O despertar para a docência

relatos de alunos de estágio supervisionado em Química

Autores

  • Mari Inez Tavares Universidade Federal do Espirito Santo (UFES)
  • Michele Marcelo Silva Bortolai Universidade Federal do Recôncavo da Bahia
  • Paulo Rogerio Garcez de Moura Universidade Federal do Espírito Santo
  • Daisy de Brito Rezende Universidade de São Paulo

Resumo

Este artigo apresenta resultados de uma pesquisa qualitativa acerca do discurso sobre a prática docente presente nos relatórios de estágio supervisionado de alunos de Licenciaturas em Química de duas Universidades Brasileiras. Fundamenta a análise dos dados obtidos na filosofia da linguagem bakhtiniana e na teoria crítica da educação. Nos grupos analisados os professores-estagiários estão distanciados de exercerem práticas docentes que considerem os aspectos históricos e sociais dos estudantes do Ensino Médio, porém se faz presente indícios de alteridade entre futuros professores e alunos, o que pode ser indicativo de uma possível transformação das suas concepções de ser professor. As docentes orientadoras de estágio perceberam que é necessário reformular seus planos de aula e de ensino para enfatizar a formação crítica que valorize os saberes discentes sobre questões cotidianas que envolvem o conteúdo químico.

PALAVRAS CHAVE: Estágio Supervisionado; Formação Docente; Curso de Licenciatura

Biografia do Autor

Mari Inez Tavares, Universidade Federal do Espirito Santo (UFES)

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Espírito Santo. Professora da UFES.

Michele Marcelo Silva Bortolai, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia

Doutora e Mestre em Ensino de Ciências (modalidade Química) pelo PIEC/USP - Programa de Pós Graduação Interunidades em Ensino de Ciências da Universidade de São Paulo, com trabalhos de pesquisa intitulados "Percepções escolares sobre água na perspectiva da Teoria das Representações Sociais" e "PROQUIM em ação: ressignificando o conceito de transformação no Ensino Médio". Especialista em Química, pela Universidade Oswaldo Cruz; Licenciada em Pedagogia - Administração e Supervisão Escolar, pela Universidade Guarulhos; Bacharel e Licenciada em Química pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Ex-membro do grupo de pesquisa LieQui - Linguagens no Ensino de Química. No momento é membro do grupo de pesquisa PEQUI - Pesquisa Ensino Extensão em Educação Química da UFRB. Em ambos os grupos tem seus estudos voltados à formação de professores e processos de ensino e aprendizagem em Química. Possui 08 anos de experiência como coordenadora pedagógica e 18 anos como professora em escolas de Educação Básica da cidade de São Paulo. Lecionou no curso de Pedagogia da Uninassau campus Caruaru - PE e atualmente é professora Adjunta de Ensino de Química da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - UFRB, no Centro de Formação de Professores (CFP), Amargosa, Bahia.

Paulo Rogerio Garcez de Moura , Universidade Federal do Espírito Santo

tua como Professor do Magistério Superior na Graduação (DQUI) e Pós-Graduação de Química (Mestrado e Doutorado) na Universidade Federal do Espírito Santo (UFES, Campus de Goiabeiras, Vitória, ES). Coordena o Grupo de Educação e Ensino de Química-UFES (GPEEQuim-UFES). Também atua como Professor Colaborador no Programa de Mestrado Profissional de Química em Rede - ProfQui, no Instituto Federal do Espírito Santo - Vila Velha/ES. Possui "Graduação em Química - Licenciatura" e "Especialização em Educação" pela Universidade de Cruz Alta, "Mestrado em Filosofia" pela Universidade Federal de Santa Maria e "Doutorado em Educação em Ciências" pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2016). Realiza pesquisas em Educação e Ensino de Química/Ciências Naturais nas seguintes temáticas: Formação de Professores, Metodologias Ativas do Ensino,Experimentação Problematizada, Pesquisa Qualitativa em Ensino, Teorias de Aprendizagem, Linguagem Científica e Justificação, Filosofia das Ciências, Fenomenologia Hermenêutica e Processos de Teorização.

Daisy de Brito Rezende, Universidade de São Paulo

icenciada (1977) e Bacharel em Química pela Universidade de São Paulo (1978), obteve o mestrado (1986) e o doutorado em Química Orgânica pela Universidade de São Paulo (1994), sob orientação do Professor Vicente Guilherme Toscano. Desde 1991, é professora do Instituto de Química dessa mesma universidade (Departamento de Química Fundamental). Tem experiência na área de Química, com ênfase em Fotoquímica Orgânica (enodionas, foto-homólise de halocompostos e fotoisomerização, em fase homogênea). Mais recentemente, tem-se voltado a estudos sobre biocatálise e atuado na pesquisa em Ensino de Quimica, sendo orientadora do Programa Interunidades em Ensino de Ciências da Universidade de São Paulo. Foi Diretora da Divisão de Ensino da Sociedade Brasileira de Química (SBQ) na gestão de maio de 2008 a maio de 2010, maio de 2016 a maio de 2018 e atualmente da gestão de 2018 - 2020.

Downloads

Publicado

2021-12-31

Edição

Seção

Pesquisa en Punto de Vista