COVID 19 NA AMAZÔNIA MARAJOARA:

COMPLEMENTARIDADES E ENTRELAÇAMENTOS DA REGIÃO COM MAIOR VULNERABILIDADE SOCIAL DO BRASIL E O APROFUNDAMENTO DA CRISE SANITÁRIA

Autores

  • Eunápio Dutra do Carmo Universidade Federal do Pará - Campus Breves / Marajó

Palavras-chave:

Pandemia, Desigualdade Social e Comunidades Ribeirinhas

Resumo

A incidência de casos do COVID-19 exacerbou o processo de vulnerabilização das populações do Arquipélago do Marajó (Pará), onde concentram-se os municípios com menores IDH do Brasil. O texto analisa essa realidade social em sua complexidade histórica, econômica e da saúde coletiva. Tendo como lócus emblemático o município de Breves, constatou-se que a integração de crises (desigualdade social e sanitária) aprofundou os históricos problemas socioeconômicos e constitui as condições objetivas para que Breves, tenha se tornado, em abril de 2020, o epicentro de transmissão e óbitos por COVID-19 no Brasil numa rapidez extraordinária somado ao fato de ser um dos municípios com elevada taxa de extrema pobreza do país.

Biografia do Autor

Eunápio Dutra do Carmo, Universidade Federal do Pará - Campus Breves / Marajó

Possui graduação em Administração pela Universidade Federal do Pará (1993), mestrado em Planejamento do Desenvolvimento pelo Núcleo de Altos Estudos Amazônicos (NAEA/UFPA, 1998), Doutorado em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e Pós-Doutorado em Desenvolvimento Socioambiental do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido (PPGDSTU) pelo NAEA/UFPA. É professor Adjunto do Curso de Serviço Social e Coordenador de Pós Graduação e Pesquisa da UFPA-Campus Marajó Breves. Foi professor e coordenador do Curso de Administração do Centro Universitário do Estado do Pará (CESUPA). Integrante do Grupo pesquisa GETTAM (Grupo de Pesquisa sobre Estado, Território, Trabalho e Mercados Globalizados na Amazônia). Faz parte, desde 2008, do Banco de Avaliadores do MEC. Tem experiência na área de Desenvolvimento, Território e Impactos Socioambientais, Gestão e Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: impactos socioambientais, desenvolvimento local, sustentabilidade, políticas públicas, gestão territorial, cultura, reestruturação produtiva e relações de trabalho. É parecerista da Revista Novos Cadernos NAEA (UFPA) e da Revista de Administração Pública (FGV/SP).

Referências

CASTRO, Edna Maria Ramos de (org.). Territórios em transformação na Amazônia: saberes, rupturas e resistências. Belém: NAEA, 2017.

FOLHA DE S.PAULO. Pandemia no Brasil, 31 ago. 2020. Disponível em: https://www.folha.uol.com.br/. Acesso em: 31 ago. 2020.

FOLHA DE S.PAULO. Número da Pandemia no Brasil, 14 mar. 2021. Disponível em: https://www.folha.uol.com.br/. Acesso em: 14 mar. 2020.

GARBOIS, J. A.; SODRÉ, F.; DALBELLO-ARAUJO, M. Da noção de determinação social à de determinantes sociais da saúde. In: Saúde em Debate, Rio de Janeiro, v. 41, N. 112, 2017

G1-PARÁ. Em Breves, no PA, 1 a cada 4 moradores foi infectado por Covid-19, aponta estudo. Jornal Liberal, 25 maio 2020. Disponível em: www.g1.globo.com. Acesso em 20 jun. 2020.

GUEDES, Luti. A covid-19 na ilha da desigualdade. In: COLABORA, 23.06.2020. Disponível em https://projetocolabora.com.br/ods11/a-covid-19-na-ilha-da-desigualdade/. Acesso em 12 mar. 2021

GUDYNAS, E. “Extractivismos en America der Sur: conceptos y sus efectos derrame”. In: A. Zhouri, P. Bolados, E. Castro (eds.), Mineração na América do Sul: neoextrativismo e lutas territoriais. São Paulo: Ed. Annablume. 2016, pp. 23-43.

IAMAMOTO, Marilda Villela. A formação acadêmico-profissional no Serviço Social brasileiro. In: Serviço Social e Sociedade. São Paulo, n. 120, p. 609-639, out./dez. 2014

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Cidades. Censo Demográfico, 2019 (atualizado). Disponível em: www.ibge.gov.br. Acesso em: 18 abr. 2020.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. PIB dos Municípios: IBGE CIDADES. Rio de Janeiro. 2010. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pa/breves. Acesso em: 05 de fev. 2021.

OBSERVATÓRIO DO MARAJÓ. Cadernos do Marajó – 40 dias de Marajó com coronavírus, 2020. Disponível em https://www.observatoriodomarajo.org/40diasmarajocovid19. Acesso em 30 de jan. 2021

OXFORD - Relatório Anual 2021: O vírus da desigualdade. Disponível em https://www.oxfam.org.br/justica-social-e-economica/forum-economico-de-davos/o-virus-da-desigualdade/?utm_source=google&utm_medium=cpc&utm_campaign=search_davos2021_grants&utm_content=ads2&gclid=Cj0KCQjwi7yCBhDJARIsAMWFScN0gzB8KrAmBTnfGrEZjUXNhoaOTCQdZNe6wEmt9BIPXXJmhLGUp. Acesso em 10 de mar 2021.

SARRAF-PACHECO, Agenor. Cartografia e Foto etnografia das Águas: modos de vida e de luta na Amazônia Marajoara. In: Iluminuras, Porto Alegre, v. 19, n. 46, p. 63-98, jan/jul, 2018.

Downloads

Publicado

2021-05-26

Como Citar

do Carmo, E. D. (2021). COVID 19 NA AMAZÔNIA MARAJOARA:: COMPLEMENTARIDADES E ENTRELAÇAMENTOS DA REGIÃO COM MAIOR VULNERABILIDADE SOCIAL DO BRASIL E O APROFUNDAMENTO DA CRISE SANITÁRIA. evista spirales. ecuperado de https://revistas.unila.edu.br/espirales/article/view/2778

Edição

Seção

Dossiê especial: Faces e Aspectos da Pandemia de Covid-19 na América do Sul