Análise dos trabalhos relacionados ao ensino de ciências por investigação publicados nos anais dos Encontros Nacionais de Ensino de Química entre os anos de 2006 e 2016

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30705/eqpv.v2i2.1403

Resumo

A presente pesquisa analisou os trabalhos publicados nos anais dos Encontros Nacionais de Ensino de Química (2006 a 2016) que apresentaram nos títulos e/ou palavras-chaves o radical “investig”, sendo estas produções categorizadas com base na Análise de Conteúdo proposta por Bardin. Após a análise, emergiram duas categorias principais: Ensino de Ciências por Investigação (ENCI) e Investigação em Ensino de Ciências (IENCI), sendo que a primeira apresentou ciclos investigativos com problematizações contextuais e a segunda propôs a construção de conhecimentos buscando analisar conceitos e domínios científicos sem uma articulação metodológica definida. Após analisar os trabalhos, verificou-se a necessidade de superar algumas concepções limitadas relativas ao ENCI. Além disso, apresentou-se os níveis de ensino em que os trabalhos sobre ENCI foram implementados e a importância de se desenvolver projetos e atividades formativas que dialogam com tal abordagem metodológica, considerando as potencialidades para se favorecer o processo de ensino e aprendizagem das Ciências.

Biografia do Autor

Mateus José dos Santos, Colégio Educar de Ervália/MG

Licenciado em Química pela Universidade Federal de Viçosa (UFV). Participou do programa Ciência sem Fronteiras, fomentado pela CAPES, realizando suas atividades no Collège communautaire du Nouveau-Brunswick - Campus Bathurst e no Cégep de Sherbrooke, ambos no Canadá. Participou do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID). Foi assessor de relacionamentos do projeto Embaixadores-UFV. e colaborador de Expansão da ONG Rede CsF. Realizou atividades como Líder em Educação Canadá-Brasil, coordenador e co-fundador do Núcleo Viçosa da Rede CsF/Em Rede. Atualmente é professor de Química de escolas públicas e particulares e pós-graduando em Ensino de Química pela Universidade Cândido Mendes. Tem interesse pela área de ensino de Química/Ciências com ênfase na formação de professores e Ensino por Investigação e no Ensino de Idiomas/internacionalização.

Vinícius Catão de Assis Souza, Universidade Federal de Viçosa

Licenciado em Química pela Universidade Federal de Minas Gerais, com especialização em Educação Inclusiva, pela Escola de Governo da Fundação João Pinheiro, além de mestrado e doutorado em Educação (Ensino de Ciências), pela Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais. Atualmente é professor Adjunto no Departamento de Química da Universidade Federal de Viçosa. Possui experiências profissionais com temas relacionados ao ensino de Ciências/Química, espaços não formais de educação, formação inicial e continuada de professores, inclusão de surdos e diversidade na Escola, tendo feito trabalhos voltadas à educação socioambiental, educação e cidadania, metodologias de ensino e de pesquisa, história da Ciência aplicada ao ensino, alfabetização científica e processos aprendizagem na perspectiva inclusiva. Atualmente está a frente da Diretoria de Programas Especiais, órgão vinculado à Pró-Reitoria de Ensino da Universidade Federal de Viçosa, e assessora a Unidade Interdisciplinar de Políticas Inclusivas (UPI-UFV).

Referências

ALARCÃO, I. Professor investigador: Que sentido? Que formação? Cadernos de Formação de professores, n.1, 2001.

BARRETO, J. V.; NETO, A. A. N.; ROCHA, E. M.; ALVES, J. S.; LIMA, J. P. M. Concepções sobre solução e concentração de solução investigadas em ações do PIBID/Química da UFS/Campus de São Cristóvão. In: Anais do XVII Encontro Nacional de Ensino de Química, 2014, Ouro Preto. Anais... Ouro Preto: UFOP, 2014.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Proposta preliminar. Terceira versão revista. Brasília: MEC, 2017. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/>. Acesso em: 11 de Out. 2017.

CARVALHO, A. M. P. Ensino e aprendizagem de ciências: referenciais teóricos e dados empíricos das sequências de ensino investigativas (SEI). In: O uno e o diverso na educação. Uberlândia: EDUFU, 2011.

_________________. O ensino de ciências e a proposição de sequências de ensino investigativas. In: CARVALHO, A. M. P. (org.). Ensino de ciências por investigação: condições para implementação em sala de aula. São Paulo: Cengage Learning, 2013.

CHIAPETTA, E. L. Historical Development of Teaching Science as Inquiry. In: J. Luft, R. Bell, and J. Gess-Newsome (Eds.), Science as inquiry in the secondary setting.Arlington, VA; National Science Teachers Association, p.21-30, 2008.

COELHO, M. A.; SILVEIRA, J. V. A.; STEFANELLI, R. Documentário em Filme PIBID: Uma investigação sobre iniciação à Docência. In: Anais do XVI Encontro Nacional de Ensino de Química, 2012, Salvador. Anais... Salvador: UFBA, 2012.

COQUIDÉ, M.; FORTIN, C.; RUMELHARD, G. L’investigation: fondements et démarches, intérêts et limites. Aster, n. 49, 2009.

ENCONTRO NACIONAL DE ENSINO DE QUÍMICA (ENEQ), 2006. Disponível em: https://www.fe.unicamp.br/eventos/eneq/. Acesso em: 20 Outubro 2018.

ENCONTRO NACIONAL DE ENSINO DE QUÍMICA (ENEQ), 2008. Disponível em: http://www.quimica.ufpr.br/eduquim/eneq2008/. Acesso em: 20 Outubro 2018.

ENCONTRO NACIONAL DE ENSINO DE QUÍMICA (ENEQ), 2010. Disponível em: http://www.sbq.org.br/eneq/xv/editorial.htm. Acesso em: 20 Outubro 2018.

ENCONTRO NACIONAL DE ENSINO DE QUÍMICA (ENEQ), 2012. Disponível em: http://www.eneq2012.qui.ufba.br/. Acesso em: 22 Novembro 2018.

ENCONTRO NACIONAL DE ENSINO DE QUÍMICA (ENEQ), 2014. Disponível em: www. www.eneq2014.ufop.br. Acesso em: 22 Novembro 2018.

ENCONTRO NACIONAL DE ENSINO DE QUÍMICA (ENEQ), 2016. Disponível em: www.eneq2016.ufsc.br. Acesso em: 22 Novembro 2018.

FANTINELLI, M.; FROZZA, E.; PASTORIZA, B. S.; CACCIAMANI, J. L. As investigações acerca da avaliação nos primeiros grupos de Pesquisa em Educação Química do Brasil. In: Anais do XVII Encontro Nacional de Ensino de Química, 2014, Ouro Preto. Anais... Ouro Preto: UFOP, 2014.

FERNANDES, R. C. A.; NETO, J. M. Modelos Educacionais em 30 pesquisas sobre práticas pedagógicas no ensino de Ciências nos anos iniciais de escolarização. Investigações em Ensino de Ciências, v. 17, n. 3, p. 641-662, 2012.

FREIRE, A. M. Reformas curriculares em ciências e o ensino por investigação. Actas do XIII Encontro Nacional de Educação em Ciências, Castelo Branco, 2009.

FUMAGALLI, L. O ensino das Ciências Naturais no Nível Fundamental da Educação Formal: Argumentos a seu Favor. In: WEISSMANN, H. (org.), Didática das Ciências Naturais: contribuições e reflexões. Porto Alegre : Artmed, 1998.

KASSEBOEHMER, A. C.; FERREIRA, L. H. Elaboração de hipóteses em atividades investigativas em aulas teóricas de química por estudantes de nível médio. Química Nova na Escola, v.35, n.3, p.158-165, 2013.

LEMKE, Jay L. Investigar para El futuro de La Educación Científica: nuevas formas de aprender, nuevas formas de vivir. Enseñanza de las Ciencias, España, v. 24, n. 1, p. 5-12, 2006.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E.D.A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MESQUISA-PIRES, C. A. investigação-acção como suporte ao desenvolvimento professional docente. Eduser: Revista de Educação, v. 2, n. 2, 2010.

NATIVIDADE, L. O.; SILVA, L. C. M.; CAVALCANTI, E. L. D. Conceitos de massa e volume – O PIBID na investigação sobre a compreensão de tais conceitos por estudantes do primeiro ano do Ensino Médio. In: Anais do XVIII Encontro Nacional de Ensino de Química, 2016, Florianopólis. Anais... Florianópolis: UFSC, 2016.

NEVES, J. L. Pesquisa qualitativa – características, usos e possibilidades. Cadernos de pesquisas em administração, v.1, n.3, p.1-5, 1996.

POZO, J. I.; CRESPO, M. A. G. A Aprendizagem e o Ensino de Ciências: do conhecimento cotidiano ao conhecimento científico. 5a. Edição. Porto Alegre: Artmed, 2009, 296p.

SÁ, E. F. Discursos de professores sobre ensino de ciências por investigação. Tese de Doutorado – Belo Horizonte: UFMG/FAE, 2009.

SANTOS, E. J. S.; REIS, Y. F. S.; CARDOSO, S.; TEIXEIRA, G. B.; ARAÚJO, R. S.; SANTOS, R. O. LEMOS, C. C.; SANTOS, L. M. C. SUSSUCHI, E. M. PIBID e Feira de Ciências na escola: Incentivo à investigação científica. In: Anais do XVIII Encontro Nacional de Ensino de Química, 2016, Florianopólis. Anais... Florianópolis: UFSC, 2016.

SCHNETZLER, R. P. A pesquisa em ensino de Química no Brasil: conquistas e perspectivas. Química Nova, v. 25, supl. 1, p.14-24 2002.

SEDANO, L.; CARVALHO, A. M. P. Ensino de Ciências por Investigação: Oportunidades de interação social e sua importância para a construção da autonomia moral. Alexandria, v.10, n.1, p.199-220, 2017.

SUART, R. C.; MARCONDES, M.E.R.; LAMAS, M.F.P. A estratégia “laboratório aberto” para a construção do conceito de temperatura de ebulição e a manifestação de habilidades cognitivas. Química Nova na Escola, v.32, n.3, p.200-207, 2010.

VASCONCELOS, C.; PRAIA, J. F.; ALMEIDA, L. S. Teorias de aprendizagem e o ensino/aprendizagem das ciências: da instrução à aprendizagem. Psicologia Escolar e Educacional, v.7, n.1, p. 11-19, 2003.

ZÔMPERO, A. F.; LABURÚ, C. E. Atividades investigativas no Ensino de Ciências. Aspectos históricos e diferentes abordagens. Revista Ensaio, v.13, n.3, p.67-80, 2011.

ZULIANI, S. R. Q. A. Prática de ensino de química e metodologia investigativa: uma leitura fenomenológica a partir da semiótica social. Tese de doutorado – São Carlos: UFSCar, 2006.

Downloads

Publicado

2019-01-31

Edição

Seção

Pesquisa en Punto de Vista