignificação de palavras serviram de base para a melhor compreensão do uso dessa analogia.

Biografia do Autor

Marcelo Dotti, Colégio Técnico de Limeira (UNICAMP/Brasil)

Mestre em Educação Química pela Universidade Metodista de Piracicaba. (UNIMEP/Brasil).

Licenciado em Química pela Universidade Metodista de Piracicaba (UNIMEP/Brasil).

Professor do Colégio Técnico de Limeira (UNICAMP/Brasil).

 

Referências

BACHELARD, G. A formação do espírito científico. Contribuição para uma Psicanálise do conhecimento. 5ªed. Rio de Janeiro, Contraponto. 2005.

BAKTHIN, M. Estética da criação verbal. Trad. Paulo Bezerra. 5 ed. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2010, 476p.

CURTIS, R. V.; REIGELUTH, C. M. The use of analogies in written text. Instructional Science, Dordrecht, v. 13, n. 2, 1984, p. 99-117.

DAGHER, Z. R. . O caso das analogias no ensino da ciência para a compreensão. In J.J Mintzes, J.H. Wandersee& J.D. Novak (Eds.). Ensinando Ciência Para A Compreensão (pp. 180-193). Lisboa: Plátano Edições Técnicas, 2000.

DUARTE, M. C. Analogias na Educação em Ciências: Contributos e Desafios. Investigações em Ensino de Ciências. v.10, nº1, 2005, p. 07-29.

DUIT, R. On the role of analogies and metaphors in learning science. Science Education. v.75,n.6, 1991, p.649.

FABIÃO, L. S. e DUARTE, M. C. Dificuldades de produção e exploração de analogias: um estudo no tema equilíbrio químico com alunos/futuros professores de ciências. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, v.4, n.1, 2005, p.1-17.

FERRAZ, D. F.; TERRAZZAN. Ciência & Educação, Uso espontâneo de analogias por professores de biologia e o uso sistematizado de analogias: Que relação? v. 9, n. 2, 2003, p. 213-227.

FONSECA, E.G.F e NAGEM, R.L., A utilização de modelos, analogias e metáforas na construção de conhecimentos significativos à luz da teoria de Vygotsky. II Simpósio Nacional de Ensino de Ciência e Tecnologia

FRANCISCO JR, W. E. Analogias em livros didáticos de química: um estudo das obras aprovadas pelo PNLEM 2007. Ciências e Cognição. Rio de Janeiro, v. 14, n. 1, 2009, p. 121-143.

HARRISON, A. G.; TREAGUST, D. F. Science Analogies: avoid misconceptions with the systematic approach. The Science Teacher, n. 61, p.40-43, abril, 1994.

HARRISON, A. e TREAGUST, D. F. (2003). A typology of school science models. International Journal of Science Education, 22(9), 1011-1026.

GLYNN, S. M.; TAKAHASHI, T. Learning fromanalogy-enhancedsciencetext. Journal of Research in Science Teaching, v.35, n.10, 1989, p.1129.

MÓL, G. S. O uso de analogia no ensino de química. Tese (Doutorado em Educação em Química) Universidade de Brasília: Brasília/DF, 1999, p. 284.

NAGEM, R. L. Expressão e recepção do pensamento humano e sua relação como processo de ensino e de aprendizagem no campo da ciência e da tecnologia: imagens, metáforas e analogias. Seminário de Metodologias de Ensino na Área da Educação em Ciência. Belo Horizonte, 1997.

PERELMAN, C. Argumentação. In: Enciclopédia Einaudi. Lisboa: Imprensa Nacional/Casa da Moeda, 1987.

RODRIGUES, L. P. Analogias, Modelos e metáforas na produção do conhecimento em Ciencias Sociais. Pensamento plural - periodicos.ufpel.edu.br. 2010.

THIELE, R. B.; TREAGUST, D. F. The nature and extent of analogies in secondary chemistry textbooks. Instructional Science, v. 22, n. 6, 1994, p. 61-64.

VYGOTSKY, L. S. Pensamento e Linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

Downloads

Publicado

2019-01-31

Edição

Seção

Produtos Educacionais e Intervenções em Sala de Aula