Os brutos também amam? "Amores Perros" e o cinema mexicano contemporâneo

Autores

  • Wellington Fioruci UTFPR

Palavras-chave:

Cinema mexicano; fragmentação; violência; marginalização social; morte.

Resumo

Tanto o tema da violência quanto o da marginalização e suas implicações sociais são recorrentes no cinema latino-americano, os quais são abordados a partir de perspectivas diversas, não raro criativas e mesmo subversivas. Este artigo tem como objetivo analisar o filme mexicano Amores Perros (2000), dirigido por Alejandro González Iñárritu e roteirizado por Guillermo Arriaga, ambos pertencentes ao movimento de renovação do cinema mexicano contemporâneo. Para a análise em questão foram utilizadas sobretudo fontes tanto críticas quanto teóricas relativas aos estudos de cinema. Primeiramente, o longa-metragem é contextualizado na produção cinematográfica do México e, na sequência, analisado a partir de sua construção fragmentária e sua relação com os temas da violência, da marginalização social e da morte. A estrutura fragmentada do filme, dividido em três segmentos narrativos, apresenta a realidade de diferentes personagens que se conectam por meio do acaso, um acidente automobilístico. A partir deste acidente, o espectador acompanha a trajetória dos três núcleos diegéticos e o confronto destes com as consequências deste acidente e seus próprios dilemas. Além do argumento muito bem construído, cujo roteiro revela metáforas significativas, destacam-se a montagem, a fotografia e o movimentos de câmera por parte da equipe realizadora. 

 

Referências

ALTMAN, Robert. Introdução. In: CARVER, Raymond. Short Cuts. Cenas da vida. Rio de Janeiro: Rocco, 1994.

AMORES BRUTOS. Direção: Alejandro González Iñárritu. Roteiro: Guillermo Arriaga. México: Altavista Films, 2000. DVD (154 minutos), Dolby digital, colorido.

BERNINI, Emilio. El repliegue del cine latino-americano en la década de 1980. In: Enfoco, nº44, ano 06. San Antonio de los Baños: Ediciones EICTV, noviembre-diciembre 2013, p. 10-16.

BOLEWSKI, C. Nonlinear narratives: crossing borders between contemporary film, art and digital media practice. International Journal of the Arts in Society, nº6. , Leicestershire: Loughborough University, 2011, p. 239 - 250. Disponível em: https://core.ac.uk/download/pdf/288375091.pdf Acesso em: 08 fev. 2021.

BOOKER, M. Keith. Postmodern Hollywood: what’s new in film and why it makes us feel so strange. Westport: Praeger, 2007.

BORDWELL, David. Poetics of cinema. New York: Routledge, 2008.

CARRIÈRE, Jean-Claude. A linguagem secreta do cinema. Trad. Fernando Albagli; Benjamim Albagli. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2014.

FRÍAS, Isaac León. Las imprecisiones de una noción. In: Enfoco, nº44, ano 06. San Antonio de los Baños: Ediciones EICTV, noviembre-diciembre 2013, p. 05-09.

GONZÁLEZ, Concepción Maldonado. Diccionario de uso del español actual. 3ª edição. Prólogo de Gabriel García Márquez. Madri: Ediciones SM, 1999.

IMBERT, Gérard. Cine e imaginario sociales. El cine posmoderno como experiencia de los límites (1990-2010). Madrid: Cátedra, 2017.

KARAM, Tanius. Modos de experienciar la muerte en el cine de González Iñárritu. In: Quórum Académico, vol. 16, nº 2. México: Universidad del Zulia, 2019, p. 9-33. Disponível em: https://www.redalyc.org/jatsRepo/1990/199061671002/html/index.html. Acesso em: 02 fev. 2021.

KOSIK, Karel. Dialética do concreto. Trad. Célia Neves e Alderico Toríbio. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2002.

LEHNEN, Jeremy. Marginality, Mayhem and Middle-Class Anxieties: Imaginaries of Masculinity and Urban Violence in Contemporary Mexican and Brazilian Film. 2010, 296 f. Tese de doutorado. Albuquerque, The University of New Mexico, 2010.

MCKEE, Robert. Story: substância, estrutura, estilo e os princípios da escrita de roteiros. Trad. Chico Marés. Curitiba: Arte & Letra, 2006.

MIQUEL, Ángel. Panorama del cine mexicano contemporáneo. In: Inventio, nº4, vol. 2, p.80-86. Disponível em: http://inventio.uaem.mx/index.php/inventio/article/view/198/337. Acesso em: 16 fev. 2021.

NIETSZCHE, F. Fragmentos Póstumos. Tradução Oswaldo Giacoia Junior. Textos Didáticos, IFCH/UNICAMP, n.22, abril de 1996.

PAZ, Octavio. Vuelta. Barcelona: Seix Barral, 1976.

PARANAGUA, Paulo Antonio. Tradición y modernidad en el cine de América Latina. México: Fondo de Cultura Económica, 2003.

ROCHA, Glauber. Revolução do Cinema Novo. São Paulo: Cosac & Naify, 2004.

RUEDAS, Amanda. 1989-2008 – 20 años de cine latinoamericano: tendencias y evoluciones. In: Cinémas d’Amérique Latine, nº16, 2008, p.18-31. Disponível em: https://journals.openedition.org/cinelatino/2036?lang=es. Acesso em: 10 mar. 2021.

VIANA, Mauro Giuntini. A narrativa cinematográfica de Alejandro González Iñárritu. 313 f. Tese (Doutorado em Comunicação) Universidade de Brasília: Brasília, 2015.

Downloads

Publicado

2022-04-27

Como Citar

Fioruci, W. (2022). Os brutos também amam? "Amores Perros" e o cinema mexicano contemporâneo. Frontería evista o rograma e Pós-Graduação m iteratura omparada, 2(3), 38–55. ecuperado de https://revistas.unila.edu.br/litcomparada/article/view/3014

Edição

Seção

Formas e efeitos da violência na literatura e no cinema latino-americano