TENDA ITINERANTE DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL: ESTRATÉGIAS LÚDICAS COMO MEDIADORAS DO ENSINO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30691/relus.v4i2.2331

Resumo

As cidades arborizadas conseguem promover mais qualidade de vida, conforto e lazer para os seus habitantes. Logo, percebe-se a importância da manutenção das árvores, em especial as nativas, no ambiente urbano. Diante disso, este trabalho teve como objetivo principal sensibilizar ambientalmente a comunidade de Umuarama – PR, em especial quanto à arborização urbana. Para tanto, atividades lúdicas de educação ambiental foram realizadas em ambiente formal e não formal nesta cidade, utilizando-se uma Tenda Itinerante. Ao final deste estudo, percebeu-se que esta estratégia foi capaz de despertar a participação ativa dos sujeitos, promovendo a reflexão sobre importantes questões ambientais locais. Espera-se que, a partir deste estudo, as pessoas iniciem uma mudança de comportamento em relação à preservação da arborização urbana.

Biografia do Autor

Adeilson Moizés de Oliveira, Instituto Federal do Paraná - Campus Umuarama

Graduando em Ciencias Biólogicas (Licenciatura) pelo instituto Federal do Paraná Campus Umuarama.

Kethlen Correa de Souza, Instituto Federal do Paraná - Campus Umuarama

Graduanda em Licenciatura em Ciências Biológicas pelo Instituto Federal do Paraná.

Edson Valeriano Guimarães, Instituto Federal do Paraná Campus Umuarama

Graduando em Licenciatura em Ciências Biológicas pelo Instituto Federal do Paraná.

Patrícia Pereira Gomes, Instituto Federal do Paraná Campus Umuarama

PhD em Ecologia, docente do Instituto Federal do Paraná

Norma Barbado, Instituto Federal do Paraná Campus Umuarama

PhD em Agronomia, Pós-doutoranda pela FCT/Unesp, docente do docente do Instituto Federal do Paraná atuando no curso de Mestrado em Sustentabilidade IFPR/UEM.

Referências

ALMEIDA, C. G.; GÊA, B. C. C.; SIQUEIRA, M. V. B. M. Percepção ambiental da população sobre a arborização urbana do bairro centro no município de Arealva, São Paulo. REVSBAU, Curitiba, v.14, n.3, p.37-49, 2019.

ARAÚJO, A. F.; PASQUARELLI JUNIOR, V. Educação Ambiental e teatro: um caminho de pesquisa e ação. In: IV ENCONTRO PESQUISA EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL, 2007a, UNESP - RIO CLARO. Anais [...] Rio Claro: IV EPEA, 2007a. Disponível em: http://www.epea.tmp.br/epea2007_anais/pdfs/plenary/TR21.pdf. Acesso em 12 mai. 2020.

ARAUJO, A.F.; PASQUARELLI JUNIOR, V. Teatro e Educação Ambiental: um estudo sobre ambiente, expressão estética e emancipação. ReMEA, v. 18, 2007b.

AVRELLA, E. D.; WEILLER, E. B.; SILVA, A. C.; HIGUCHI, P. Avaliação quali-quantitativa da arborização urbana de praças e vias públicas. Revista de Ciências Agroveterinárias, v.13, n.3, p.227-237, 2014.

BRUN, F.G.K.; LINK, D.; BRUN, E.J. O emprego da arborização na manutenção da biodiversidade de fauna em áreas urbanas. REVSBAU, Piracicaba, v.2, n.1, p.117-127, 2007.

CABRAL, P. I. D. Arborização Urbana: Problemas e Benefícios. Revista Especialize On-line IPOG – Goiânia, v.1, n.6, 2013.

CAMPANILI, M.; SCHAFFER, W. B. Mata Atlântica: manual de adequação ambiental. Brasília: MMA/SBF, 2010. 96p.

CANALE, G. R..; PERES, C. A.; GUIDORIZZI, C. E.; GATTO, C. A. F.; KIERULFF, C. M. Pervasive defaunation of forest remnants in a tropical biodiversity hotspot. PlosOne, n.7 v.8, e41671,2012.

CARREGA, M. (2014). Contributos para a Educação Ambiental no Pré-Escolar: Promoção de parcerias comunitárias no planeamento de um projecto de educação não formal a implementar no parque das conchas e dos lilases-lumiar. Dissertação de Mestrado (Programa de Pós-graduação em Ecologia Humana e Problemas Sociais Contemporâneos. Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova. Lisboa, Portugal, 2014. 147p.

CASCAIS, M. G. A.; TERÁN, A. F. Educação formal, informal e não formal na educação em ciências. Ciência em Tela. v. 7, n. 2, 2014.

FALKEMBACH, G. A. M. O lúdico e os jogos educacionais. In: Mídias na Educação. CINTED, UFRGS. 2007. 8p.

FANFA, M. S.; GUERRA, L.; TEIXEIRA, M. R. F. Educação não formal: a praia como um espaço para educação ambiental. Debates em Educação. Debates em Educação, Maceió, Vol. 11, Nº. 24, 2019.

FARIA, J. L. G; MONTEIRO, E. A.; FISCH, T. V. Arborização de vias públicas do município de Jacareí – SP. REVSBAU, v. 2, n. 4, p. 20-33, 2007.

FERNANDES, A. Biodiversidade da caatinga. In: ARAÚJO, E. L.; MOURA, A. N.; SAMPAIO, E. V. S.; GESTINARI, L. M. S.; CARNEIRO, J. M. T. Biodiversidade, conservação e uso sustentável da flora do Brasil. Recife: UFRPE/SBB, p. 42-43, 2002.

FISCHER, M. L.; CUNHA, T. R.; MOSER, A. M.; DINIZ, A. L. F. Metodologias inovadoras no ensino da bioética para o curso de Licenciatura em Ciências Biológicas. Revista EDaPECI, v. 18, n. 2, p. 128 – 142, 2018.

FREIRE, P.; HORTON, M. O caminho se faz caminhando: conversas sobre educação e mudança social. 3. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2005.

GARCIA, E. S.; BONOTTO, D. M. B. Concepções de munícipes de Rio Claro sobre a arborização urbana. Rev. Eletrônica Mestr. Educ. Ambient. Rio Grande, v. 34, n. 3, p. 112-129, set./dez.2017.

GONÇALVES, A.; CAMARGO, L. S.; SOARES, P. F. Influência da vegetação no conforto térmico urbano: Estudo de caso na cidade de Maringá - Paraná. In: III SEMINÁRIO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA URBANA, 2012, MARINGÁ. Anais [...] Maringá: III SIMPGEU, 2012. Disponível em: https://pdfs.semanticscholar.org/7890/271cb284edd7e7d6609a9e335b1fe1ee5341.pdf . Acesso em: 07 mai. 2020.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATISTICA (IBGE). Panorama. Umuarama – Paraná. 2019. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pr/umuarama/panorama . Acesso em: 13 mai. 2020.

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS; SOS MATA ATLÂNTICA. São José dos Campos: INPE. Fundação SOS Mata Atlântica e INPE lançam novos dados do Atlas do bioma, 2019. Disponível em: http://www.inpe.br/noticias/noticia.php?Cod_Noticia=5115. Acesso em: 25 mai. 2020.

INSTITUTO PARANAENSE DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL (IPARDES). Leituras regionais: Mesorregião Geográfica Noroeste Paranaense. Curitiba: IPARDES: BRDE, 2004. 141p.

INSTITUTO PARANAENSE DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL (IPARDES). Caderno estatístico: Município de Umuarama, maio de 2020. 50p. Disponível em: http://www.ipardes.gov.br/cadernos/MontaCadPdf1.php?Municipio=87500&btOk=ok . Acesso em: 07 mai. 2020.

JEOVANINO-SILVA, R. M.; JEOVANINO-SILVA, A. L; CARDOSO, S. P. Guia prático em educação ambiental: sensibilizando de forma crítica, transversal e lúdica. Revista de Educação, Ciências e Matemática, v. 9, n. 2, 2019.

LACET, A. N. O. Arborização urbana como ferramenta de educação ambiental na Escola Municipal Roberto Simonsen – Campina Grande/PB. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Engenharia Sanitária e Ambiental). Universidade Estadual da Paraíba. Campina Grande, PB, 2014. 55p.

LUMMERTZ, T. B.; FISCHER, M. L. O teatro como ferramenta de promoção de Educação Ambiental. Revbea, v. 12, n. 5, 2017.

MALAVASI, U. C.; MALAVASI, M. M. Avaliação da arborização urbana pelos residentes - estudo de caso em Mal. Cândido Rondon, Paraná. Ciência Florestal, v.11, n.1, p.189-193, 2001.

MENG, X.; LI, S. Study on the Environmental Education of hydraulic engineering. Applied Mechanics and Materials, v. 672-674, p. 2249-2249, 2014.

MORAES, R; GALIAZZI, M. C. Análise Textual Discursiva: Processo reconstrutivo de múltiplas faces. Ciência & Educação, v. 12, n. 1, p. 117-128, 2006.

NITSCHE, P. R.; CARAMORI, P. H.; RICCE, W. S.; PINTO, L. F. D. Atlas Climático do Estado do Paraná. Londrina: IAPAR, 2019.

PASIN, A. A. Educação ambiental como ferramenta base da arborização urbana: Desafios da sustentabilidade verde no município de Ibiraiaras – RS. Monografia (Curso de Especialização em Educação Ambiental). Universidade Federal de Santa Maria. Santa Maria, RS, 2014. 63p.

PASQUAL, M. O. A.; FACHINI, M. P. Espaço verde urbano – importância na dinâmica da paisagem. Produção didático-pedagógica do Programa de Desenvolvimento Educacional (PDE). Secretaria de Estado da Educação do Paraná (SEED), 2008. 39p. Disponível em: http://www.gestaoescolar.diaadia.pr.gov.br/arquivos/file/producoes_pde/md_maria_oliveta_albano_pasqual.pdf. Acesso em: 25 mai. 2020.

PEDRINI, A.G.; SAITO, C.H. (Org.) Paradigmas metodológicos em educação ambiental. Petrópolis: Vozes, 2014.

PERESTELO, S. (2017) Conceções de educadores de infância e professores de 1. º ciclo do ensino básico acerca da educação ambiental: Um estudo sobre a importância da educação ambiental. Dissertação de Mestrado (Programa de Pós-graduação em Educação Pré-escolar) Instituto de Educação Superior e Ciências. Lisboa. Portugal, 2017. 191p.

PINTO, B.C.T.; BORGES, J.L.C. Uma atividade de educação ambiental em espaço não formal: potencialidades do uso de bacias hidrográficas. Revista Tempos e Espaços em Educação, p. 109-124, 2015.

PIVETTA, K. F. L.; SILVA FILHO, D. F. Arborização urbana. Boletim acadêmico UNESP/FCAV/FUNEP. Série arborização urbana. Jaboticabal: FUNEP, 2002. 68 p.

REIGADA, C.; REIS, M. F. C. T. Educação ambiental para crianças no ambiente urbano: uma proposta de pesquisa-ação. Ciênc. educ. (Bauru). vol.10, n.2, pp.149-159. 2004.

RODRIGUES, G. S.; PINTO, B. C. T.; FONSECA, L. C. S.; MIRANDA, C. C. O estado da arte das práticas didático-pedagógicas em educação ambiental (período de 2010 a 2017) na revista brasileira de educação ambiental. Revbea, São Paulo, V. 14, No 1: 09-28, 2019.

ROLOFF, E. M. A importância do lúdico em sala de aula. In: SEMANA DE LETRAS, 10, 2010, Porto Alegre. Anais [...] Porto Alegre: PUC, 2010. Disponível em: https://editora.pucrs.br/anais/Xsemanadeletras/comunicacoes/Eleana-Margarete-Roloff.pdf . Acesso em: 6 maio 2020.

SANTOS, E. P. C. C.; FONTES, L. C.; NASCIMENTO, M. C.; TEIXEIRA, E. K. Arborização urbana na cidade de Ouro Branco/MG: percepção da população e plantio de árvores na comunidade. Revista Compartilhar, v. 2, n. 1, 2017.

SORRENTINO, M.; TRAJBER, R.; MENDONÇA, P.; FERRARO JUNIOR, L. A. Educação ambiental como política pública. Revista Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 2, p. 285-299, 2005.

TAKEDA, I. J. M.; BOTARI, J. C.; BOTARI, A. Levantamento e caracterizaçãoda vegetação de praçasrepresentativas do município de Umuarama – PR. In: XIII SAFETY, HEALTH AND ENVIRONMENT WORLD CONGRESS, 2013, Porto, Portugal. Anais […] Porto: XIII SHEWC, 2013. Disponível em: https://copec.eu/congresses/shewc2013/proc/works/102.pdf . Acesso em: 07 mai. 2020.

TEIXEIRA, N. F. F.; MOURA, P. E. F.; SILVA, F. A. S. A questão do meio ambiente no contexto da globalização: a Educação Ambiental em debate. Revista Equador, v. 5, n. 4, 2016.

TRISTÃO, M. P. Tecendo os fios da educação ambiental: o subjetivo e o coletivo, o pensado e o vivido. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 2, p. 251-264, maio/ago. 2005.

UMUARAMA. Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente de Umuarama. ENGETEC: Plano de manejo: Parque Municipal São Francisco de Assis (Tucuruvi), 2016a.

UMUARAMA. Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente de Umuarama. ENGETEC: Plano de manejo: Parque Municipal dos Xetá (Bosque do Índio). 2016b.

Downloads

Publicado

2021-01-05

Edição

Seção

Relatos de Pesquisa ou de Experiências