Consciência pedagógica e vir a ser docente: as idas e vindas formativas nas entrelinhas dos relatos de estágio de um licenciando

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30705/eqpv.v5i1.2594

Resumo

A formação inicial de educadores químicos perpassa por dois momentos gerais: o estudo dos conteúdos químicos e pedagógicos e, em seguida, a articulação destes conhecimentos para explicar os fenômenos educativos enquanto docente observador e, depois, como regente de uma turma na supervisão de dois professores – o regente oficial e o formador. Neste último momento, há grande dificuldade da parte dos professores em formação em fazer essa articulação por conta do apego ao pragmatismo largamente difundido na profissão ou até mesmo à ideia metafísica de que só as pessoas agraciadas com o dom da docência podem realizá-lo. Rompendo com essas falácias – tanto as praticistas, quanto as metafísicas –, procuramos evidenciar algumas articulações da teoria com a prática feitas nos relatórios dos estágios de observação e regência de um estudante da licenciatura em química, nas quais estejam presentes a especificidade da formação docente, como também a impossibilidade do trabalho educativo ser desenvolvido de maneira inconsciente e recuado da teoria ou da realidade objetiva. Neste artigo, fazemos uma primeira aproximação ao conceito de consciência pedagógica para compreender o estágio e seu relato articulado à teoria. Acreditamos que este trabalho poderá servir de ajuda para educadores químicos em formação, desde a observação até o momento criativo de planejamento das aulas e suas respectivas descrições, mas, sobretudo, para negritar a necessidade de superar o apego a teorias pedagógicas abstratas e a empiria isolada que nada explica e pouco orienta os professores.

Biografia do Autor

Pedro Vinícius Castro Magalhães do Amparo, Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Licenciado em Química pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). 

Hélio da Silva Messeder Neto, Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Doutor pelo programa de pós-graduação em Ensino, Filosofia e História das Ciências da UFBA. Professor Adjunto I da Universidade Federal da Bahia. É professor permanente no Programa de Pós-Graduação em Ensino, Filosofia e História das Ciências da UFBA/UEFS. Lider do grupo de pesquisa ENCONCIENCIAs (Grupo de Pesquisa em Ensino Concreto de Ciências).

Downloads

Publicado

2021-07-02

Edição

Seção

Dossiê: Estágio Supervisionado na Licenciatura em Química - diferentes olhares