Educação não formal na formação de professores de Química: reflexões no contexto da pandemia de COVID-19

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30705/eqpv.v5i1.2582

Resumo

O presente texto, de caráter qualitativo, apresenta reflexões acerca dos desafios e possibilidades da realização do estágio em espaços não formais de ensino, em um Curso de Química Licenciatura da região das Missões-RS. O estudo teve como objetivo refletir sobre o processo de formação docente dos licenciandos para a realização do estágio. As análises foram realizadas a partir das escritas reflexivas realizadas por seis licenciandos, que realizaram o estágio no decorrer do primeiro semestre do ano de 2020, coincidindo com o afastamento social provocado pelo COVID-19. Por meio da análise de conteúdo, identificamos duas categorias, sendo uma, relacionada às compreensões acerca do estágio não formal e a importância deste na formação de professores; e outra, aos desafios e possibilidades durante a pandemia. Os resultados indicam que o estágio não formal de ensino, no período da pandemia, desafiou os licenciandos a novos entendimentos acerca dos processos de ensinar e aprender.

Biografia do Autor

Fabiane de Andrade Leite, Universidade Federal da Fronteira Sul

Doutora em Educação nas Ciências pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ). Professora de Práticas de Ensino e Estágio Supervisionado do curso de Química – Licenciatura (UFFS).

Neusete Machado Rigo, Neusete Machado Rigo

Doutora em Educação pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Professora de Fundamentos da Educação do curso de Química – Licenciatura (UFFS).

 

Downloads

Publicado

2021-07-02

Edição

Seção

Dossiê: Estágio Supervisionado na Licenciatura em Química - diferentes olhares