Ir para o menu de navegação principal Ir para o conteúdo principal Ir para o rodapé

Dossiê

v. 2 n. 5 (2020): Trabalho e Trabalhadorxs na América Latina

UMA DÉCADA DE CRISE: DIÁLOGOS ENTRE A PRECARIZAÇÃO DO TRABALHADOR E O RETRATO DE DETERIORAÇÃO SOCIAL NO FILME “VOCÊ NÃO ESTAVA AQUI” (2019)

Enviado
April 30, 2020
Publicado
2020-10-10

Resumo

O objetivo desse artigo é promover uma reflexão sobre o atual panorama de crise econômica e a sua interconexão com a filmografia do fim da década de 2010. Admitindo que as artes refletem o espírito de uma época, além de serem instrumento gerador de reflexão e problematização de diversos saberes, torna-se possível estabelecer pontos de diálogo entre os efeitos das novas relações de trabalho precário na era da uberização e o retrato da problematização desse fenômeno no filme “Você não estava aqui” (2019), do diretor Ken Loach. Com base nas novas tendências de precarização do trabalhador, analisadas sob a perspectiva do Brasil, argumentamos que ambos os cenários são dialógicos à medida em que, apesar das diversidades sociais, econômicas e culturais, incorporam elementos de similaridade no bojo das dinâmicas capitalistas atuais.

Referências

  1. CARTER, Sean; DODDS, Klaus. International Politics and Films: space, vision, power. London; New York: Wallflower Press Book, 2014.
  2. CIPOLINI, A. Não é fita, é fato: tensões entre instrumento e objeto – Um estudo sobre a utilização do cinema na educação. 159 f. Dissertação de Mestrado (Pós-Graduação em Educação), Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2008.
  3. CUNHA, R. S.; BRAGA, I. S.; ANDRADE, L. M. C. F.; TRINDADE, S. C. M.; GURGEL, R. D. F. O Cinema Como Instrumento Pedagógico: Relato de Experiência do PIBID/UFERSA de formação dos(as) educandos(as) da educação de jovens e adultos de Angicos/RN. In: V Encontro de Iniciação à Docência da UEPB. Campina Grande. Anais V ENID/UEPB, 2015. V. 1. P. 3.
  4. CHRISTOFOLETTI, D. F. Flexibilização das Leis Trabalhistas ou Reforma por jogo de interesses?. Âmbito jurídico, v. 185, p. 27, 2019. Disponível em: https://ambitojuridico.com.br/cadernos/direito-do-trabalho/flexibilizacao-das-leis-trabalhistas-ou-reforma-por-jogo-de-interesses/. Acesso em: 29 abr. 2020.
  5. CYSNE, Rubens Penha. Reformas econômicas a partir de 2019. Conjuntura Econômica, dez. 2018. Disponível em: https://epge.fgv.br/files/default/rubens-penha-cysne-reformas-economicas-a-partir-de-2019-conjuntra-economica-11-2018.pdf. Acesso em: 20 mar. 2020.
  6. FERRO, M. Cinema e História. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.
  7. FIRMINO, V. H. Como a UBER contribui para a precarização do trabalho na modernidade. Jusbrasil, 11 jan. 2018. Disponivel em: https://vitorfirmino.jusbrasil.com.br/artigos/534725925/como-a-uber-contribui-para-a-precarizacao-do-trabalho-na-modernidade. Acesso em: 28 abr. 2020.
  8. GAIA, F. S. As novas formas de trabalho no mundo dos aplicativos: o caso “UBER”. 2018. 360 f. Tese (Doutorado em Direito) - Programa de Estudos Pós-Graduados em Direito, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2018.
  9. GASTALDI, J. Petrelli. Elementos de Economia Política. 19ª ed. São Paulo: Saraiva, 2005.
  10. GERHARD, Felipe; SILVA JUNIOR, Jeová Torres; CAMARA, Samuel Façanha. Tipificando a Economia do Compartilhamento e a Economia do Acesso. Organ. Soc., Salvador, v. 26, n. 91, p. 795-814, dez. 2019.
  11. GOMES, J. F. O Cinema como Ferramenta para Reflexão Crítica Sobre as Relações Internacionais Contemporâneas: Análise do Indivíduo como Sujeito de direito Internacional a Partir do Filme “O Porto”. Revista de Direito, Arte e Literatura, v. 2, p. 92-108, 2016.
  12. GUIMARÃES, L. Coronavírus no Brasil: 39% dos patrões dispensaram diaristas sem pagamento durante pandemia, aponta pesquisa. BBC Brasil. São Paulo, 22 abr. 2020. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/brasil-52375292. Acesso em: 29 abr. 2020.
  13. KALIL, Renan Bernardi. Passou da hora de incluir os trabalhadores nos debates sobre a COVID-19. Justificando, 31 mar. 2020. Disponível em: https://www.justificando.com/2020/03/31/passou-da-hora-de-incluir-os-trabalhadores-nos-debates-sobre-a-covid-19/
  14. MELLO, M. P. L. Cinema e Relações Internacionais: a representação do regime cubano no filme "Morango e Chocolate". 2015. 27 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Relações Internacionais), Centro de Ciências Sociais e Jurídicas, Universidade do Vale do Itajaí.
  15. MELLO e SILVA, L. Trabalho e regresso: entre desregulação e re-regulação. In: OLIVEIRA, Francisco de; BRAGA, Ruy; RIZEK, Cibele (org.). Hegemonia às avessas: economia política e cultura financeira na era da servidão financeira. São Paulo: Boitempo Editorial, 2010. p. 61-91.
  16. MORETTIN, E. V. O cinema como fonte histórica na obra Marc Ferro. História: Questões & Debates, Curitiba, n. 38, p. 11-42, 2003.
  17. NEVES JÚNIOR, E. J.; ZANELLA, C. K. O cinema e a extensão em relações internacionais: métodos, trajetórias e resultados. Revista da Extensão da UFRGS, v(?), n. 13, p. 30-37, 2016. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/revext/article/view/100800/56181. Acesso em: 20 jan. 2020.
  18. ______. O ensino de Relações Internacionais e o cinema: reflexões sobre o uso de filmes como uma ferramenta pedagógica. Meridiano 47, v. 18, p. 1-19, 2017.
  19. OLIVEIRA, J. “Nosso filme olha para o caos da vida dominada pela tecnologia. É sobre essa falsa ilusão de liberdade”. El Pais, Cultura, 28 fev. 2020. Disponível em: https://brasil.elpais.com/cultura/2020-02-28/nosso-filme-olha-para-o-caos-da-vida-dominada-pela-tecnologia-e-sobre-essa-falsa-ilusao-de-liberdade.html. Acesso em: 15 abr. 2020.
  20. PUTTI, A. Apps são os maiores empregadores, mas precarização dá o tom nos trabalhos. Carta Capital, Economia, 7 mai. 2019. Disponível em: https://www.cartacapital.com.br/economia/proletariado-digital-apps-promovem-trabalhos-precarios-a-brasileiros/. Acesso em: 20 abr. 2020.
  21. SANTOS, M. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. 6ª Ed. Rio de Janeiro: Record, 2001.
  22. SANTOS, B. de S. A Cruel Pedagogia do Vírus. Coimbra: Almedina, 2020. Disponível em: https://www.cpalsocial.org/documentos/927.pdf. Acesso em: 20 abr. 2020.
  23. SILVA, C. Sindicatos perdem 90% da contribuição sindical no 1º ano após reforma. O Estado de S. Paulo. Economia & Negócio. 05 mar. 2019. Disponivel em: https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,sindicatos-perdem-90-da-contribuicao-sindical-no-1-ano-da-reforma-trabalhista,70002743950. Acesso em: 29 abr. 2020.
  24. SLEE, T. Uberizacao: a nova onda do trabalho precarizado. São Paulo: Editora Elefante, 2017.
  25. SOUTO MAIOR, J. L. Curso de Direito do Trabalho. São Paulo: LTr, 2017.
  26. SOUZA, Carlos Affonso Pereira de ; SILVA JUNIOR, Ronaldo Lemos da. Aspectos Jurídicos da Economia do Compartilhamento: Função Social e Tutela da Confiança. Direito da Cidade, v. 8, p. 1757-1777, 2016.
  27. VANOYE, F.; GOLIOT-LÉTÉ, A. Ensaio sobre a Análise Fílmica. Campinas/SP: Papirus, 1994.
  28. VOCÊ não estava aqui (Sorry We Missed You). Direção de Ken Loach. 2019. Netflix (100 min.).
  29. WALLERSTEIN, I. A reestruturação capitalista e o sistema-mundo. In: GENTILI, P. (org.). Globalização excludente: desigualdade, exclusão e democracia. 4ª ed. Petrópolis, RJ. Vozes, 2002.
  30. WEBER, Cynthia. International Relations Theory: a critical introduction. 4ª ed. Londres: Routledge, 2014.
  31. ZANELLA, C. K.; NEVES JÚNIOR, E. J (org.). As Relações Internacionais e o Cinema: espaços e atores transnacionais. Vol. 1. Belo Horizonte: Fino Traço, 2015.