Desenvolvimento de habilidades investigativas utilizando o lúdico na educação pela pesquisa

Autores

  • Lucas Pereira Gandra Fundação Educacional de Coxim e UNOPAR-Pólo Coxim-MS
  • Geilson Rodrigues da Silva UFMS
  • Airton José Vinholi Júnior IFMS

DOI:

https://doi.org/10.30691/relus.v2i1.994

Resumo

As pesquisas em Ensino de Ciências preconizam pela utilização de metodologias que rompam com o ensino tradicional e promovam a construção do conhecimento.  Sendo assim, umas das possibilidades é a educação pela pesquisa, que favorece o protagonismo juvenil e a ludicidade no processo de ensino e aprendizagem, bem como, o desenvolvimento de habilidades investigativas. Participaram dessa pesquisa vinte dois estudantes do 1º ano do Ensino Médio de uma Escola Estadual no município de Coxim-MS. Na qual se aplicou um questionário aberto para avaliar a presença do lúdico na educação e as habilidades investigativas desenvolvidas, a partir da análise de conteúdo categorial. Foram produzidos doze projetos de pesquisas em seis áreas do conhecimento conforme o interesse dos estudantes. Com isso a educação pela pesquisa com o lúdico favoreceu o desenvolvimento de habilidades investigativas de percepção, pensamento, construção conceitual, construção metodológica e de construção social, para isso a iniciação científica, garantiu a autonomia do estudante, tornando a atividade lúdica, melhorando o engajamento dos estudantes com o processo de ensino e aprendizagem.

Biografia do Autor

Lucas Pereira Gandra, Fundação Educacional de Coxim e UNOPAR-Pólo Coxim-MS

Licenciado em Química pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul (IFMS), foi aluno de Iniciação Científica PIBIC-CNPq por 3 anos e aluno de Iniciação à Docência PIBID-CAPES. Licenciado em Matemática pelo Claretiano. Licenciando em Física pela UNIMES. Especialista em Educação à Distância pela UNOPAR. É professor de Física, Química e Biologia da Fundação Educacional de Coxim (FEC). Professor de Física, Matemática e Iniciação Científica da Escola Estadual Viriato Bandeira (E.E.V.B). Professor de Química, Física e Matemática da Escola Santa Teresa. É Responsável Técnico e Tutor das Aulas Práticas dos Laboratórios da UNOPAR Santa Teresa de Coxim e Anhanguera Santa Teresa de São Gabriel do Oeste. Orientou mais de 80 projetos de iniciação científica de estudantes do Ensino Fundamental e Médio em Feiras Pré Universitárias como FECINORTE-E.E Viriato Bandeira, FECITECX-IFMS, FETEC-UFMS e FEBRACE-USP. Atua principalmente nos seguintes temas: Modelagem para o Ensino de Química, Ensino de Química na Educação Profissional e Iniciação Científica. 

Geilson Rodrigues da Silva, UFMS

Graduado em Licenciatura Plena em Química pelo Instituto Federal de Mato Grosso do Sul, foi aluno de iniciação científica PIBIC-CNPq, por quatro anos. Participou do grupo de pesquisa TAQUARI: Estudos e Pesquisas em Ensino, Tecnologias e Desenvolvimento Regional, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul, por dois anos. Atualmente é Mestrando em Ensino de Ciências pelo Programa de Pós- Graduação em Ensino de Ciências pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Atuou na coorientação de projetos de pesquisa para as seguintes Feiras Científicas: Feira de Ciência e Tecnologia de Coxim (FECITECX-IFMS), Feira de Ciências e Inovação da região Norte de Mato Grosso do Sul (FECINORTE- E.E. Viriato Bandeira), Feira de Tecnologias, Engenharias e Ciências de Mato Grosso do Sul (FETECMS-UFMS), Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (FEBRACE-USP). Atua nos seguintes Temas: Ensino de Ciências, Divulgação Científica, Iniciação Científica, Ensino de Astronomia, Ensino de Ciências na Educação Profissional e Química Ambiental.

Airton José Vinholi Júnior, IFMS

É licenciado e bacharel em Ciências Biológicas, Mestre em Ensino de Ciências e Doutor em Educação pela UFMS. Tem experiência em projetos de pesquisa em áreas de Cerrado, Pantanal e Amazônia. É servidor docente do Instituto Federal de Mato Grosso do Sul e atualmente exerce a função de Pró-Reitor de Extensão do IFMS. Participa do Grupo de Pesquisa Educação e Gestão Ambiental (GEPEA-MS) e é membro do Grupo Interdisciplinar de Pesquisa em Ensino de Ciências (GINPEC). Atua no Programa de Pós-Graduação (Mestrado) em Ensino de Ciências da UFMS como docente e orientador, por meio de cooperação técnica IFMS-UFMS. Tem experiência na Educação Ambiental e no Ensino de Ciências, atuando principalmente nos seguintes temas: Aprendizagem Significativa (TAS), Modelagem Didática e Ensino de Biologia. Membro do Banco de Avaliadores do Pronatec/Bolsa-Formação (SETEC/MEC).

Referências

AZEVEDO, C. E.F. et al.; A estratégia de triangulação: objetivos, possibilidades, limitações e proximidades com o pragmatismo. EnEPQ: In Encontro de Ensino e Pesquisa em Administração e Contabilidade. Anais, IV, 2013. Brasília: EnEPQ, 2013. 16p.

BALBOA, L. L. El desarrollo de lãs habilidades de investigación em la formación inicial del profesorado de química. 2001. 145p. Tesis el doctorado em ciências pedagógicas. Universidad de Cienfuegos “Carlos Rafael Rodríguez”. Cienfuegos, 2001.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. 4. ed. Lisboa: Edições 70, 2009.

BAYARDO, M.G.M. Potenciar La Educación. Um currículum transversal de formación para La investigación. Revista Electrónica Iberoamericana sobre Calidad, Eficacia y Cambio em Educación, v.3, n.1, p. 520-540, 2005.

BECKER, F. Ensino e Pesquisa: qual a relação? In: BECKER, F.; MARQUES, T. B. I. (Orgs.), Ser Professor é Ser Pesquisador. Porto Alegre: Mediação, 136p, 2007.

BOGDAN, R. S.; BIKEN, S. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. 12.ed. Porto: Porto, 2003.

BOGDAN, R.; BIKLEN, S. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Portugal, PT: Porto Editora, p. 336, 2000.

BRANCO, A. R. M. C.; MOUTINHO, P. E. C. O lúdico no ensino de física: o uso de gincana envolvendo experimentos físicos como método de ensino. Caderno de Física da UEFS, v. 13, n. 2, p. 2601-2608, 2015.

BRASIL. MEC. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ensino Médio. Brasília: MEC/SEMTEC, 1999.

BRASIL. MEC. PCN+: Orientações Educacionais complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais: Ensino Médio. Brasília: MEC/SEMTEC, 2002.

BRASIL. MEC. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretoria de Currículos e Educação Integral. Brasília: MEC, SEB, DICEI, 2013.

CAMPOS, C. J. G. Método De Análise De Conteúdo: ferramenta para a análise de dados qualitativos no campo da saúde. Revista Brasileira de Enfermagem. v. 57, n. 5, p. 611-614, 2004.

CARVAJAL, A. R. S.; PAVÓN, L. B. El desarrollo de habilidades investigativas em el docente de periodismo. Revista Electrônica Formación y Calidad Educativa, v. 4, n. 2, p. 125- 136, 2016.

COSTA, M,A, F. da. Et. al. O desenho como estratégia pedagógica no Ensino de Ciências: O caso da Biossegurança. Revista electrónica de Enseñanza de las Ciencias, v.5, n.1, p.184,191, 2006.

CUNHA, M,B. Jogos no Ensino de Química: Considerações teóricas para sua utilização em sala de aula. Química Nova na Escola. v.34, n.2, p. 92-98, 2012.

DEMO, P.; Educar pela Pesquisa. Autores Associados. 10 ed. São Paulo, 2011.

DEMO, P. Aprender como Autor. Atlas, São Paulo, 2015.

DEMO, P. Educação emancipatória precisa da educação científica. Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, P. 10, 2017.

DEMO, P. Aprender como Autor. Editora Atlas, São Paulo, 2015.

DRIVER, et al., construindo o conhecimento científico na sala de aula. Tradução: Eduardo Fleury Mortimer. Química Nova na Escola, n. 9, p. 31- 40, 1999.

EVANGELISTA, L, de M. SOARES, M.H.F.B. O lúdico no exercício da Educação Ambiental na disciplina de Biologia do nível médio de ensino. Revista da SBEnBio. v.11, n.7,p. 4575- 4586, 2014.

FREIBERGER. R. M.; BERBEL, N. A. N. A proposta do educar pela pesquisa na formação inicial de professores: desafios e contribuições. In: IX Seminário de Pesquisa em Educação da Região Sul. Anais... IX ANPED SUL, Caxias do Sul, 18p, 2012.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia – Saberes necessários à prática educativa. Editora: Paz e Terra, Rio de Janeiro, 1996.

GALIAZZI, M do C.; MORAES, R. Educação pela pesquisa como modo, tempo e espaço de qualificação da formação de professores de ciências. Revista Ciência e Educação, v. 8, n. 2, p. 237-252, 2002.

GARCEZ, E, S da C.; SOARES, M. H. F. B. Um estudo do estado da arte sobre a utilização do lúdico e Ensino de Química. Revista Brasileira em Educação em Ciências. v.17, n.1, p. 183-214, 2017.

GIL, A, C.; Métodos e técnicas de pesquisa social. 6 ed. Atlas, São Paulo. 2008.

GIL, A,C. Como elaborar projetos de pesquisa. 6 ed. Atlas: São Paulo, 2017.

KISHIMOTO, T. M.; et al. Jogo, brinquedo, brincadeira e a educação. São Paulo: Cortez, 2011.

LEITE, G, M. da, S. LIMA, F,G.C. CALDAS, A, de, J. O Ensino de Ciências por meio de práticas lúdicas no recreio escolar. Revista da SBEnBio, v,11, n.7, p. 2722-2730, 2014.

LIMA, E, C, C de. ALTARUGIO, M, H. Concepções sobre ludicidade: Um estudo e uma proposta para a formação inicial de professores de química. Revista Debates em Ensino de Química. v. 2, n.2 (especial), p. 30-38,2016.

MARCONDES, N. A. V.; BRISOLA, E. M. A. Análise por triangulação de métodos: um referencial para pesquisas qualitativas. Revista Univasp, v. 20, n. 35, P. 201-208, 2014.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de Metodologia Científica. 5 ed. Atlas, São Paulo. 2003.

MAYA, C. P.; BALBOA, L. L. Las habilidades e invariantes investigativas em La formación del profesorado. Una propuesta metodológica para su estúdio. Revista Pedagogia Universitaria, v. 4, n. 2, p. 14 – 44, 1999.

MESSEDER NETO, H. S.; MORADILLO, E. F. Abordagem Contextual Lúdica e o Ensino e Aprendizagem do conceito de Equilibrio Químico: O que há atrás dessa cortina?. Revista Eletrônica Ludus Scientiae, Foz do Iguaçu, v. 01, n. 01, p. 142-162, jan./jul. 2017.

MIRANDA, G, L. H, Tendências actuales del processo de formación de habilidades investigativas em estudiantes de la carreira de medicina. Revista Publicación Latinoamericana y Caribeña de Educación, n. 3, P. 88-97, 2014.

MODESTO, M, C.; RUBIO, J, de A, S. A importância da ludicidade na construção do conhecimento. Revista Eletrônica Saberes da Educação, v. 5, n. 1, p. 1-16, 2014.

MOLINA, O. E, et al. La formación de habilidades investigativas y lãs exigências de La industrial del software. Mikarimin Revista Científica Multidiscplinaria, v. 2, n. 2, p. 53-68, 2016.

OLIVEIRA, P,Z,F.; BAZZO,W,A.; Iniciação Científica no ensino médio: Por Quê? Para Quê? Para Quem?. ESOCITE. In: Jornadas latino-americanas de estudos sociais da ciência e da tecnologia. Anais, XI, 2016, Curitiba,: ESOCITE, 2016, 10 p.

PEREZ, A. R. Habilidades Científico-Investigativas através de La investigación formativa em Estudiantes de educación secundaria. Revista de Investigación y Cultura, v. 3, n. 1, P. 16-30, 2014.

RESENDE,J,C.; et.al.; Importância da iniciação científica e projetos de extensão para graduação em medicina. Revista brasileira de ciências da saúde,. v. 17, n.1, p. 11-18, 2013.

RIVERO, J. J. P.; RAMOS, M. V. C. El desarrollo de habilidades investigativas em Estudiantes de derecho. Una necesidad social y acadêmica. VARONA, Revista Científico-Metodológica, n 61, P. 1- 10, 2015.

RODRÍGUEZ, D. M.; DELGADO, D. L. M. Las habilidades investigativas como eje transversal de la formación para la investigación. Tendencias Pedagógicas, n. 24, P. 347 – 360, 2014a.

RODRÍGUEZ, D. M.; DELGADO, D. L. M. Tendencias de la formación y desarrollo de habilidades investigativas em el pregrado. TLATEMOANI Revista Acadêmica de Investigación, n. 17, P. 33-46, 2014b.

ROSA, P,R,S. Uma introdução à pesquisa qualitativa em ensino. Editora. UFMS: Campo Grande, 2015.

SACCHETTO, K. K et al., O ambiente lúdico como fator motivacional na aprendizagem escolar. Cadernos de Pós-Graduação em Distúrbios do Desenvolvimento, v.11, n.1, p. 28-36, 2011

SOARES, M,H,F,B. Jogos e atividades lúdicas no Ensino de Química: Teoria, Métodos e Aplicações. Anais do Encontro Nacional de Ensino de Química. XI, 2008: Curitiba, 12p, 2008.

SOARES, M, H, F, B. Jogos e atividades lúdicas no Ensino de Química: Uma discussão teórica necessária para novos avanços. Revista debates em Ensino de Química. v.2,n.2, p.5-13, 2016.

SOUZA, A. E. O lúdico associado à resolução de problemas e jogos no ensino e aprendizagem de funções: uma abordagem diferenciada. Dissertação de Mestrado em Ensino em Ciência e Tecnologia. Programa de Pós Graduação em Ensino de Ciência e Tecnologia. Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Ponta Grossa. 113f. 2014.

Downloads

Publicado

2018-09-03

Edição

Seção

Artigos Científicos de Pesquisa