Os olhos d’água e as insubmissas lágrimas de Conceição Evaristo: marcas de violência em contos afro-brasileiros

Autores

  • Rodrigo Nunes de Souza Universidade Federal de Campina Grande (UFCG)

Resumo

Em textos de autoria feminina negra, vê-se que, por meio da escrita, consegue-se problematizar os espaços restritos que foram ‘’pré-concebidos’’ a essas mulheres que, dia após dia, lutam para adquirirem o devido reconhecimento. Esse artigo destaca como a escritora Conceição Evaristo utiliza-se da escrevivência para tratar temas relacionados à condição feminina e à violência às mulheres negras nos contos ‘’Ana Davenga’’, ‘’Duzu-Querença’’ e ‘’Natalina Soledad’’, narrativas presentes nos livros Olhos d’Água (2014) e Insubmissas lágrimas de mulheres (2016). Constata-se que o gênero conto age como uma forma de denúncia encontrada pela autora para tornar visíveis as questões acima mencionadas.

Biografia do Autor

Rodrigo Nunes de Souza, Universidade Federal de Campina Grande (UFCG)

Mestre em Linguagem & Ensino, com ênfase em Estudos Literários, pela Universidade Federal de Campina Grande (2019). Possui Graduação em Letras, com habilitação em Língua Portuguesa, pela Universidade Estadual da Paraíba (2014). Tem experiência na área de Letras, dedicando-se às Literaturas Africanas de Língua Portuguesa e à Literatura Brasileira, principalmente às produções literárias de autoria feminina. Suas pesquisas voltam-se para os seguintes temas: literatura e ensino; literatura e formação docente; colonialismo e pós-colonialismo; África e suas diásporas; exílio; literatura e sociedade; educação feminina; teoria/crítica feminista; visibilidade da produção literária escrita por mulheres e outros temas que se relacionem ao feminino. Também se interessa pelas Literaturas produzidas por escritoras e escritores de países que fazem parte da África francófona.

Downloads

Publicado

2020-12-21